Revista Online Conexao Afro

Archive for Agosto, 2014|Monthly archive page

ASSOBECATY, apresenta o Projeto Batuque do Sul Promovendo a Vida, nos espaço virtuais como ferramenta para ampliar sua visibilidade pública.

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 24, 2014 at 7:22 pm
logo Revista Conexão Afro 24 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Olá, hoje estamos intensificando  a apresentação do Projeto Batuque do Sul Promovendo a Vida, nos  espaços virtuais, como ferramenta para ampliar sua visibilidade pública.

Foto: ASSOBECATY apresenta o Projeto Batuque do Sul Promovendo a Vida, nos  espaço virtuais  como ferramenta para ampliar sua visibilidade pública.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655
Anúncios

Malu Viana Uma Mulher de Atitude

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 21, 2014 at 8:44 am
logo Revista Conexão Afro 21 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Tenho lado
Tenho Opinião
Tenho minhas convicções e nada irá calar minha vóz !
As mulheres devem DENÚNCIAR quando algum tipo de violência as atigir , seja o preconceito, discriminação ou violação de direitos pois sem as MULHERES os Direitos não são HUMANOS !

Temos o direito a cultura que nos faz sonhar !
Tamo junto, e um grande salve pra quem é de verdade !
Malu Viana

Tenho lado 
Tenho Opinião 
Tenho minhas convicções e nada irá calar minha vóz ! 
As mulheres devem DENÚNCIAR quando algum tipo de violência  as atigir , seja o preconceito,   discriminação ou violação de direitos pois sem as MULHERES os Direitos não são HUMANOS !  

Temos o direito a cultura que nos faz sonhar  ! 
Tamo junto, e um grande salve pra quem é de verdade ! 
Malu Viana

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Mãe Carmen de Oxalá, se posiciona como um ser político

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 20, 2014 at 9:22 pm
logo Revista Conexão Afro 20 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Há por falar em campanha eu sou um ser politico, HOJE aumento minha jornada de trabalho, me engajando na campanha da Deputada Estadual ANA AFONSO- 1381 e Deputado Federal Dionilso Marcon-1355, não é segredo o quanto gosto de política e quanto acredito ser uma das formas de trabalhar as mazelas sociais perpetuadas. Estarei coordenando uma equipe na cidade de Guaiba, com garra e determinação estarão fazendo um corpo a corpo, com convicção de estarem trabalhando para mantermos as políticas culturais e educacionais e os direitos dos trabalhadores, pequeno agricultor , minorias e populações discriminadas, tão bem defendidas por Ana e Marcon, pois acredito que a igualdade de oportunidade só será conquistada com luta, nossa ferramenta neste momento é o pleito eleitoral, e quero ao lado deles caminhar para extinção das desigualdades. Meu carinho e respeito a todos. MAS O BICHO VAI PEGAR ! Mãe Carmen de Oxalá

Foto: Há por falar em campanha eu sou um ser politico, HOJE  aumento minha jornada de trabalho, me engajando na campanha da Deputada Estadual ANA AFONSO- 1381 e Deputado Federal Dionilso Marcon-1355, não é segredo o quanto gosto de política e quanto acredito ser uma das formas de trabalhar  as mazelas sociais perpetuadas. Estarei coordenando uma  equipe na cidade de Guaiba, com garra e determinação estarão fazendo um corpo a corpo, com convicção de estarem trabalhando para mantermos as políticas culturais e educacionais e os direitos dos trabalhadores, pequeno agricultor , minorias e populações discriminadas, tão bem defendidas por Ana e Marcon,  pois acredito que a igualdade de oportunidade só será conquistada  com luta, nossa ferramenta neste momento é o pleito eleitoral, e quero ao lado deles  caminhar para extinção das desigualdades. Meu carinho e respeito a todos. MAS O BICHO VAI PEGAR !  Mãe Carmen de Oxalá

logo Revista Conexão Afro 15de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Espaço garante a participação do público na construção do Plano Setorial para a Cultura Afro-brasileira

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 19, 2014 at 9:42 am

 

logo Revista Conexão Afro 15de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO



Está no ar a plataforma digital que facilita a comunicação entre os cidadãos e os responsáveis pela formulação do Plano Setorial para a Cultura Afro-brasileira. Por meio desse espaço, será possível enviar sugestões, opiniões, contribuições e participar ativamente das atividades que envolvem a construção da política pública. Para colaborar, basta acessar o formulário no link:  http://www.palmares.gov.br/?page_id=33774

A ficha conta com perguntas sobre como os cidadãos avaliam a cena cultural negra na região em que vivem, o que ainda necessita de mudanças e como isso poderia ser feito. O objetivo é que, por meio desses questionamentos, seja possível identificar as principais necessidades dos agentes culturais afro-brasileiros.

Na área, o público também tem acesso a agenda das reuniões que estão acontecendo pelo Brasil, ao caderno de apoio do Plano Setorial, assim como informações relacionadas.

Plano Setorial para a Cultura Afro-brasileira – Tem o objetivo de cumprir a Meta 46 do Plano Nacional de Cultura. Visa realizar um conjunto de atividades de subsídio para a construção da política nacional para a cultura afro-brasileira, organizando ações de formação e articulação institucional para a ampliar o debate nos estados brasileiros.

A construção do Plano é uma parceria entre a Fundação Cultural Palmares (FCP-MinC), o Colegiado Setorial Afro-brasileiro do CNPC (Conselho Nacional de Políticas Culturais) e as representações de cultura em cada estado brasileiro.

Contribua: http://www.palmares.gov.br/?p=32089/

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Salvador sedia 17º Congresso Nacional do Movimento Negro Abertura do evento será nesta sexta-feira (15), às 18h, no Pelourinho. Shows dos grupos afros Ilê Aiyê e Receptivo Compasso serão realizados.

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 14, 2014 at 12:57 pm
logo Revista Conexão Afro 14 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

15/08/2014 08h52 – Atualizado em 15/08/2014 08h52

Do G1 BASalvador sedia 17º Congresso Nacional do Movimento Negro: Abertura do evento será nesta sexta-feira (15), às 18h, no Pelourinho. Shows dos grupos afros Ilê Aiyê e Receptivo Compasso serão realizados. Foto: Ilê Aiyê

 

Começa nesta sexta-feira (15) a 17ª edição do Congresso Nacional do Movimento Negro Unificado, que tem como objetivo eleger a nova coordenação nacional do movimento e comemorar 36 anos de existência. A cerimônia de abertura será na Praça Pedro Arcanjo, no Pelourinho, a partir das 18h. A capital baiana foi escolhida como sede por ser a cidade mais negra do Brasil.

