Revista Online Conexao Afro

Archive for Julho, 2014|Monthly archive page

Líderes religiosos da Nigéria encerram série de visitas a terreiros baianos

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 31, 2014 at 9:49 pm
logo Revista Conexão Afro 31 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

31/07/14 – 20:10h

Bahia

Como parte da programação do I Seminário Internacional para Preservação do Patrimônio Cultural Compartilhado entre o Brasil e a Nigéria, um grupo de líderes religiosos africanos visitou, na manhã desta quinta-feira (31), o Ilê Iyá Omi Àse Iyamassé, conhecido como Terreiro do Gantois, no bairro da Federação, em Salvador. Essa é a última de uma série de visitas do rei da cidade de Oyo, na Nigéria, a templos religiosos da capital baiana, que começou na última terça-feira (29).
No Gantois, a Sua Majestade Imperial, que tem o título de Alaafin de Oyo, foi recebido com presentes e ainda conheceu o Memorial de Mãe Menininha, umas das Iyaliorixás mais conhecidas da casa, que morreu em 1986. Durante discurso, ele elogiou as tradições africanas que são preservadas no templo baiano e defendeu a necessidade da criação de leis que protejam os patrimônios materiais e imateriais. “Mesmo com tudo que nossos antepassados sofreram, nossa crença permanece viva através de nós. Daqui, levarei a afeição e todo o amor que recebi, e ainda mais as ações de preservação da Bahia, que servirão de inspiração para Oyo.”
Durante essa semana, o rei e sua comitiva visitaram outros quatro terreiros da capital baiana, o Ilê Àse Iyá Nassó Okà (Casa Branca do Engenho Velho), Ilê Àse Opo Àfonjá (Ilê Axé Opô Afonjá), Ilê Maroialaji (Terreiro Alaketu) e Ilê Osùmàré Arákà Àse Ogodó (Casa de Oxumarê), todos tombados como patrimônio nacional. As iniciativas de políticas públicas baianas para manutenção das religiões de matrizes africanas foram consideradas, pelos líderes religiosos, como exemplo.
A Iyalorixá do Terreiro do Gantois, Mãe Carmem, se disse honrada em receber o homem que é considerado o descendente direto do orixá Xangô, e por servir de modelo para o povo que originou o culto do candomblé no estado. “O vínculo que existe entre a África e a Bahia ficou ainda mais forte, esperamos que nossos irmãos africanos sejam protegidos e respeitados como nós somos aqui”.

Para encerrar o seminário internacional, que começou na última segunda-feira (28), o rei visita ainda, nesta quinta, Pedra de Xangô, no bairro de Cajazeiras.

Fonte: Secom/BA

Últimas Notícias

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655
Anúncios

Rei da Nigéria visita terreiro dos Gantois em Salvador

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 31, 2014 at 9:36 pm
  • logo Revista Conexão Afro 31 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
    REVISTA CONEXÃO AFRO

    03:32

    Rei da Nigéria visita terreiro dos Gantois em Salvador

    Rei da Nigéria visita terreiro dos Gantois em Salvador – G1 Bahia – Bahia Meio Dia – Catálogo de…

    g1.globo.com

    na tarde desta quinta ele visita ainda a Pedra de Xangô, no bairro dr Cajazeiras. Na sexta, ele e a comitiva retornam à África.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

"Projeto qualifica jovens de comunidades negras e de terreiro

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 31, 2014 at 8:46 pm
logo Revista Conexão Afro 31de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

[Jornal Bahia Online] "Projeto qualifica jovens de comunidades negras e de terreiro - inscrições de 1º a 8 de agosto": Em 2013, os encontros realizados durante o Projeto Mãe Ilza Mukalê: histórias e saberes possibilitaram aos participantes a oportunidade de conhecer mais a cultura tradicional de matriz africana, pela voz e presença de Mãe Ilza.

Agora, o projeto Mãe Ilza Mukalê II: Música Identidade e Memória (MIM) realizará ações de Formação e Qualificação de Agentes Culturais para 30 jovens de comunidades negras e de terreiro, entre os meses de agosto e dezembro de 2014, em Ilhéus. Os participantes produzirão, até o final do projeto, um Kit Multimídia, contendo cartilha, DVD e CD, além de outros conteúdos digitais, instrumentos musicais, adereços e serviços culturais de base étnica.

