Revista Online Conexao Afro

Archive for Março, 2012|Monthly archive page

Saúde nos terreiros – Mansu Nangetu oferece serviços de saúde no dia 5 de abril de 2012

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 31, 2012 at 2:36 am

N°o1- 31 de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

de Etétuba

A programaçãoacontece no Mansu Nangetu das 16 as 19h do dia 5 de abril faz parte da Semanaem comemoração ao dia 7 de abril – o DIA MUNDIAL DA SAÚDE  – e é promovida pelo Movimento Popular deSaúde – MOPS-PA, com a participação do LESBIPARÁ e Instituto Nangetu.

Neste dia osconvidados poderão fazer coleta de glicemia e verificação de pressão arterial, eainda participar de conversas sobre prevenção de doenças e promoção da saúde e,claro, com tudo isso vem também a promoção do bem estar psicológico e social.

Ao finalhaverá uma sessão do cineclube especialmente pensado para discutir violência, intolerância e promoção da cultura depaz.

A programaçãoacontece no Mansu Nangetu das 16 as 19h do dia 5 de abril faz parte da Semanaem comemoração ao dia 7 de abril – o DIA MUNDIAL DA SAÚDE  – e é promovida pelo Movimento Popular deSaúde – MOPS-PA, com a participação do LESBIPARÁ e Instituto Nangetu.

Neste dia osconvidados poderão fazer coleta de glicemia e verificação de pressão arterial, eainda participar de conversas sobre prevenção de doenças e promoção da saúde e,claro, com tudo isso vem também a promoção do bem estar psicológico e social.

Ao finalhaverá uma sessão do cineclube especialmente pensado para discutir violência, intolerância e promoção da cultura depaz.

Saúde nos terreiros – Mansu Nangetu oferece serviços de saúde no dia 5

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Anúncios

Balaio de Ideias: Obrigado Ebomi Cidália!

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 30, 2012 at 2:47 am

N°o1- 31 de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Balaio de Ideias: Obrigado Ebomi Cidália!

 

de Cleidiana Ramos

Tata Anselmo faz homenagem a Ebomi Cidália. Foto: Rejane Carneiro/Ag. A TARDE/19.10.2007

Taata dya Nkisi Anselmo Santos Minatojy

Cheguei do funeral de Ebomi Cidália de Iroko com vários questionamentos em mente que me instigam e fazem procurar algum sentido para aqueles pensamentos que insistem em inquietar nossa alma.

A morte tem esse poder de mexer com sua visão de mundo e automaticamente você procura diversas formas de se melhorar enquanto pessoa, pois seu tempo chegará e afinal o que você deveria ter feito que não fez?

Fiquei embasbacado com a quantidade de adeptos do Candomblé que se fizeram presentes para se despedir de Ebomi Cidália. Consegui ver desde respeitados Candomblecistas que desenvolvem um trabalho religioso de vulto e que visa manter e preservar nossa tradição pensando no futuro até alguns pertencentes à nova geração do Candomblé que infelizmente não tem compromisso com a tradição nem com a preservação da mesma, pois são imediatistas, porém, de qualquer maneira fizeram questão de assistir e prestigiar a dignidade de uma senhora que só contribuiu para a valorização do Candomblé.

A minha esperança no futuro do Candomblé está em acreditar que hoje nossa ancestralidade recebendo o reforço de Ebomi Cidália ficará mais fortalecida e certamente com maior poder de iluminar a uma legião de incautos (as), que muitas vezes acabam se equivocando por falta de conhecimentos necessários para contribuir com a difusão de forma mais digna do nosso Candomblé.

Quando você percebe que algumas pessoas vão trocar a benção com você empurrando a mão para sua boca sem nem mesmo lembrar-se do papel hierárquico que representa, preocupe-se, pois esta pessoa esqueceu que a benção é excelente para quem recebe, mas muito significativa também para quem as põe, pois nós apenas representamos nossa divindade nesta terra.

Infelizmente muitas celebridades do Candomblé que se consideram mais divinas do que as próprias divindades para as quais foram consagradas (os) não se deram ao trabalho de acompanhar de perto um adeus poético, digno e tão respeitoso, simplesmente por que não chamariam mais atenção do que quem estava ali para ser sepultada. Desta forma sempre existem compromissos inadiáveis ou resguardos preponderantes que impedem esta interação tão importante e necessária para com a nossa ancestralidade.

O que me conforta é que os Orixás são sábios e benevolentes, pois colocam num determinado local aqueles que realmente são necessários naquele momento, repare que digo necessários e não importantes, pois aos olhos dos Orixás importantes somos todos nós.

Pude perceber o festival de roupas e adereços mirabolantes, porém seus usuários (as) sem nenhuma emoção que nos levasse a perceber que ali estava existindo pelo menos um sentimento de perda.

Poderia levar horas relatando tudo que vi e que me inquietou enquanto povo de santo, Candomblecista convicto e Zelador de Santo, porém a grandeza do Orixá só me permitiu ver as coisas boas edificadas por Ebomi Cidália em sua longa trajetória nesta vida e para nossa glória dentro do Candomblé.

Que o Orixá Iroko tenha lhe tomado as mãos e lhe acolhido em nossa ancestralidade permitindo que sua intensa luz recaia sobre nós que ainda estamos militando com a árdua missão de ver exterminado o racismo, o preconceito e combatendo veementemente a vulgarização de nossas tradições afro-brasileiras que tanto suor e sangue foram consumidos para chegarmos até aqui.

Por isso, dedico um solene OBRIGADO a Ebomi Cidália Soledade:

– Pela humildade que sempre esteve presente em suas atitudes sem jamais permitir ser humilhada;

– Pela sabedoria com que socializou seus conhecimentos religiosos sem em nenhum momento macular os segredos do Candomblé;

– Pelo exemplo de persistência e generosidade, quando, mesmo com dificuldade de locomoção, comparecia aos eventos dando sua brilhante contribuição e nos fazendo orgulhosos de saber que se fossemos esforçados também poderíamos contribuir sempre com a nossa causa;

– Pelo amor que inspirou nas pessoas que tiveram o privilégio de conviver com a senhora;

– Por deixar marcado em nossos corações que a fé no Orixá, o respeito, a humildade e a persistência acabam nos levando a cumprir melhor nossa missão.