No evento, que reunirá delegados de 15 estados brasileiros, também serão discutidos e elaborados ações de combate ao racismo no país. A abertura do congresso é aberta ao público e terá shows dos grupos afros Ilê Aiyê e Receptivo Compasso. Nos demais dias do evento participam apenas os delegados do congresso, que foram eleitos em assembleias estaduais em todo o país. Os encontros vão acontecer no Hotel Vilamar, no bairro de Amaralina.

Movimento
O Movimento Negro Unificado foi criado nas escadarias do Teatro Municipal, em São Paulo, no ano de 1978. Desde então, o MNU se tornou uma das principais frentes de luta antirracista no Brasil, tendo exercido protagonismo na redemocratização do país e em muitas de suas principais transformações sociais, como a diminuição da violência policial e proposição de políticas de reparação aos negros.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Atenção, Pontos de Cultura! Curso (à distância) de capacitação no SICONV – Pontos de Cultura

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 13, 2014 at 9:07 am
logo Revista Conexão Afro 13 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

A SCDC/MinC informa que a Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) está com inscrições abertas para curso à distância de capacitação no Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse (SICONV) do Governo Federal.

O curso “SICONV – Ordem Bancária de Transferência Voluntária (OBTV) – Convenente”tem carga horária de 10h e destina-se à capacitação de servidores da administração estadual e municipal e a membros de entidades privadas sem fins lucrativos que trabalham com convênio, contrato de repasse e termo de parceria operados por OBTV, no SICONV.

É um instrumento importante para auxiliar integrantes dos Pontos de Cultura, doPrograma Cultura Viva, a operar com gestão de convênios no Sistema e a realizar inserção de dados e pleitos neste ambiente digital. É um curso de assistência técnica para os convenentes em gestão dos recursos públicos.

Para participar os interessados devem realizar a inscrição, até o dia 29 de agosto, noendereço eletrônico da ENAP (http://www.enap.gov.br/index.php?option=com_include&evento=lista_cursos_ead&Itemid=171) . O curso é gratuito e será oferecido por meio da modalidade de Educação a Distância, via Internet, sem tutoria, com a utilização do Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle, no período de09 a 29 de setembro de 2014.

Articulação em Redes

Coordenação-Geral de Cooperação, Articulação e Informação – CGCAI

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

A mãe de santo Conceição d’Lissá resiste à intolerância religiosa com sabedoria

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 12, 2014 at 5:30 pm

Os orixás protegem

logo Revista Conexão Afro 12de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

A mãe de santo Conceição d’Lissá resiste à intolerância religiosa com sabedoria

por Paulo Cezar Soares — publicado 12/08/2014 04:40

inShare1

Pedro Carilho

Conceição d'Lissá

Nos últimos oito anos, o terreiro da religiosa sofreu vários ataques. Em 26 de junho, um incêndio destruiu o barracão

A polícia ainda não tem nenhuma pista da autoria do incêndio criminoso no terreiro de candomblé Kwe Cejá Gbé – A Casa do Criador – da mãe de santo Conceição d’Lissá, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O crime ocorreu em 26 de junho, durante a madrugada, e foi registrado na 62ª Delegacia de Polícia, em Imbariê, distrito do subúrbio carioca. O fogo atingiu o segundo andar da casa e destruiu teto, móveis, eletrodomésticos, roupas de santos e de integrantes do terreiro.

Não é a primeira vez que Maria da Conceição Cotta Baptista, de 53 anos – Conceição d’Lissá – é vítima de ataques. Ela administra o centro em Caxias há 18 anos. E as agressões começaram há cerca de oito. “Já atearam fogo no meu carro, que na época estava quebrado e parado dentro do barracão. E dispararam tiros contra a minha casa e no portão do barracão. Deram nove tiros.” Equilibrada, ela evita apontar suspeitos. Cabe à polícia, afirma, descobrir quem cometeu o incêndio e os outros ataques.

O centro, segundo a mãe de santo, não possui um número fixo de frequentadores. Mais de 50 filhos de santo trabalham para o terreiro. Revezam-se nos trabalhos. A maioria iniciou-se no candomblé pelas mãos de Conceição d’Lissá e trabalha na preparação dos eventos. Em janeiro é realizada a festa de Olissa. Em maio, a de Oxum. Em junho, a de Ogum, e em setembro, a de Bessem.

Segundo o delegado Davi dos Santos Rodrigues, a polícia esteve no local duas vezes, na tentativa de conseguir testemunhas. Sem sucesso. No comando da delegacia desde fevereiro deste ano, Rodrigues é evangélico, integrante da Igreja Sara Nossa Terra. Todas as hipóteses, garante o delegado, estão sobre a mesa. “Em princípio, a questão é de intolerância religiosa. Mas pode ser outra coisa. Estamos fazendo um levantamento de quantos centros de umbanda e candomblé existem na região para verificar se sofreram ataques nos últimos três anos.”

Para Conceição d’Lissá, o Brasil precisa de uma lei para limitar o poder de rádios e tevês que veiculam programas evangélicos contrários às religiões de matriz africana. “Não há espaço de resposta. O poder que eles detêm é incomensurável.” Ela também reclama da internet, usada para veicular conteúdos ofensivos ao candomblé e à umbanda. Em maio, entidades defensoras do diálogo entre as religiões cobraram das autoridades a retirada de 16 vídeos na internet que atacam a cultura afro.

A mobilização ocorreu após o juiz da 17ª Vara Federal do Rio de Janeiro, Eugênio Rosa de Araújo, negar a exclusão dos vídeos. A umbanda e o candomblé não seriam religiões, alegou o magistrado, pois não contêm um texto-base, a exemplo da Bíblia, uma estrutura hierárquica, um Deus a ser venerado. Uma decisão superior da Justiça modificou, no entanto, a decisão de primeira instância e ordenou a retirada do material. “Eu vi os vídeos. Eles demonizam as religiões afro, a umbanda e o candomblé. Cenas dantescas. Uma incitação à violência”, assegura o deputado estadual Carlos Minc, presidente da Comissão Contra o Racismo, a Homofobia e a Intolerância Religiosa da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

Em relação ao incêndio no terreiro de Conceição d’Lissá, o deputado lembra quando ela ligou e relatou o ocorrido. Segundo ele, a informação foi repassada no mesmo instante ao chefe da Polícia Civil. “Fernando da Silva Veloso estava na Assembleia Legislativa, sentado à minha frente, acompanhando uma votação. Ele ligou para a delegacia e pediu providências”, recorda o parlamentar.

Para o presidente do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas, o babalaô Ivanir dos Santos, chama a atenção, no caso da mãe de santo, para o fato de as agressões serem persistentes. “Não é a primeira vez. Se as medidas tivessem sido tomadas anos atrás, pode ser que tivessem cessado. A polícia tem de ser mais rigorosa nas suas investigações. O crescimento de alguns setores neopentecostais, que em vez de pregar o amor pregam a demonização, estimulam esses atos de intolerância. Isso é inegável.”