O MIM será conduzido a partir de quatro módulos de formação: Curso de Formação e Qualificação de Agentes Culturais, com oficinas de Gestão Cultural, Gestão de Comunicação e os Laboratórios Artísticos;Pesquisa Participativa; Encontros da Tradição Oral; e a Mostra Multicultural, com a finalidade de apresentar o resultado do processo formativo, envolvendo a realização da Feira Multicultural, o Simpósio: “Cultura, Mercado e Comunidade Negra”, Mostra de filmes, além de Apresentações Artísticas.

As inscrições ocorrerão entre os dias 01 e 08 de agosto na sede do Terreiro Matamba Tombencí Neto (TMTN) ou pelo site do projeto. Os participantes terão o direito a bolsa auxílio mensal e certificado de formação.

O MIM acontecerá no Terreiro Matamba Tombencí Neto (TMTN) no Alto da Conquista e foi contemplado no Edital Formação e Qualificação em Cultura 2012 da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Para mais informações, acesse: www.maeilzamukale.blogspot.com.

Seppir Presidência

[Jornal Bahia Online] "Projeto qualifica jovens de comunidades negras e de terreiro – inscrições de 1º a 8 de agosto": Em 2013, os encontros realizados durante o Projeto Mãe Ilza Mukalê: histórias e saberes possibilitaram aos participantes a oportunidade de conhecer mais a cultura tradicional de matriz africana, pela voz e presença de Mãe Ilza.

Agora, o projeto Mãe Ilza Mukalê II: Música Identidade e Memória (MIM) realizará ações de Formação e Qualificação de Agentes Culturais para 30 jovens de comunidades negras e de terreiro, entre os meses de agosto e dezembro de 2014, em Ilhéus. Os participantes produzirão, até o final do projeto, um Kit Multimídia, contendo cartilha, DVD e CD, além de outros conteúdos digitais, instrumentos musicais, adereços e serviços culturais de base étnica.

O MIM será conduzido a partir de quatro módulos de formação: Curso de Formação e Qualificação de Agentes Culturais, com oficinas de Gestão Cultural, Gestão de Comunicação e os Laboratórios Artísticos;Pesquisa Participativa; Encontros da Tradição Oral; e a Mostra Multicultural, com a finalidade de apresentar o resultado do processo formativo, envolvendo a realização da Feira Multicultural, o Simpósio: “Cultura, Mercado e Comunidade Negra”, Mostra de filmes, além de Apresentações Artísticas.

As inscrições ocorrerão entre os dias 01 e 08 de agosto na sede do Terreiro Matamba Tombencí Neto (TMTN) ou pelo site do projeto. Os participantes terão o direito a bolsa auxílio mensal e certificado de formação.

O MIM acontecerá no Terreiro Matamba Tombencí Neto (TMTN) no Alto da Conquista e foi contemplado no Edital Formação e Qualificação em Cultura 2012 da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Para mais informações, acesse:www.maeilzamukale.blogspot.com.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

GT Igreja e Aids em Rio Grande

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 31, 2014 at 1:16 am

logo Revista Conexão Afro 31 de julho  –Guaíba- RS –Brasil4 de Agosto de 2014

Acontecerá no dia 02 de agosto no Salão Nobre da Prefeitura Seminário Aids e Religiões, podendo ser feitas na hora as inscrições. Todos/as são convidados a participar. Os responsáveis pela pastoral DST/Aids regional Sul 3 estarão presentes, bem como a pastoral da Aids de nossa diocese.
Convite:
"A Secretaria de Estado da Saúde do RS, através da Seção Controle de DST/Aids, está comprometida com o enfrentamento da epidemia da Aids no Rio Grande do Sul, mesmo tendo ciência de que ela é um desafio constante. O Rio Grande do Sul ainda tem o maior índice de novas infecções e óbitos por Aids do Brasil.
Neste contexto, fica manifesta a importância do envolvimento de toda a sociedade no enfrentamento deste problema de saúde. As religiões e Igrejas têm importante papel a desempenhar nas respostas à epidemia, seja por acessarem populações e atingirem áreas mais vulneráveis, seja por gozarem de credibilidade e liderança junto a estes públicos.
Em vista da articulação das lideranças religiosas que atuam no campo da Aids a Seção Controle de DST/Aids organizou, em parceria com o Fórum ONG Aids RS e a Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV Aids e a Rede Cidadãs Posithivas, um Grupo de Trabalho (GT) que vem se reunindo periodicamente. Neste GT sentiu-se a necessidade de ampliar e descentralizar esta articulação. Por isso, nasceu a sugestão de organizar encontros em alguns municípios do nosso Estado que possibilitassem a aproximação e o diálogo entre Igrejas, Religiões e os Programas Municipais de DST/Aids, tendo em vista o fortalecimento da resposta local, a diminuição das infecções e das mortes, bem como na sensibilização, orientação e informação da população.
Vimos por meio deste convidar para participar do evento que será realizado no Município do Rio Grande.
Data: 02 de agosto de 2014
Local: Salão Nobre da Prefeitura
Endereço: Largo Eng. João Fernandes Moreira, S/N
Horário: 08:30 às 17:30
Estamos convidando Vossa Senhoria para tomar parte deste evento. Este convite é extensivo a outros membros de sua Igreja, Religião ou Movimento Social.
Outras informações entrar em contato a Seção Controle de DST/Aids, através do telefone (51) 3288-5910. Falar com Jair Andrade (jair-andrade@saude.rs.gov.br) ou com Ana Lúcia Massulo (ana-massulo@saude.rs.gov.br) ou com Adriano Caetano (adriano-costa@saude.rs.gov.br) ou com Claudia Borges (claudiabsms@riogrande.rs.gov.br)
Cordialmente
GT Aids e Religiões RS
Seção de Controle de DST/Aids da SES/RS
Programa Municipal de DST Aids Rio Grande
Parceiros/Organizações Locais envolvidas