Além de todas estas citações, gostaria de agradecer a Ebomi Cidália péla lágrima sentida que vi rolar do rosto de Ebomi Nice de Inhasã ao desabafar comigo e com a Ebomi Vanda Machado de Oxum:

– “E agora, como vou ficar? eu falava com ela todos os dias ao telefone…”

OBRIGADO EBOMI CIDÁLIA, por tudo que a senhora fez enquanto estava entre nós e por tudo que acredito que a senhora fará como nossa ancestral.

Taata dya Nkisi Anselmo Santos Minatojy Terreiro Mokambo (Onzo Nguzo za Nkisi Dandalunda ye Tempo)

 

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

FILME BESOURO RECEBE PREMIO

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 29, 2012 at 4:36 pm

N°o1- 29  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

http://bandodeteatro.blogspot.com.br/2012/03/besouro-ganha-premio-de-melhor-filme-em.html

Parabéns Sergio, Leno, Zebrinha, Pererê e demais, O Filme super merece!!!

"Sou água de cachoeira, ninguém pode me amarrar. Piso firme na corrente que caminho para o mar .Com a força da minha fé, eu ando em qualquer lugar"

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Espetáculo Siré Obá: A festa do Rei encerra apresentações em Comunidades de Santo de Salvador

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 28, 2012 at 11:47 pm

N°o1- 28  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Apresentações integraram o projeto CIA NATA ONÁ ILÚ AYÊ – Saindo para os Caminhos do Mundo, que levou o espetáculo aos terreiros e também à abertura da 2ª Mostra Universitária Salvador de Teatro (MUST)

foto: Susan Kalik | Divulgação

Sire Oba - foto Susan KalikCom o objetivo de desmistificar preconceitos, a Cia. Nata, que já levou o ambiente do Terreiro de Candomblé para o teatro, encerrou com uma bela apresentação no barracão do famoso Terreiro do Gantois, no último domingo (25), o projeto “Oná Ilú Ayê – Saindo para os Caminhos do Mundo”, que promoveu a itinerância do espetáculo teatral "Siré Obá – A Festa do Rei" em quatro Comunidades de Santo da capital baiana.

Aos domingos do mês de março, o público baiano celebrou a grandeza e feitos das divindades africanas que compõem o universo Yorubá, através do teatro, música, poesia e dança afro.  Os convidados puderem conferir a beleza e a filosofia do culto aos Orixás durante as apresentações gratúitas de Siré Obá, que ocorreram nos Terreiros Mokambo, Abassá de Ogum, Ilê Oxumarê e Gantois.

Para a diretora, Fernanda Júlia, “apresentar Siré Obá nas comunidades de Axé foi uma homenagem mais que justa aos orixás e ao povo negro, que há séculos resguardam a nossa herança ancestral afro-brasileira. Que o NATA continue pelos caminhos do mundo. Axé!”.

Susan Kalik, produtora do espetáculo, ressalta a importância da itinerância. “Siré Obá nos terreiros foi encantador! Poder levar esta representação cênica dos Orixás e da Cultura Yorubá às Comunidades de Santo foi um dos projetos mais belos que pude produzir, de suma importância para a preservação e difusão desta cultura ancestral”, afirma.

Ainda em março, extra-Comunidade de Santo, a peça se apresentou ao ar livre, no estacionamento do Teatro Martim Gonçalves, durante a abertura da Mostra Universitária Salvador de Teatro (MUST). Por ora, não há previsão de novas apresentações de Siré Obá.

Informações à imprensa:

COMUNIKA PRESS (71) 3497-5000

Aleksandra Pinheiro | alepinheiro@comunikapress.com.br (71) 9121-5359

Jamile Amine | jamile.amine@comunikapress.com.br (71) 9993-5504


CONEXÃO AFRO
conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Audiência Pública para Debater as cotas para negros nos concursos públicos

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 26, 2012 at 11:38 pm

N°o1- 26  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

SENADO FEDERAL

Secretaria de Comissões

Comissão de Assuntos Sociais- CASEMP

Debater as cotas para negros nos concursos públicos e experiências para novos caminhos será a pauta da Audiência Pública da Subcomissão Permanente em Defesa do Emprego e da Previdência Social na próxima terça-feira (27), às 9 horas, na sala 09, Ala Alexandre Costa, Anexo II, Senado Federal. A reunião será presidida pelo senador Paulo Paim(PT/RS), autor do requerimento da audiência.

Hoje são quatro os Estados que adotaram as cotas no serviço público: Paraná, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. O governo federal através do decreto 4228/2002 estabelece o Plano Nacional de Ações Afirmativas na Administração Pública Federal em cargos de livre nomeação.

Convidados:

1. Georges Lamazière

Diretor-Geral do Instituto Rio Branco – IRBr

2. Carlos César D´Elia

Coordenador da Comissão de Direitos Humanos da Procuradoria-Geral do Estado do

Rio Grande do Sul – PGE/RS

3. Júlio Evangelista Santos Júnior

Coordenador da Coordenadoria de Igualdade Racial de Cubatão/SP

4. Frei David Santos

Diretor Executivo da Educação para Afrodescendentes e Carentes – EDUCAFRO

5. Augusto Werneck

Procurador do Estado do Rio de Janeiro/RJ

6. Eloi Ferreira de Araujo

Presidente da Fundação Cultural Palmares.