Ivanir dos Santos é um dos precursores das caminhadas anuais contra a intolerância religiosa realizadas no Rio de Janeiro, todo terceiro domingo de setembro. A 7ª Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa – Caminhando a Gente se Entende – será em 21 de setembro, na Orla de Copacabana, zona sul da capital fluminense.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

6º XIRÊ MÃE OXUM – FESTA DE OXUM Integra o calenário Turístico de Eventos do Estado

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 12, 2014 at 1:59 am

logo Revista Conexão Afro 12 de agosto  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Município: Guaíba

Período: 13/12/2014 à 14/12/2014

Local: Praia da Alegria

Horário: 24 horas.

Período: Sábado e domingo

Descrição: A imagem de Mãe Oxum está na Gruta há mais de 40 anos, fica localizada na praia da Alegria no Município de Guaíba Rio Grande do Sul. Há seis anos acontecem as festas exaltando Oxum. No dia 8 de dezembro Mãe Oxum, Orixá cultuado pelo Batuque do Rio Grande do Sul, sendo a rainha das águas doces, do ouro, da beleza, do amor e das crianças, O Ponto de cultura Ilê Axé Cultural- ASSOBECATY

Programação: Festa, que tem como ponto alto da programação carreata saindo do bairro Santa Rita, até a Gruta de Mãe Oxum da Praia da Alegria, onde acontece o encontro das Oxuns, as duas imagens são levadas até as margens da orla Guaíba, ficam 24 horas para receberem manifestações de fé da comunidade. Antes de finalizar acontecem o toque sagrado dedicado a Oxum com o nome de Xirê.

Entidade Organizadora

Nome: Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural – ASSOBECATY

E-mail: pontoileaxecultural@yahoo.com.br

Endereço: Rua. Wenceslau Fontoura n. 226

Telefone: (51) 3055-6655

CEP: 92500-000

COMO CHEGAR:

Fonte: festasdointerior.com.br/6o-xire-mae-ogum

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Oficina e Ensaio do Bloco O GRITO AFRO

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 11, 2014 at 12:20 pm
logo Revista Conexão Afro 11 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Vamos lá? É  dia 16/08/2014 às 14:00 as 16:00 entre o chafariz e o espelho d’água da Redenção. Oficina e Ensaio do Bloco O GRITO AFRO.

Vamos lá? É amanhã moçada dia 16/08/2014 às 14:00 as 16:00 entre o chafariz e o espelho d'água da Redenção. Oficina e Ensaio do Bloco O GRITO AFRO.
Venham tragam sua alegria só ela nos cabe que o negócio é ser feliz. Convide seus amigos precisamos preparar as alas e ver em qual tu vai querer sair.
Bem se eu fosse vocês eu viria, pois sabemos que curtir no facebook é bom, mas o melhor é ao vivo.
Há e olhar sem curtir para saber o que tem sido feito, também pode hahahahaha!!!!! Mas uma hora vem e participa que vai ver que é bom e não dói!!!!
Conversaremos sobre camisetas do Instituto e do Bloco e também sobre os figurinos.
Bjão e um grande abraço a todos.

Venham tragam sua alegria só ela nos cabe que o negócio é ser feliz. Convide seus amigos precisamos preparar as alas e ver em qual tu vai querer sair.
Bem se eu fosse vocês eu viria, pois sabemos que curtir no facebook é bom, mas o melhor é ao vivo.
Há e olhar sem curtir para saber o que tem sido feito, também pode hahahahaha!!!!! Mas uma hora vem e participa que vai ver que é bom e não dói!!!!
Conversaremos sobre camisetas do Instituto e do Bloco e também sobre os figurinos.
Bjão e um grande abraço a todos.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Familia Alabê Ôni em Belo Horizonte

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 10, 2014 at 9:11 pm
logo Revista Conexão Afro 10 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Mostra Sesc Sonora Brasil 2014   BELO HORIZONTE   
Local: Sesc Palladium                                                      AMANHÃ DIA 10 - DOMINGO
Hora: 15:00     Teatro de Bolso Júlio Mackenzie /  Entrada Franca  /
Sujeito à lotação do espaço

Apresenta: Alabê Ôni (RS)

O projeto Sonora Brasil busca despertar no público um olhar crítico sobre a produção e os mecanismos de difusão de música no país, incentivando novas práticas e hábitos diferenciados de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico que valorizam a pureza do som e a qualidade das obras e de seus intérpretes.

A temática Tambores e Batuques apresenta manifestações da tradição oral presentes em comunidades quilombolas que têm o tambor como um elemento fundamental e, em alguns casos, sagrado. Os grupos que irão se apresentar utilizarão instrumentos fabricados artesanalmente, de acordo com as tradições de suas comunidades, em acompanhamento a cânticos que fazem alusão a fatos da vida social, ao trabalho e às crenças religiosas.

Carolinne Guaraní-Kaiowá Caramão

Mostra Sesc Sonora Brasil 2014 BELO HORIZONTE
Local: Sesc Palladium AMANHÃ DIA 10 – DOMINGO
Hora: 15:00 Teatro de Bolso Júlio Mackenzie / Entrada Franca /
Sujeito à lotação do espaço

Apresenta: Alabê Ôni (RS)

O projeto Sonora Brasil busca despertar no público um olhar crítico sobre a produção e os mecanismos de difusão de música no país, incentivando novas práticas e hábitos diferenciados de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico que valorizam a pureza do som e a qualidade das obras e de seus intérpretes.

A temática Tambores e Batuques apresenta manifestações da tradição oral presentes em comunidades quilombolas que têm o tambor como um elemento fundamental e, em alguns casos, sagrado. Os grupos que irão se apresentar utilizarão instrumentos fabricados artesanalmente, de acordo com as tradições de suas comunidades, em acompanhamento a cânticos que fazem alusão a fatos da vida social, ao trabalho e às crenças religiosas.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Comunidade quilombola de Triunfo é reconhecida e potencializada como Ponto de Cultura pelo Governo do RS e Federal

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 9, 2014 at 2:14 am

logo Revista Conexão Afro 09 de Agosto –Guaíba- RS –BrasilA Comunidade Morada da Paz ( Compaz), do município de Triunfo, teve seu projeto “Omorodê: Ponto de  Cultura da Infância” selecionado no edital de Pontos de Cultura resultante do convênio entre a Secretaria de Estado da Cultura ( Sedac) e o Ministério da Cultura.