Comissão de Assuntos Sociais- Subcomissão Permanente em Defesa do Emprego e da Previdência Social

Praça dos Três Poderes Anexo II – Ala Senador Alexandre Costa, sala 09 – 70165-900 – Brasília DF

Tel: (0xx61) 3303 3515  Fax: (0xx61) 3303 4646

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

O 3º FÓRUM DE LIDERANÇAS NEGRAS RECEBE INSCRIÇÕES E TERÁ COMO TEMA A QUESTÃO DA JUVENTUDE

In Conexão Afro on Março 25, 2012 at 11:56 am

N°o1- 25  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

viewer

Estão abertas as inscrições para o 3º Fórum de Lideranças Negras da Paraíba, que nesta edição acontece no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – IFPB / Campus Campina Grande, no período de 12 a 14 de abril, no Jardim Dinamerica,em Campina Grande e tem como tema central “Juventude Negra – Educação, Saúde,Cultura e Economia Solidária para a Promoção da Igualdade Racial”.

O objetivo é promover o encontro de jovens estudantes, interessadas/os na temática, de todas as instituições e níveis de ensino público e privado, juntamente com professores, pesquisadores, especialistas das diversas áreas do conhecimento, representantes de órgãos governamentais local e nacional, além de ativistas do movimento social negro e interessados no combate ao racismo, contribuindo para o debate sobre os avanços,
desafios e perspectivas das políticas de promoção da igualdade racial, assim como a definição de agenda política para a superação das desigualdades raciais, em especial à juventude negra, no atual contexto sócio-político e econômico.

A programação consta de abertura com o tema: Juventude Negra e as Políticas de Promoção da Igualdade Racial no Combate ao Racismo Institucional, seguida no decorrer do encontro das seguintes mesas temáticas: Mesa 1 – A Implementação da Lei 10.639/2003 e as Cotas Raciais nas Instituições de Ensino – Experiências e Perspectivas; Mesa 2 – Territórios Kilombolas, Religiosidade e Valores Civilizatórios de Matriz Africana – Resistência e Luta; Mesa 3 – A Saúde da Juventude Negra, as
Relações de Gênero e à Livre Orientação Afetivo-Sexual, uma Questão de Eqüidade;
Mesa 4 – Cultura Negra e Economia Solidária na Perspectiva do Etnodesenvolvimento; Mesa 5 – Juventude Negra e a Participação nos Espaços de Poder.

As/os inscritas/os que desejarem apresentar trabalhos poderão fazer um resumo com texto e imagens em banner medindo 1,50m de altura e 0,80cm de largura (sentido vertical), para exposição durante o encontro. Trazer também o resumo em cd para posterior publicação dos anais do encontro. Os/as participantes, com apresentação de trabalhos ou não, receberão certificados.

Já estão confirmados conferencistas como Elio Flores, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Mestre Gilvan Andrade, da Associação Brasileira de Capoterapia / DF, Francimar Fernandes, da Comissão Estadual de Quilombos da Paraíba, Verônica Lourenço, do Conselho Nacional de Saúde e Rede Nacional Sapata de Lésbicas Negras,
Jair Silva, do Movimento Negro de Campina Grande, Lênin Falcão, do Centro Cultural Banco do Nordeste do Brasil / Souza, Ivan Coelho Dantas, da UEPB, Maria Auxiliadora de Almeida Barros, do Fórum Estadual de Economia Solidária da Paraíba, entre outros.

Durante os três dias do encontro haverá também o lançamento de livros e de filmes, a exemplo do DVD “Cinema Negro no Brasil e Caribe – Memórias”, do Centro Afro Carioca de Cinema e contará ainda com a apresentação de show musical do cantor e compositor Escurinho e Banda Labacé.

As inscrições custam 15,00 reais para estudantes e 30,00 reais para profissionais. Elas podem ser feitas através de uma ficha de inscrição, que devem ser preenchidas e enviadas para o e-mail flnegraspb@hotmail.com . Clique aqui para acessar a ficha de inscrição. Mais informações pelo Telefone: 8709-6319.

“O combate à pobreza e à miséria passa pela implementação das políticas de promoção da igualdade racial, em especial para a juventude negra, haja vista que de cada 20 jovens vítimas de homicídios na Paraíba hoje, 19 são negros, daí a necessidade da participação e contribuição de todos neste debate e definição de agenda política, pela melhoria da qualidade de vida da juventude, no combate ao racismo institucional”,
destacou Carlos Henriques – Coordenador Geral da Malungus e do 3º Fórum de Lideranças Negras da Paraíba.

O 3º FLN-PB é uma iniciativa da Malungus – Organização Negra da Paraíba, em parceria com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB de Cultura); Fundação Cultural Palmares / MINC; Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba – IFPB, Prefeitura Municipal de Campina Grande; Federação das Indústrias do Estado da Paraíba, entre outras.

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  3

Agora sim: dia 15 de Novembro DIA NACIONAL DA UMBANDA‏

In Conexão Afro on Março 24, 2012 at 8:53 am

N°o1- 24  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Acabo de ser informada que a Comissão de Educação do Senado Federal, instituiu ontem, 20/03/2012, o dia 15 de Novembro como DIA NACIONAL DA UMBANDA.

Gratidão e agradecimentos mais do que especiais ao ex-deputado Carlos Santana (RJ) que entrou com o Projeto, ao amigo, irmão e deputado federal Vicentinho do PT (SP) que desde o primeiro momento abraçou a causa da comunidade umbandista, ao seu chefe de gabinete Paulo César pelo empenho e correria durante a última semana, e aos companheiros Cássio Ribeiro e Josa Queiroz presidente e vice da FUCABRAD, pelas inúmeras reuniões e idas à Brasília, e por acreditarem no nosso sonho.

Que nosso Pai Maior os abençoe. Hoje e sempre !!!

“Um sonho que se sonha só, é só um sonho, um sonho que se sonha junto, é realidade” (Paulo Freire)

Sandra Santos

Presidente da

AUEESP


"Umbanda é Linda;
Umbanda é Tudo de Bom;
Umbanda é Religião,
Portanto Só Pode Praticar o BEM!!!"
Alexandre Cumino


CONEXÃO AFRO
conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Dia Nacional da Umbanda está aguardando parecer 2012

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 23, 2012 at 8:19 am

N°o1- 23  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

PARECER Nº , DE 2012
Da COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE, em caráter terminativo, sobre o Projeto
de Lei da Câmara nº 187, de 2010 (Projeto de Lei nº 5.687, de 2005, na origem), do Deputado Carlos
Santana, que institui o Dia Nacional da Umbanda. 

RELATORA: Senadora ANA RITA
I – RELATÓRIO
O Projeto de Lei da Câmara (PLC) nº 187, de 2010 (Projeto de Lei nº 5.687, de 2005, na origem), do Deputado Carlos Santana, propõe, conforme seu art. 1º, instituir o Dia Nacional da Umbanda, a ser comemorado, anualmente, em 15 de novembro.

O segundo e último artigo determina, por sua vez, o início da vigência da lei na data de sua publicação.

Na justificação, ressalta o autor, inicialmente, o direito constitucional à liberdade de crença e ao livre exercício dos cultos religiosos, conforme o inciso VI do art. 5º da Carta Magna. Discorre, em seguida, sobre a origem e a difusão da religião umbandista no País. Trata-se de uma religião
genuinamente brasileira, mas com raízes, entre outras, africanas, que se constituiu no início do século passado.

A data de 15 de novembro, já consagrada à comemoração da umbanda em diversos municípios brasileiros, reporta-se ao dia, do ano de 1908, em que o médium Zélio Fernandino de Moraes recebeu, em Niterói, a missão de fundar o novo culto.

Aprovada na Câmara dos Deputados, a proposição foi encaminhada à análise e deliberação, em caráter terminativo, da Comissão de Educação, Cultura e Esporte, onde não foram oferecidas emendas.

II – ANÁLISE
Compete à Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), de acordo com o art. 102, II, do Regimento Interno do Senado Federal (RISF), opinar a respeito de proposições que tratem de datas comemorativas, a exemplo da que ora examinamos.

Face aos critérios estabelecidos pela Lei nº 12.345, de 9 de dezembro de 2010, e à consulta formulada pela CE, por meio do Requerimento nº 4, de 2011, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) manifestou-se, em parecer, a respeito do tratamento a ser dado a proposições de tal teor no Senado Federal.

O Projeto de Lei da Câmara nº 187, de 2010, foi apresentado em data anterior à da edição da Lei nº 12.345, de 2010, devendo, portanto, ser considerado válido e, ademais, isento da comprovação do atendimento às novas regras processuais, conforme definido pelo item “d” do voto do mencionado parecer da CCJ. Frisa, contudo, o mencionado item, que a proposição deve atender ao critério previsto no art. 1º da Lei nº 12.345, de 2010, a saber, o de sua alta significação para a sociedade brasileira.

A umbanda, religião nascida no Brasil, apresenta expressiva difusão no seio de nossa população. A adesão a esse culto eminentemente sincrético não se incompatibiliza, inclusive, com a filiação a cultos mais tradicionais, tais como o catolicismo e o espiritismo kardecista.

A religião umbandista valeu-se de elementos católicos, espíritas e do candomblé, e até mesmo de outras tradições místicas, para criar uma doutrina que, em suas diversas variantes, afirma a existência de um Deus supremo e a possibilidade de comunicação com os espíritos dos mortos.

Também é esposada, coerentemente, a crença na imortalidade e na evolução da alma, favorecida esta pelo auxílio dos guias espirituais e pela prática do amor e da caridade.

A umbanda expressa vivamente seu caráter nacional, juntamente com suas raízes africanas, nas manifestações cultuais, que incorporam a música e a dança.

Após décadas em que sofreu perseguição policial, juntamente com outros cultos afro-brasileiros, a umbanda conquistou e consolidou seu espaço na sociedade nacional, revelado publicamente, entre outras ocasiões, nas festas de ano novo.

É certo que, por sua dimensão religiosa e por seu significado cultural, a umbanda faz jus ao reconhecimento oficial do Estado brasileiro, consagrado na instituição de uma data nacional para sua comemoração. 

Avaliamos, assim, que o PLC nº 187, de 2010, deve, quanto ao mérito, ser aprovado, atendendo também aos requisitos de constitucionalidade, de juridicidade e de adequação ao Regimento da Casa e à técnica legislativa.

III – VOTO
Conforme o exposto, o voto é pela APROVAÇÃO do Projeto de Lei da Câmara nº 187, de 2010 (Projeto de Lei nº 5.687, de 2005, na origem).

Sala da Comissão,
, Presidente
, Relatora

CONEXÃO AFRO
 conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

ma

Hoje na História, 1969, Dia Internacional de Luta Contra o Racismo

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 21, 2012 at 1:09 pm

N°o1- 21  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

"DEVE SER LEGAL SER NEGÃO NO SENEGAL"- CHICO CÉSAR

21-de-marçoO dia 21 de março foi uma data instituída pela ONU em 1969 para defendemos a igualdade dos povos. Do ponto de vista histórico, a data surgiu logo depois do massacre ocorrido na cidade de Sharpeville na África do Sul quando a polícia do Apartheid matou 69 negros e feriu 180, no dia 21 de março de 1960. Além disto, a data serve como alerta para aqueles que ingenuamente acreditam na superioridade de raças, pois é preciso que todos se conscientizem da importância de lutarmos pela fraternidade,harmonia entre os seres humanos e a ideia da unicidade biológica da espécie humana.