A Compaz vai receber R$ 180 mil, em três parcelas de R$ 60 mil, para desenvolver ações, com o objetivo de ensinar a sabedoria da ancestralidade quilombola para as crianças da região, por meio do brincar. Pelo projeto serão realizadas oficinas de registro audiovisual, de construção de brinquedos indígenas e africanos, além de um simpósio sobre  o Brincar como uma das maneiras de despertar a consciência critica e de (re) criação.

Omorodê usa o brincar como forma de aprendizado

Omorodê usa o brincar como forma de aprendizado

Nessa quinta-feira (07) o secretário da Cultura, Assis Brasil, junto com o diretor de Cidadania e Diversidade Cultural da Sedac, João Pontes, visitou a Compaz para conhecer de perto o trabalho lá realizado. “Nada melhor do que a gente conhecer de perto a realidade dos Pontos de Cultura. Fiquei muito feliz e satisfeito com o que vi aqui, e aprendi também. Os Pontos são muito diferentes e esta diversidade é o que queremos valorizar”, afirmou.

A conselheira  Yashodan, que significa Mãe da Unidade, na língua urubá, recebeu Assis Brasil e apresentou o local. “Nosso objetivo é recuperar o modo de viver dos quilombos”, explicou. A Compaz tem uma parceria com a cooperativa de arquitetos Senda Viva, que vai desenvolver o projeto de bioconstrução da sede do Ponto de Cultura Omorodê.

Secretário conheceu a Trilha da Paz

Secretário conheceu a Trilha da Paz

Em seguida Cláudia Rocha Yamorô, que significa “Aquela que cuida”, guiou a comitiva da Sedac pela Trilha da Paz, “que na verdade significa o caminho pessoal de cada um. Um reencontro consigo mesmo pela integração com a natureza”, disse. O grupo realiza, também, atividades itinerantes na região e em Porto Alegre. “Levamos, para os que não podem vir até aqui, a possibilidade de vivenciar novas experiências de valorização do respeito, do diálogo e do cuidado consigo mesmo e com a natureza”, informou Yamorô.

A troca de experiências entre gerações é um dos princípios do Omorodê

A troca de experiências entre gerações é um dos princípios do Omorodê

A visita encerrou no encontro com a Elemojò, a Guardiã dos Ritos, Sara Jane dos Santos, que falou sobre a aproximação da Compaz com as comunidades indígenas. “Percebemos que a história dos negros e dos índios é a mesma, há muita similaridade que nos aproxima”. Sara detalhou o trabalho do grupo. “O Omorodê surge da experiência de compartilhar e transmitir a experiência de geração a geração.Nosso principio e propósito é o respeito às diferentes culturas e o sentido que as pessoas dão à vida”, concluiu.

Na parte da tarde o secretário Assis Brasil participou de um encontro cultural no Teatro União promovido pela Fundação Cultural Qorpo Santo.

Sobre a Compaz

Compaz comemora Ponto de Cultura Omorodê

Compaz comemora Ponto de Cultura Omorodê

Instalada em Triunfo desde 2002 a Comunidade Morada da Paz começou o trabalho na perspectiva ecológica de buscar um modo de vida mais amoroso e mais sustentável. Formado, em sua maioria, por mulheres negras o grupo voltou-se para cultuar os ensinamentos e o modo de viver dos quilombos e já encaminhou o pedido de reconhecimento como comunidade quilombola junto à Fundação Palmares.

O trabalho é realizado junto às escolas da região e com colônia de férias no verão, onde os pais podem acompanhar as crianças. A busca é por unir sempre diferentes gerações para manter a continuidade do conhecimento e da sabedoria dos ancestrais africanos

http://www.cultura.rs.gov.br/v2/2014/08/comunidade-quilombola-de-triunfo-se-torna-ponto-de-cultura/— com João Pontes.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

ASSOBECATY–PERMANECE COM ACENTO NO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE GRAVATAI

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 8, 2014 at 2:23 am
logo Revista Conexão Afro 08 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

A participação da ASSOBECATY, no Conselho de Saúde de Gravatai, acontece desde  maio de 2012, quando a entidade realizou no municipio o Projeto Piloto  Roda de Conversa o Batuque do Sul Promovendo a Vida Na ocasião foi solicitado um acento para a cabeça da Rede Estadual úcleo de Ilês Afro Aids. Associação  reafirma seu interesse de manter o acento no CONSELHO MUNICIPAL DE SAUDE DE GRAVATAI, o Conselheiro que representa a entidade no conselho o Sr. Geraldo Leal , vai ser substituído pelo senhor Marco Antônio Oliveira de Almeida. A avaliação, aconteceu na sexta feira 08/08 na sede da entidade onde houve avaliação e reafirmação do interesse manter o acento para contribuir nas decisões das políticas de saúde e fortalecer o controle social..

Foto: ASSOBECATY reafirma seu interesse de manter o acento no CONSELHO MUNICIPAL DE SAUDE DE GRAVATAI, o  Conselheiro que representa a entidade no conselho o Sr. Geraldo Leal , vai ser substituído pelo senhor  Marco Antônio Oliveira de Almeida. A  avaliação,  aconteceu na sexta feira 08/08 na sede da entidade onde houve avaliação  e reafirmação do interesse  manter o acento para contribuir nas decisões das políticas de saúde e fortalecer o controle social..

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Nota de Falecimento Mãe Sylvia de Oxalá

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 8, 2014 at 12:17 am

logo Revista Conexão Afro 8 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil4 de Agosto de 2014Nota de Falecimento

É com profundo pesar e tristeza que comunicamos o falecimento da Iyálorixá Sylvia Egydio de Oxalá, líder de um dos mais antigos e tradicionais terreiros de São Paulo, o Axé Ilê Obá, o primeiro a ser reconhecido como patrimônio cultural do Estado.

A partida de Mãe Sylvia é uma significante perda para o candomblé paulistano e nacional. Rogamos que seja recebida por nossos ancestrais e com eles permaneça, fortalecendo assim a espiritualidade do povo de santo do Brasil. Assim como todo Ialorixá, Mãe Sylvia sera velada no Terreiro que liderava.  

''Se awo kikun, awo kirun, nse awo mawo si Itula Ile Awo!"
(Os iniciados no mistério não morrem, os iniciados no mistério não desaparecem, os iniciados no mistério vão para o Itulá!)

Paulista nascida na liberdade, uma pessoa
de fibra, concentrada, estudiosa e trabalha-dora, com formação acadêmica multidis-ciplinar: enfermagem, administração, relações internacionais, empre-sária de sucesso, mas nascida, preparada e destinada a ser Ialorixá e substituir Pai Caio de Xangô, na importante tarefa de preservar 
e ensinar o modo de vida, a valorização 
e desestigmatização da religião da orixalidade - 
o Candomblé.

Assim, em 1986, assume seu destino Mãe Sylvia de Oxalá à frente do Axé Ilê Oba - A Força da Casa do Rei. Seu destino foi confirmado por diversos pais e mães de santo, seguiu, então, o que lhe apontou Mãe Menininha do Gantois: “Você agora vai fazer suas obrigações para ser ialorixá, vai deixar a casa onde mora para viver na casa de candomblé, não vai mais trabalhar para fora e vai se dedicar plena e exclusivamen-te para a orixalidade. Se precisar de qualquer coisa nessa vida, não se preocupe: ela vai chegar até você”. 

Com o desencarne de Pai Caio de Xango, Mãe Sylvia Oxalá foi confirmada por Pai Air de Oxoguiã, babalorixá de Pilão de Prata, na Bahia. ara as necessárias mudanças para que o respeito seja estabelecido, e que se rompa com todo e qualquer tipo de preconceito e discriminação. 

Sua vocação é trabalhar para divulgar e melhorar cada vez mais o ambiente em que orbita, ensinando e apontando para as necessárias mudanças para que o respeito seja estabelecido, e que se rompa com todo e qualquer tipo de preconceito e a disriminação.
Seus trabalhos sociais já lhe renderam incontáveis prêmios e homenagens no Brasil e no exterior. Tanto preparo para vida renderam a Mãe Sylvia de Oxalá reconhecimento e respeito no Brasil e no exterior. 

Mãe Sylvia de Oxalá atende todas as pessoas que batem à porta do Axé Ilê Obá. Desde as pessoas mais simples até empresários nacionais, interna-cionais, políticos, e pessoas de todo o mundo.

Mãe Sylvia de Oxalá teve sob sua tutela muitos projetos importantes para comunidade:

Instituto Axé Ilê Oba,

Instituto Cultural, Educação, preservação das raízes Africanas Acervo da memória e do viver afro-brasileiro “Caio Egydio de Souza Aranha”

Centro de Documentação e Levantamento da escravidão no Brasil,

*Centro de Educação Infantil Jardim Aeroporto.
Mãe Sylvia de Oxalá através de palestras, ajuda a disseminar uma outra história: a de que a civilização negra é a mais antiga do mundo, tendo 15 mil anos de tradição, e que os faraós, reis do Egito, eram negros. Contar um outro lado da história deste povo como forma de aumentar a auto-estima das crianças afro-brasileiras e de evitar o preconceito das brancas. 

Mãe Sylvia de Oxalá recebeu inúmeras homenagens e prêmios por seu valoroso trabalho de defesas das tradições e atuação em obras sociais junto à comunidade.

Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo. 
(13 de maio de 1998). 

O diploma de Gratidão de São Paulo e a Medalha Anchieta em ano de 1998 em razão das obras sociais realizadas pelo Axé Ilê Obá desde o início de sua gestão. Por esta mesma razão o Axé Ilê Obá foi declarado órgão de utilidade pública em 1991 e tombado também pelo SPHAM.

“Prêmio Niños de la Calle” em Madrid por seu trabalho junto aos menores carentes.

“Prêmio Humanista” da Universidade de Moscou.

“Prêmio Ambientalista - Humanitas” oferecido pela CETESB “Prêmio de Recuperação das Crianças Carentes” em Diadema e São Bernardo do Campo.

Fonte: Casa de Oxumarê

Nota de Falecimento

É com profundo pesar e tristeza que comunicamos o falecimento da Iyálorixá Sylvia Egydio de Oxalá, líder de um dos mais antigos e tradiciona…is terreiros de São Paulo, o Axé Ilê Obá, o primeiro a ser reconhecido como patrimônio cultural do Estado.

A partida de Mãe Sylvia é uma significante perda para o candomblé paulistano e nacional. Rogamos que seja recebida por nossos ancestrais e com eles permaneça, fortalecendo assim a espiritualidade do povo de santo do Brasil. Assim como todo Ialorixá, Mãe Sylvia sera velada no Terreiro que liderava.

”Se awo kikun, awo kirun, nse awo mawo si Itula Ile Awo!"
(Os iniciados no mistério não morrem, os iniciados no mistério não desaparecem, os iniciados no mistério vão para o Itulá!)

Paulista nascida na liberdade, uma pessoa
de fibra, concentrada, estudiosa e trabalha-dora, com formação acadêmica multidis-ciplinar: enfermagem, administração, relações internacionais, empre-sária de sucesso, mas nascida, preparada e destinada a ser Ialorixá e substituir Pai Caio de Xangô, na importante tarefa de preservar
e ensinar o modo de vida, a valorização
e desestigmatização da religião da orixalidade –
o Candomblé.

Assim, em 1986, assume seu destino Mãe Sylvia de Oxalá à frente do Axé Ilê Oba – A Força da Casa do Rei. Seu destino foi confirmado por diversos pais e mães de santo, seguiu, então, o que lhe apontou Mãe Menininha do Gantois: “Você agora vai fazer suas obrigações para ser ialorixá, vai deixar a casa onde mora para viver na casa de candomblé, não vai mais trabalhar para fora e vai se dedicar plena e exclusivamen-te para a orixalidade. Se precisar de qualquer coisa nessa vida, não se preocupe: ela vai chegar até você”.

Com o desencarne de Pai Caio de Xango, Mãe Sylvia Oxalá foi confirmada por Pai Air de Oxoguiã, babalorixá de Pilão de Prata, na Bahia. ara as necessárias mudanças para que o respeito seja estabelecido, e que se rompa com todo e qualquer tipo de preconceito e discriminação.

Sua vocação é trabalhar para divulgar e melhorar cada vez mais o ambiente em que orbita, ensinando e apontando para as necessárias mudanças para que o respeito seja estabelecido, e que se rompa com todo e qualquer tipo de preconceito e a disriminação.
Seus trabalhos sociais já lhe renderam incontáveis prêmios e homenagens no Brasil e no exterior. Tanto preparo para vida renderam a Mãe Sylvia de Oxalá reconhecimento e respeito no Brasil e no exterior.

Mãe Sylvia de Oxalá atende todas as pessoas que batem à porta do Axé Ilê Obá. Desde as pessoas mais simples até empresários nacionais, interna-cionais, políticos, e pessoas de todo o mundo.

Mãe Sylvia de Oxalá teve sob sua tutela muitos projetos importantes para comunidade:

Instituto Axé Ilê Oba,

Instituto Cultural, Educação, preservação das raízes Africanas Acervo da memória e do viver afro-brasileiro “Caio Egydio de Souza Aranha”

Centro de Documentação e Levantamento da escravidão no Brasil,

*Centro de Educação Infantil Jardim Aeroporto.
Mãe Sylvia de Oxalá através de palestras, ajuda a disseminar uma outra história: a de que a civilização negra é a mais antiga do mundo, tendo 15 mil anos de tradição, e que os faraós, reis do Egito, eram negros. Contar um outro lado da história deste povo como forma de aumentar a auto-estima das crianças afro-brasileiras e de evitar o preconceito das brancas.