No mundo moderno, o racismo é uma forma de escravizar o ser humano, admitindo conceitos que impedem a realização da dignidade humana. Nesse sentido esta data é uma forma da humanidade pensar no preconceito racial que impera no mercado de trabalho e nos lares de nossas casas através da televisão, sobretudo no cotidiano dos brasileiros que não assumem geralmente o seu racismo. Ainda hámuitosbrasileiros que preferem acreditar que a sociedade não tem racismo, dizendo que nós somos uma sociedade marcada pela igualdade das raças. Será que somos realmente o que Gilberto Freire escreveu no livro Casa Grande e Senzala?

No Brasil, o Movimento Negro vem lutando para afirmar a nossa cidadania desde os tempos dos navios negreiros. O desejo é um só: que brancos e negros vivam com dignidade e igualdade, apesar dos governantes conservadores dizerem por aí que todos somos iguais perante a lei,coisa que há muito tempo o movimento negro já desmentiu. A verdade é que o Brasil nunca foi cordial ou tratou algum dia com igualdade os seus habitantes de pele negra, tendo em vista que o nosso país é Campeão mundial de violação dos direitos humanos da nossa comunidade negra. No Brasil, por exemplo, de cada 4 pessoas que a polícia mata, 3 são negras. Só na Paraíba para cada jovem branco que é assassinado de forma violenta, morrem 20 jovens negros como foi divulgado em relatório pelo Ministério da Justiça.

Diante desse quadro, o racismo é o principal vetor responsável pelas péssimas condições humanas de nossa população afro-brasileira. Portanto, na minha concepção, a suposta democracia racial é um mito criado para esconder esta brutal desigualdade racial, mito este, que muitos políticos e empresários adoram divulgar para o conjunto de nossa população, uma vez que ele funciona como uma forma de anular as nossas críticas a esse injusto, desumano e racista sistema capitalista que historicamente vem atuando no sentido de impedir o povo brasileiro de enxergar suas profundas raízes africanas (o Brasil não é a malhação da Globo!).

Vamos acabar com todas as formas de discriminações contra os índios, judeus, cigano, etc. É preciso a luta de todas as etnias para que possamos enfrentar esse monstro chamado de racismo. A inspiração para pôr fim às desigualdades étnicas vem do Quilombo de Palmares ondeos palmarinos nos ensinaram a viver num país democrático e com justiça social para todos. Pena que a Revista Pais e Filhos ainda nãoaprendeu a lição, pois já faz um ano que ela não traz uma criança negra na capa, segundo o Correio Nagô da cidade de Salvador e isto só demonstra o quanto estamos longe de vivermos uma verdadeira democracia racial.


Jair Silva- Historiador, Coordenador do Movimento Negro de Campina Grande e aluno do Curso de Especialização em História e Cultura Afro-Brasileira da UEPB.

Fonte: IDERB

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

A Casa de Oxumarê está de luto!

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 21, 2012 at 10:01 am

N°o1- 21  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Fonte

483526_367834239906487_215511825138730_1139525_1345985130_nAos 83 anos de idade, parte para o Orùn, uma das maiores dignitárias do Candomblé, morre mãe Cidália de Iroko, antiga Egbon do Terreiro do Gantois.
A Casa de Òsùmàrè sente sobremaneira essa perda, haja vista, possuir laços estreitos com a Agba Njena do Ase Iyamase, pessoa de elevada estima para a nossa Comunidade e para o nosso Sacerdote, Pai Pecê de Òsùmàrè.
O Candomblé perdeu hoje, uma das mais sábias mulheres da nossa religião, que possuía em seu sangue, a pujante cultura Nagô, mais que isso, soube como poucos, conduzir com maestria o ensinamento absorvido ao longo de décadas, disseminando com louvor a herança africana, oriunda da sua nobre ancestralidade.
A Casa de Òsùmàrè lamenta profundamente a morte de Mãe Cidália, que superou os 70 anos de iniciada, sendo sempre uma referência para nós e, sobretudo, uma grande amiga para todas as horas.
Apesar da dor da perda, conforta-nos saber que em nossa religião, a morte física é somente uma passagem, para o recomeço da vida, desta feita, diante de Olodunmare, no Orùn.
Ìyá Cidália Iku Agba Lese Òrìsà
Mãe Cidália, Morreu Anciã, aos pés do Òrìsà
Casa de Òsùmàrè

 

 

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Morre Ebomi Cidália de Iroko

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 21, 2012 at 9:27 am

N°o1- 21  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Fonte : Mundo Afro: Cleidiana Ramos @ 2:52 PM

20 de março de 2012

Ebomi Cidália era conhecida como a "Enciclopédia do Candomblé". Foto: Margarida Neide/ Ag. A TARDE/ 07.07.2006

Hoje o mundo do candomblé fica mais triste. Durante a manhã faleceu, no Hospital Naval em Salvador, por complicações derivadas de um problema renal, a ebomi Cidália Soledade, 82 anos. Filha de Iroko, o orixá que habita a gameleira e domina os mistérios da vida e da morte, foi consagrada por Mãe Menininha dos Gantois. Ela deixa os filhos Elizabeth, Raimundo, Eliana e Josenice.

Ebomi Cidália tinha 75 anos de consagração à religião dos orixás. Era dona de um grande carisma. Ficou conhecida pela sabedoria e capacidade de transmitir conhecimento numa linguagem que era facilmente absorvida pelo público a quem se dirigia. Por conta disso recebeu do professor Jaime Sodré o título de “Enciclopédia do Candomblé”.

Com saber reconhecido em uma religião que tem como uma de suas fortes marcas a tradição e a oralidade estava sempre atenta a conhecer mais de perto tudo que surgia de novo no campo da comunicação.

Uma das suas atividades preferidas era conversar com jornalistas e pesquisadores de outras áreas. Costumava dizer: “Não tenho medo de conversar com jornalistas, antropólogos e historiadores, pois eles não vem buscar fundamento do candomblé, o que eu nunca revelaria. Eles vem buscar informações que ajudam a esclarecer sobre a religião”.