Mãe Sylvia de Oxalá recebeu inúmeras homenagens e prêmios por seu valoroso trabalho de defesas das tradições e atuação em obras sociais junto à comunidade.

Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo.
(13 de maio de 1998).

O diploma de Gratidão de São Paulo e a Medalha Anchieta em ano de 1998 em razão das obras sociais realizadas pelo Axé Ilê Obá desde o início de sua gestão. Por esta mesma razão o Axé Ilê Obá foi declarado órgão de utilidade pública em 1991 e tombado também pelo SPHAM.

“Prêmio Niños de la Calle” em Madrid por seu trabalho junto aos menores carentes.

“Prêmio Humanista” da Universidade de Moscou.

“Prêmio Ambientalista – Humanitas” oferecido pela CETESB “Prêmio de Recuperação das Crianças Carentes” em Diadema e São Bernardo do Campo.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

COMISSÃO DE ORGANIZAÇÃO DIVULGA A 10º EDIÇÃO DO ENCONTRO REGIONAL SUL DE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS EM PORTO ALEGRE

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 7, 2014 at 1:28 am

logo Revista Conexão Afro 07 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil4 de Agosto de 2014
Aconteceu no dia 07 de agosto deste ano, no auditório do Hotel Continental na cidade de Porto Alegre, a divulgação do 10º ENCONTRO REGIONAL SUL DE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS.
Na ocasião a Sra. Cleonice Araujo organizadora do evento e Coordenadora da ONG Construindo Igualdade da cidade de Caxias do Sul, apresentou o cartaz do evento, destacou a importância da cidade em sediar o Regional e estendeu o convite a todos.
Estavam presentes a psicóloga Sra. Helen Dalla Santa Prux representando a Secretária de Saúde do Município de Caxias do Sul, Sr. Marcio Beloc Chefe de Gabinete da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul representando a Secretária, Sra. Marina Reidel Coordenadora Estadual de políticas LGBT da Secretaria de Direitos Humanos do Rio Grande do Sul, o Sr. Ivo Brito representando o Ministério da Saúde Departamento de DST Aids e Hepatites Virais, entre outros convidados.
O Regional acontece de 24 a 27 de setembro deste ano, nas dependências do Hotel Samuara no município de Caxias do Sul, onde estarão presentes representantes dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.
Serão realizadas durante os dias do encontro palestras, mesas redondas e oficinas com palestrantes vindos de diversas regiões do país, reforçando que pela primeira vez na história do Encontro Regional Sul o interior sediará tal acontecimento, tornando a cidade pioneira na realização deste feito.
O objetivo deste encontro é articular, debater e deliberar as demandas a nível estadual e regional, além de avaliar e propor políticas públicas que garantam o exercício da cidadania plena para os três segmentos historicamente marginalizados e excluídos da população brasileira, sendo eles: as Travestis, mulheres e homens Transexuais.
Com isso, também será possível propiciar um debate sobre a saúde e os direitos humanos das travestis e transexuais, realizando um encontro multidisciplinar, onde os representantes dos estados presentes poderão fortalecer o movimento a nível regional, levando suas demandas para o Encontro Nacional que ocorrerá na Paraíba no próximo ano. Aos interessados em participar do evento, poderão contatar com a assessora da ONG Sra. Patriane através do telefone (54) 99849958.

— com Ana Paula Stock e outras 9 pessoas.

Foto de Ong Construindo Igualdade.

Foto de Ong Construindo Igualdade.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Pedra de Xangô é tema de seminário no Espaço Cultural da Barroquinha

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 6, 2014 at 11:13 pm
logo Revista Conexão Afro 06 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Pedra de Xangô é tema de seminário no Espaço Cultural da Barroquinha

Publicada em 05/08/2014 15:00:14

O Espaço Cultural da Barroquinha recebe, nesta quarta-feira (6/8), a partir das 14h, o seminário “Pedra de Xangô – Território Sagrado”. O evento é realizado pela Prefeitura, através da Fundação Gregório de Mattos e a entrada é franca.

A Pedra de Xangô está localizada nas imediações de Cajazeiras, na Av. Assis Valente, estrada que liga a região de Fazenda Grande I e II, Boca da Mata e Estrada Velha do Aeroporto. O local possui grande importância para os seguidores de religiões de matriz africana.

O seminário pretende mostrar a importância da Pedra de Xangô bem como buscar a conscientização da sociedadepara a preservação e tombamento do monumento natural e o seu entorno.

A programação do evento conta com a participação de autoridades, profissionais, personalidades e estudiosos da temática negra, a exemplo da secretária Municipal da Reparação, Ivete Sacramento; do presidente da FGM, Fernando Guerreiro; do arquiteto e professor da UFBA Fábio Velame, entre outros.

Anote
Seminário “Pedra de Xangô – Território Sagrado”
Data: 6 de Agosto
Hora: 14h
Local: Espaço Cultural da Barroquinha
Entrada Gratuita

Programação

14h: Abertura
Ivete Sacramento – Secretária Municipal da Reparação
Fernando Guerreiro – Presidente da Fundação Gregório de Mattos

14h20: Apresentação Musical
Cântico para Xangô – Associação Pássaro das Águas – Mãe Iara de Oxum

Palestras

14h40: “Territórios de Candomblé. Entre o visível e o invisível na Cidade de Salvador”

Fabio Velame – Doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia (FAUFBA), professor adjunto I do Departamento da FAUFBA.

15h: “Desenvolvimento na contramão das tradições das comunidades de terreiros”
Sueli Conceição – Mestre em Estudos Étnicos e Africanos pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia e doutoranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), licenciada em Biologia.

15h20: “Pedra de Xangô: Conhecer para preservar”

Jassilene Nascimento – Filha de Iansã, Ekede de Xangô do Terreiro Ilê Axé Ibá Lugan, representante da Associação Pássaro das Águas, pesquisadora da NGALC/UNEB, pós-graduada em Gestão Pública.

15h50: ‘A importância do meio ambiente para o Candomblé”

Walter Rui Pinheiro – Asógun do Ilê Axé Oyá Tunjá, coordenador geral da Irmandade Beneficentes de Ojés, Ogans e Tatas (SIOBÁ).

16h10: “Santuários Perdidos”

Everaldo Duarte – Economista, diretor da Sociedade da Cultura Negra do Brasil (SECNED), coordenador nacional do Instituto Nacional de Tradição e Cultura Afro-Brasileira (INTECAB), escritor, dramaturgo, educador e griot, contador de histórias e estórias, Agbagigan do Terreiro do Bogun.