Aos 78 anos, descobriu as redes sociais com o Orkut onde mantinha uma comunidade para diálogo intenso com admiradores espalhados pelo Brasil inteiro. Com a ajuda de um dos seus amigos, o taxista Romilson Costa, ela fazia, diariamente, a atualização da sua rede respondendo mensagens. Nos ultimos dois anos andava interessada em conhecer mais sobre outras ferramentas como blogs.

O sepultamento será amanhã, quarta-feira, às 15 horas, no Jardim da Saudade.

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Assobecaty organiza debates de Mulheres em Guaíba

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 20, 2012 at 1:45 am

N°o1- 20 de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

   Deputada Ana Affonso e a feminista Ane Cruz estão entre as convidadas

Promover uma intensa reflexão e debate sobre o 8 de março. É com este objetivo que a ASSOBECATY e o gabinete da deputada estadual Ana Affonso (PT) realizarão o Encontro de Mulheres Guaibenses, na próxima quinta-feira (22), às 19h30, na na Escola estadual Dr. Ruy Coelho Gonçalves, em Guaíba. Além de Ana, foi convidada para falar na atividade a feminista Ane Cruz. Ambas abordarão as ações e os desafios nas políticas públicas para as mulheres. "Refletiremos principalmente sobre o momento político do empoderamento feminino e como podemos usufruir das suas perceptivas a partir da realidade feminina local", diz a parlamentar. O Encontro conta com o apoio da Escola estadual Dr. Ruy Coelho Gonçalves, Rede Cultura na Rua, Jornal e Revista Conexão Afro e Revista Conexão Comunitária, Associação Conexão Comunitária.

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Convite 1ª Roda de conversa de Mulheres

In Conexão Afro on Março 20, 2012 at 1:27 am

N°o1- 20  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

roda_SOUESP_d

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

I Encontro de Articulação e Mobilização dos Povos Tradicionais de Terreiros

In Comunidade Tradicional de Terreiros, Conexão Afro on Março 19, 2012 at 1:36 pm

N°o1- 19  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

 

oGAN oDERBALO GT de Povos Tradicionais de Terreiro Rio, convida para o I Encontro de Articulação e Mobilização dos Povos Tradicionais de Terreiros para a participação na Cúpula dos povos da Rio + 20.

DIA 20.03.2012

De 14 ÁS 19 H – PRÉDIO DO CEDIM – RUA CAMERINO, 51 – CENTRO

INFORMAÇÕES Ogan Aderbal Ashogun

Rede Nacional de cultura Ambiental 021-3594-0172

OGAN ISRAEL EVANGELISTA – TEL. 21 8175-0188 OU 9556-7392.

 

 

 

 

 

 

 

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Conselho Curador da EBC ouve sociedade civil sobre programação religiosa

In Conexão Afro on Março 14, 2012 at 8:37 am

N°o1- 14  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Por Daiane Souza

Nacional

Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) promoveu hoje (14), em sua sede, audiência pública sobre a transmissão de programas religiosos na rede de televisão e rádio da empresa. Representantes de diferentes credos se manifestaram sobre o assunto.

Na avaliação do pastor da Associação Evangélica de Comunicação Reencontro, Flávio Lima, a EBC deve abrir espaço em sua programação para as mais diversas religiões. “O Conselho Curador deve reunir a opinião pública, e o processo deve se desenvolver dentro de um caráter de ajuda à população brasileira, e não de divisão ou de preferências, ou de tomada de espaços por outras religiões. É isso que precisamos discutir. A TV é pública, é do povo”, disse Lima.

O padre Dionel Amaral, da Arquidiocese do Rio de Janeiro, também defendeu a permanência dos programas religiosos na grade da empresa. “Não é proselitismo, é cumprimento de uma missão que é levar a palavra de Deus aqueles que acreditam em Deus.”

Já para Pai Alexandre de Oxalá – Baba Alaiye, da Rede Afrobrasileira Sociocultural, a programação da EBC não deve servir para divulgar um ou outro credo, mas para esclarecer os brasileiros sobre as diversas religiões existentes no país. “Tem que ser um espaço de esclarecimento, não pode ser de pregação, de proselitismo, tem que ser um espaço em que todas as religiões sejam contempladas e possamos mostrar ao povo quão bela é a cultura do nosso país”, disse.

Para Daniel Sotto Maior, representante da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos, a empresa não deve veicular programas de cunho religioso, devido ao fato de o Brasil ser um Estado laico (oficialmente neutro em relação a religiões). “Com que direito o Estado pode passar a mensagem de que o cidadão tem que ser religioso? Vamos promover todos os tipos de religião, mas não vamos falar nada do ateísmo. Imagina se fosse um Estado que promovesse o ateísmo. São dois casos igualmente discriminatórios. Aplaudo a inciativa de abrir a grade para mais pontos de vista, mas não me parece viável, respeitando a laicidade do Estado, que isso aconteça”, ressaltou Daniel.

A integrante do Comitê de Diversidade Religiosa da Secretaria de Direitos Humanos, Daniella Hiche, sugeriu que a classificação de programação religiosa seja substituída pela de diversidade religiosa. Daniella propôs também a criação de uma comissão, composta por sociólogos e representantes religiosos, para auxiliar a EBC nesse tema. “O comitê considera de suma importância a laicidade do Estado e o caráter público da EBC. O Estado laico deve se ocupar de garantir a diversidade religiosa”, afirmou.

Todos os participantes elogiaram a iniciativa do Conselho Curador de convocar a audiência pública para discutir o tema. “Contemplar a diversidade religiosa em uma mídia pública é um presente que a EBC pode dar a este país”, afirmou Flávia Pinto, representante da umbanda.

A presidenta do Conselho Curador, Ana Fleck, agradeceu as contribuições e a “tolerância e maturidade” de todos os que participaram da reunião.