16h30: Debates

17h30: Exposição de Fotografias

Ray e Lara Carvalho

17h40: Encerramento

Musical Afro

18h: Coquetel

FONTE http://www.tribunadabahia.com.br/2014/08/04/pedra-de-xango-tema-de-seminario-no-espaco-cultural-da-barroquinha

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Casa de Cultura Salvador Ligabue comemora os 434 anos da Freguesia do Ó

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 5, 2014 at 12:56 am
logo Revista Conexão Afro 05 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

A Casa de Cultura Salvador Ligabue vem com programação especial para o mês de agosto. Em comemoração aos 434 anos da Freguesia do Ó, serão promovidas atrações nas áreas de artes visuais, dança, música e teatro. A entrada é Catraca Livre.

Destaque para o espetáculo de dança “Seu Nome: Dita”, que marca a abertura do evento no dia 23. O público também pode conferir a exposição “Freguesia do Ó – 434 Anos de História e Tradição”, entre 19 de agosto a 1º de setembro, com amostra de fotos antigas do acervo do espaço cultural.

O evento ainda conta com a 10ª Edição do “Encontro dos Artistas Plásticos”, que traz obras de artistas da região, entre 19 de agosto a 6 de setembro. Para o fechamento da programação, a instituição preparou diversos shows musicais e atividades no Largo da Matriz.

A Casa de Cultura Salvador Ligabue funciona de terça a sexta das 9h às 18h e aos finais de semana os horários variam de acordo com a programação. Mais informações na página do Facebook.

De 19 de agosto a 1º de setembro
Exposição Freguesia do Ó – 434 anos de História e Tradição

De 19 de agosto a 6 de setembro
10º Encontro dos Artistas Plásticos

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Grupos do interior do país se apresentam na unidade de Campinas de 05 a 08/08, sempre às 20h. Os shows têm entrada gratuita

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 4, 2014 at 5:29 pm

logo Revista Conexão Afro 4 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil4 de Agosto de 2014

Grupos do interior do país se apresentam na unidade de Campinas de 05 a 08/08, sempre às 20h. Os shows têm entrada gratuita

Grupo "Raízes do Bolão", do Amapá, se apresenta no Sesc CampinasEm sua 16ª edição, o projeto "Sonora Brasil" do Sesc traz como tema “Tambores e Batuques” e passa por Campinas esta semana, de 5 a 8 de agosto, com shows gratuitos sempre às 20h.
Os quatro grupos convidados levam para o palco instrumentos fabricados artesanalmente, de acordo com as tradições de suas comunidades, e apresentam cânticos que falam da vida, do trabalho e das crenças.
Na terça (5), Raízes do Bolão, do quilombo do Curiaú, no Amapá, traz o marabaixo e o batuque. Do Rio Grande do Sul vem o único dos quatro grupos que não tem origem em uma comunidade quilombola, o Alabê Ôni, formado por músicos pesquisadores da cultura negra que recuperam a história do Tambor de Sopapo, se apresenta na quarta (6). Da região de Cametá no Pará, Samba de Cacete da Vacaria se na quinta (7). O samba de roda aparece com o grupo Raízes do Samba de Toco, da cidade de Antônio Cardoso, na Bahia na sexta (8).
O projeto “Sonora Brasil – Formação de Ouvintes Musicais” desenvolve programações identificadas com a história da música no Brasil.

Confira a programação:

05/08: Raízes do Bolão (Amapá)
O grupo vive no quilombo do Curiaú, área rural de Macapá (AP), onde canta os ladrões (cânticos) e dança embalado pelos tambores de marabaixo, pelos batuques (bandaias) tocados em tambores cavados em tronco de árvore e em pandeirões que remetem a influências da cultura moura.
Horário: 20h
Entrada: gratuita
Classificação indicativa: livre. Retirada de ingressos limitados na Central de Atendimento no dia da atividade
06/08: Alabê Ôni (Rio Grande do Sul)
O grupo gaúcho é formado por músicos pesquisadores que se dedicam à história do tambor de sopapo — o Grande Tambor, com repertório de maçambiques, quicumbis, alujás e candombes, manifestações da cultura negra gaúcha ligadas à tradição religiosa e profana. Com Richard Serraria, Mimmo Ferreira, Pingo Borel e Kako Xavier.
Horário: 20h
Entrada: gratuita
Classificação indicativa: livre. Retirada de ingressos limitados na Central de Atendimento no dia da atividade.
07/08: Samba de Cacete da Vacaria (Pará)
O grupo paraense é formado, em sua maioria, por moradores da zona rural de Cametá (PA) que vivem da produção agrícola e participam regularmente de atividades sociais nas quais se pratica o samba de cacete. No palco, tamboureiros e cantadeiras/sambadeiras são acompanhados por dois “tambouros” e mais um percussionista, todos sob a liderança do Mestre Benedito Moia.
Horário: 20h
Entrada: gratuita
Classificação indicativa: livre. Retirada de ingressos limitados na Central de Atendimento no dia da atividade.
08/08: Raízes do Samba de Tocos (Bahia)
Representando a tradição do samba de roda da Bahia, o grupo foi organizado há sete anos a partir de laços familiares e amizades entre vizinhos na região rural da cidade de Antônio Cardoso (BA). Liderado pelo Mestre Satu, o grupo se apresenta em eventos locais, geralmente de caráter profano, e em algumas festividades religiosas, principalmente ligadas a São Cosme e São Damião.
Horário: 20h
Entrada: gratuita
Classificação indicativa: livre. Retirada de ingressos limitados na Central de Atendimento no dia da atividade.

Serviço:

Projeto “Sonora Brasil”
Local: Teatro do Sesc Campinas. Rua Dom José I, 270/333, bairro Bonfim. (19) 3737-1500

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Batuque e tradição quilombola são atrações até sexta no Sesc Campinas

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 3, 2014 at 11:05 pm

logo Revista Conexão Afro 3 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil4 de Agosto de 2014

Grupos do interior do país se apresen

A apresentação do evento ‘Sonora Brasil’ acontece de terça (5) à sexta (8).
Tambores artesanais de grupos do interior do país são destaques gratuitos.

Do G1 Campinas e Região

Grupo Alabê Ôni se apresenta na noite de quarta-feira (6) (Foto: Laureano Bittencourt)Alabê Ôni se apresenta na noite de quarta-feira (6)
e revive tradição (Foto: Laureano Bittencourt)

Tambores de comunidades quilombolas compõem a programação cultural a partir desta terça-feira (5) no teatro do Sesc Campinas (SP). O programa "Sonora Brasil – Formação de Ouvintes Musicais" realiza quatro apresentações, até sexta-feira (8) e destaca o movimento quilombola através da tradição musical dos tambores artesanais. Os shows acontecem às 20h em todos os dias da programação e a entrada é gratuita. Os ingressos devem ser retirados no dia da apresentação.