As opiniões colhidas na audiência vão servir para municiar o grupo consultivo que deve apresentar, dentro de 120 dias, uma proposta ao Conselho Curador sobre religião na grade de programas da EBC. O grupo é formado por conselheiros, representantes da direção da empresa e integrantes do Comitê de Diversidade Religiosa da Secretaria de Direitos Humanos.

No ano passado, o Conselho Curador decidiu suspender da grade de da TV Brasil três programas religiosos que ainda estão sendo exibidos: os católicos A Santa Missa e Palavras da Vida, vinculados à Arquidiocese do Rio de Janeiro, e o evangélico Reencontro. A Rádio Nacional de Brasília também transmite a missa da Arquidiocese local. O conselho argumenta que estes programas não refletem a diversidade religiosa do país.

Na época, a Diretoria Executiva da EBC enviou ao conselho proposta alternativa de programação religiosa, sugerindo a abertura de espaços na grade da emissoras da empresa para as religiões mais representativas, com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a exemplo do que fazem TVs públicas de outros países.

A Justiça Federal, acatando ação movida pelas organizações religiosas, decidiu manter a programação como está. Ana Fleck informou que a EBC pediu que a Justiça reveja a decisão, até o grupo consultivo apresente relatório sobre a questão

Após a apresentação do trabalho do grupo consultivo, os conselheiros deverão decidir sobre os programas religiosos na programação da EBC.

Edição: Nádia Franco

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Instituto Nangetu: III Caminhada estadual pela liberdade religiosa ‘Fé e resistência’.

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 13, 2012 at 8:52 am

N°o1- 13  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

O Instituto Nangetu se junta à mobilização pela III CAMINHADA ESTADUAL PELA LIBERDADE RELIGIOSA FÉ E RESISTÊNCIA " CAMINHANDO A GENTE SE ENTENDE". e chama toda a população para participar e a lutar pela garantia do direito constitucional de consciência religiosa.
DATA 18/03/2012
CONCENTRAÇÃO: 9 HS NO VER-O-RIO
TRAJETO: VER-O-RIO RUMO A PRAÇA DA REPÚBLICA
ATRAÇÕES CULTURAIS:
GRUPO BATUQUE
ESCOLA DE SAMBA XODÓ DA NEGA
ESCOLA DE TEATRO DA UFPA
AFOXÉ ITA LEMI SINAVURU
GRUPO CULTURAL BAMBARÊ E CONVIDADOS.
REALIZAÇÃO:
INTECAB/PA E COMUNIDADES TRADICIONAIS DE TERREIROS DO ESTADO.
PARTICIPAÇÃO ESPECIAL:
COMITÊ INTERRELIGIOSO DO ESTADO DO PARÁ
APOIO:
GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ
CEPPIR
GABINETE DO DEPUTADO ESTADUAL EDMILSON RODRIGUES
GABINETE DA DEPUTADA CILENE COUTO
LABORATÓRIO BIOMÉDICO
"PRECISAMOS ACREDITAR QUE É POSSÍVEL CONVIVER NA SOCIEDADE,RESPEITANDO NOSSAS DIFERENTES CONDIÇÕES NA VIDA,SEJA RACIAL,SEXUAL, RELIGIOSA,CULTURAL,FINANCEIRA." Káta Hadad
CONTAMOS COM SUA PARTICIPAÇÃO
MAMETU KÁTIA HADAD-DIRETORIA SOCIAL INTECAB/PA. FONE:(91)32579036/ 88223937/82206238

Instituto Nangetu: III Caminhada estadual pela liberdade religiosa ‘Fé e resistência’.

ATRAÇÕES CULTURAIS: GRUPO BATUQUE ESCOLA DE SAMBA XODÓ DA NEGA ESCOLA DE TEATRO DA UFPA AFOXÉ ITA LEMI SINAVURU GRUPO CULTURAL BAMBARÊ E CONVIDADOS. REALIZAÇÃO: INTECAB/PA E COMUNIDADES TRADICIONAIS D…

 

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

 

BABA XANDECO NO ENCONTRO EM BELÉM DO PARÁ

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 12, 2012 at 4:33 pm

N°o1- 12 de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

O Movimento Popular de Saúde do Rio Grande do Sul – MOPS RS, que integra a coordenação do Mops Nacional, através do seu Coordenador Baba Xandeco de Xangô, esteve no Estado do Pará, em sua capital Belém,no 8º Encontro Estadual do MOPS, no dia 02 a 4 de março de 2012,que discutiu a Contribuição dos Movimentos Populares de Saúde e a Defesa do SUS como Patrimônio da Humanidade.
 

As premências e desafios na área da Saúde e Educação Popular nos estados brasileiros, foram debatidos com com rodas de conversas. Baba Xandeco foi convidado a usar da palavra, onde defendeu o trabalho de saúde por dentro dos terreiros, denunciou a corrupção nas cestas básicas alimentícias do Rio Grande do Sul, comunicou aos presentes da CARTA ABERTA ÀS COMUNIDADES BRASILEIRAS DE TERREIRO durante a Oficina Juventude x Terreiros e o Enfrentamento as Drogas ocorrida no Fórum Social Temático em Porto Alegre, além de relatar da criação junto ao CONSEA RS da Comissão dos Dessasistidos que atuará na Diretriz 4 do Plano Nacional de Seguerança Alimentar PLANSAN-2012-2015.Baba Xandeco, ainda, incursionou por terreiros das autoridades religiosas Mametu Nangetu, Mãe Nalva de Oxum e Mãe Bia de Ossanyn, esta última que lhe presenteou com os livros O NEGRO NO PARÁ SOB O REGIME DA ESCRAVIDÃO do autor Vicente Salles, do Instituto de Artes do Pará- VOCABULÁRIO CRIOULO-CONTRIBUIÇÕES DO NEGRO AO FALAR REGIONAL AMAZÔNICO de Vicente Salles e TERRA DE NEGRO de Elza Fatima Rodrigues e fotografia de Paula Sampaio.
Este encontro serviu para reforçar a representatividade do MOPS, junto a atual gestão do Ministério da Saúde, definindo através de voto direto as indicações dos representantes para Câmaras e Comissões- nacionais.
Foi ratificado o princípio da rotatividade e da alternância entre os integrantes da Coordenação nacional do MOPS por um período não maior de dois(2) anos, além da obrigatoridade de cada representante do MOPS apresentar relatório de atividade em periodo não maior de um semestre;
Gerson Domont/PA – Comitê Nacional de Educação Popular em Saúde – CNEPS/MS-Titular
Baba Xandeco/RGS – Comitê Nacional de Educação Popular em Saúde – CNEPS/MS-Suplente
Livaldo Bento/PR – COFIN/CNS
Rose/SC – Educação Permanente/CNS
Silvio Leal /BA Educação Popular/CNS
Alessandro Monte/PE – DST/AIDS
Silvina Macedo/PA – Comissão da Mulher/CNS
Joaquim/CE – CISAMA/CNS
Dercio/AP – Camara tecnica de Medicamentos da ANVISA
Elias/RJ – Câmara técnica de Meio Ambiente da ANVISA