Ao todo, quatro grupos fazem parte das apresentações musicais. Os primeiros a se apresentarem são os músicos do Raízes do Bolão, que abrem a programação nesta terça (5). Eles destacam o quilombo do Curiaú (AP). Do outro lado do país, vem o representante do Rio Grande do Sul (RS). O Alabê Ôni  faz seu show na quarta (6) e é formado por músicos pesquisadores da cultura negra.

Para fechar a programação, na quinta (7), é a vez do Samba de Cacete da Vacaria se apresentar. O grupo é oriundo da região do Cametá (PA). Na sexta (8), a banda Raízes do Samba de Tocos finaliza o evento cultural. De Antônio Cardoso (BA), os músicos têm como destaque o samba de roda.  

Serviço
O quê: Projeto Sonora Brasil
Quando: de terça (5) à sexta (8)
Onde: Teatro do Sesc Campinas
Entrada: gratuita

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

PREFEITURA E SECRETARIA ESTADUAL DA SAÚDE REALIZAM 1º ENCONTRO AIDS E RELIGIÕES

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 2, 2014 at 1:29 am
logo Revista Conexão Afro 02 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

A Prefeitura Municipal do Rio Grande junto com a Secretaria Estadual de Saúde realizou neste sábado (02), no Salão Nobre, o 1º Encontro Aids e Religiões. Este, organizado pela Seção de Controle de DST/ AIDS do Rio Grande do Sul enfatizou a importância do debate e do envolvimento da sociedade no diálogo sobre o papel que as religiões e as igrejas desempenham no dia a dia dos cidadãos envolvidos com a doença.

Os encontros realizados pela Secretaria Estadual de Saúde são realizados em parceria com  o Fórum ONG Aids RS,  a Rede Nacional de Pessoas Vivendo com  HIV Aids e a Rede Cidadãs Positivas. Assim, visam a criar  em cada município, Grupos de Trabalho (GT) a fim de fortificar a articulação das lideranças religiosas que atuam no campo da Aids, fortalecendo assim a diminuição das infecções e das mortes, bem como a sensibilização, orientação e informação da população.

De acordo com o representante do Programa Estadual DST/ AIDS, Jaír Andrade, a ação tem por finalidade  motivar o enfrentamento de uma das doenças mais sérias vividas atualmente; é fundamental que os profissionais de saúde municipais estejam engajados nessa proposta para que a ação tenha continunuidade.

Já a secretária Municipal de Saúde, Vera Elisabeth da Silva, relembrou o inicio das ações realizadas em Rio Grande, na década de 90, pela Igreja Católica e destacou os avanços que foram realizados até os dias de hoje. Além disso, frisou que Rio Grande é referencia, no tratamento da Aids, com o Hospital Universitário.   

O bispo diocesano Dom José Mário ressaltou a importância do seminário para a comunidade rio-grandina já que a incidência de AIDS no município é muito alta.  Explicou a importância da religião na vida das pessoas pois a crença e a espiritualidade fazem parte da saúde. Além disso, falou da importância de ter uma vida de compreensão, harmonia e solidariedade para que dessa forma todos os cidadãos possam viver em harmonia.

A representante do Grupo de Trabalho e Religião, Mãe Carmen, informou que o GT irá fortalecer a todos envolvidos nessa causa, principalmente aqueles que descobriram recentemente a doença. Ainda comentou que este irá sustentar e nortear a todos além de amadurecer e encontrar uma resposta para essa situação.

Já o representante da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV AIDS, José Hélio Freitas, frisou que a religião traz a resposta necessária já que quando é descoberta a doença muitos perdem o rumo de suas vidas.

O prefeito Alexandre Lindenmeyer desejou que as pessoas se sentissem convidadas a se comprometerem com as questões que envolvem o encontro. “Que o núcleo  formado nesta ocasião seja permanente a fim de que a nossa região esteja cada vez mais envolvida em ações e respostas a fim de beneficiar os cidadãos” comentou.

PROGRAMAÇÃO REALIZADA NO 1º ENCONTRO AIDS E RELIGIÕES

A programação contou com o Histórico do Grupo de Trabalhos Aids e Religiões e com a conferencia Desafios que a epidemia apresenta para a resposta brasileira: um olhar a partir da realidade local.

Além disso, contou com uma Mesa de Exposição com as matrizes religiosas. Nesse espaço foram  debatida as seguintes questões: Como a matriz religiosa responde a epidemia das DSTs/HIV e Aids? Quais as principais ações? Quais as principais dificuldades e desafios?

Após, foi realizado oficinas por Grupos de Trabalho com os temas:O que é Aids?O que o grupo entende por prevenção ao HIV e Aids?Qual o impacto do HIV na vida das pessoas?Como religião/igreja, de que forma podemos contribuir na resposta à epidemia?                                

No final do encontro foi criado um Grupo de Trabalho a fim de que os assuntos e as questões debatidas tenham continuidade.  

Redigido por Mirela Pinho

Fotos da Notícia

FONTE:  http://www.riogrande.rs.gov.br/pagina/index.php/noticias/detalhes+d9c058,,prefeitura-e-secretaria-estadual-da-saude-realizam-1-encontro-aids-e-religioes-.html#.U94lpvldXUU

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Editar esta entrada.

Mostra de Criadoras em Moda: Mulheres Afro-Latinas

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 2, 2014 at 12:23 am

logo Revista Conexão Afro 2 de Agosto –Guaíba- RS –Brasil

Sesc Interlagos recebe no próximo sábado, dia 9 de agosto, a Mostra de Criadoras em Moda: Mulheres Afro-Latinas que promove o cenário da moda independente feita por mulheres negras da cidade de São Paulo.

O evento homenageia o dia 25 de julho – dia da mulher negra latino-americana e caribenha -, e traz luz à moda de comportamento e da cultura afro-latina produzida por mulheres.

As criações autorais são influenciadas pela valorização da ancestralidade de matriz africana, ligada às vestes contemporâneas.

Modelos vestindo as criações dos ateliês participantes da Mostra de Criadoras em Moda Afro-Latinas.

O desfile conta com os ateliês Xongani, Abayomi, Cynthia Mariah e WAPI África Plus Size-FWB, visando valorizar estas empreendedoras e oferecer visibilidade às mulheres criadoras e para apresentar e musicalizar o evento, contaremos com a DJ Luana Hansen que traz em suas produções e composições musicais referências do Rap ao afrobeat.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655