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Aniversário da Prof Zélia no Ilê de Mãe Carmen de Oxala

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 12, 2012 at 6:06 am

N°o1- 12  de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Nesse sábado (10)aconteceu na sede da Casa tradicional Assobecaty, a 100_2791comemoração de aniversário da componente da Rede Cultura na Rua , prof,Zélia  Lima que é uma das responsáveis do Projeto Histórias e Literatura foi  surpreendida com  músicos do coral municipal, também são seus  colegas  cantaram e encantaram na sede da Assobecaty , chamaram atenção.

A alegria tomou conta dos presentes, que aos poucos foi se contagiando  os presentes,  eles  passaram acompanhar a musica. Ao final o grupo e o público cantaram um empolgante "parabéns para você’ Zélia .

100_2826

A Zélia foi prestigiada por seus pares do Coral Municipal e alguns membros da Rede Cultura na Rua

100_2810100_2819

O evento foi fechado , mesmo assim circulava uma energia

100_2805100_2812

Carinho , amizade respeito esses foram os sentimentos compartilhados pelos amigos que participaram do aniversário de Zélia

100_2765100_2814

50 anos é uma data tão significativa, um data que não seria justo não comemorar, por esses motivos que os seus colegas da Rede Cultura na Rua confraternizaram. 

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Editar esta entrada.

Carta aberta da CONAQ: A vez e a voz dos quilombolas, para fazer valer nossos direitos

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 11, 2012 at 6:08 am

N°o1- 10  de março – Guaíba- RS –Brasil

 

Por racismoambiental, 10/03/2012 07:15

Carta aberta da CONAQ sobre o processo de regulamentação da consulta prévia e informada da Convenção 169: A vez e a voz dos quilombolas, para fazer valer nossos direitos

A Coordenação Nacional das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ) reuniu-se em Brasília, entre os dias 06 e 07 de março de 2012, em atividade preparatória para o Seminário “Convenção 169 da OIT: experiências e perspectivas”.

Entendemos que a efetivação concreta do mecanismo de consulta prévia e informada da Convenção 169 da OIT é medida de extrema importância para as comunidades quilombolas de todo o Brasil. Sem respeito a esse direito fundamental não será possível às comunidades quilombolas desenvolver com plenitude seus direitos humanos econômicos, sociais, culturais e ambientais.

Nesse sentido, observamos que a regulamentação da consulta prévia e informada é medida de extrema importância para a vida das comunidades quilombolas, uma vez que este mecanismo estabelecerá as regras básicas para efetivação concreta do direito de consulta prévia e informada.

Recordamos que até o momento o Estado brasileiro não tem adotado medidas efetivas, nos casos concretos, de modo a respeitar o direito de consulta prévia e informada previsto na Convenção 169 da OIT. Essa situação tem se refletido em violações dos direitos das comunidades quilombolas, em especial o direito ao território. Continue lendo… ‘Carta aberta da CONAQ: A vez e a voz dos quilombolas, para fazer valer nossos direitos’»

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Saúde nos terreiros no dia da mulher.

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 9, 2012 at 3:01 pm

N°o1- 9 de março – Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Allessandro Montte conduziu a conversa sobre a saúde.

A saúde foi um dos temas abordados noevento “Mulheres de Axé, respeito e amor”, promovido peloInstituto Nangetu no sábado, dia 10 de marçlo, em celebração ao dia internacional da mulher. A conversa foi conduzida por Alessandro Montte, do Movimento Popular deSaúde – MOPS-PE, que começou fazendo uma enquete com os presente,ele perguntou “o que é saúde?”…. e ficou até engraçado comoforam surgindo tantas definições diferentes para a palavra saúde.

Depois do alvoroço que as respostasque ali apareceram foram causando, ele explicou que a saúde não seresume ao controle ou à prevenção de doenças, e que essa idéiade polarizar saúde e doença termina por desviar a atenção dapopulação para outros fatores que se relacionam com o bem estarpsicológico e social de cada um de nós em suas singularidades.

Com uma conversa cativante, ele feztodos os que estavam ali perceberem que pra nós podemos alcançar o’estado ideal de saúde’ é preciso que se construa um ambientefavorável, com um lugar agradável pra viver, com relações sociaisque respeitam as diversidades de raça, credo, religião e de gênero,e mostrou exemplos de ações sociais onde a coletividade se uniupara a resolução de problemas comuns.

Por fim falou da necessidade docontrole social para o perfeito funcionamento do sistema de saúdepública e deu orientações de como as comunidades podem acessarprogramas e contribuir com melhorias no atendimento de serviços emsaúde.

Projeto Azuelar/ ponto de Mídia Livre – Fotos e textos colborativos.
Equipe de cobertura – Táta Kinamboji, Táta Kitauanje e Táta Kamlelmba

Instituto Nangetu

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com