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Grande festa de nosso rei Xangô : Casa Oxumaré recebe o Rei de Oyo na casa de Osumare!

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 30, 2014 at 8:52 pm
logo Revista Conexão Afro 30 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

A Casa de Oxumarê em Salvador, segunda feira dia 28, de julho, registrara um momento histórico de valor imensurável!!!

Tudo pronto para a grande festa de nosso rei Xangô. 

Espaço sagrados de Norte a Sul de Leste ao Sudoeste nos remete a grandes lembranças de como era a vida de nossos antepassados?
Que lutaram e resistiram e dirigem nosso olhar africano nos Fazendo ver, sentir e crer qual é? o nosso verdadeiro papel dentro de nossa Religião afro Brasileira de Matrizes africana.!

Foto de Casa de Oxumarê.

Os mais altos sacerdotes do culto a Sango,  já se encontram na Casa de Oxumarê. O despertar da Casa foi único, assim que acordaram foram louvar Sango. Momento magico!!!

Segunda feira dia  28, de julho, o 
Fórum Rui Barbosa no Campo da Pólvora, Salvador, BA, as 
14:30, registrara um momento histórico de valor imensurável!!!

Casa de Oxumarê em Casa de Oxumarê

Os mais altos sacerdotes do culto a Sango, já se encontram na Casa de Oxumarê. O despertar da Casa foi único, assim que acordaram foram louvar Sango. Momento magico!!!

 Segunda feira dia 28, de julho, o 
Fórum Rui Barbosa no Campo da Pólvora, Salvador, BA, as 
14:30, registrara um momento histórico de valor imensurável!!!

Carlinhos Brown fazendo uma apresentação cultural, para o Rei e sua corte .

Sociedade Protetora dos Desvalidos,  foi a primeira organização civil negra no Brasil. Fundada por um africano livre, que tinha como finalidade angariar recursos para amparar pessoas necessitadas e principalmente a profissionalizar os ex-escravos.
Segunda feira dia 28, de julho, o 
Fórum Rui Barbosa no Campo da Pólvora, Salvador, BA, as 
14:30, registrara um momento histórico de valor imensurável!!!

Casa de Oxumarê em Salvador

Sociedade Protetora dos Desvalidos, foi a primeira organização civil negra no Brasil. Fundada por um africano livre, que tinha como finalidade angariar recursos para amparar pessoas necessitadas e principalmente a profissionalizar os ex-escravos.
Segunda feira dia 28, de julho, o
Fórum Rui Barbosa no Campo da Pólvora, Salvador, BA, as
14:30, registrara um momento histórico de valor imensurável!!!

Sua Majestade Imperial o Alaafin de Oyo recebe homenagem na Sociedade Protetora dos Desvalidos (SPD), a primeira organização civil negra no Brasil, fundada em em 1832, com o objetivo de comprar a alforria de africanos escravizados. Um momento histórico que tivemos a honra de presenciar. A felicidade de Sua Majestade contagiou toda a audiência!

Sua Majestade Imperial o Alaafin de Oyo recebe homenagem na Sociedade Protetora dos Desvalidos (SPD), a primeira organização civil negra no Brasil, fundada em em 1832, com o objetivo de comprar a alforria de africanos escravizados. Um momento histórico que tivemos a honra de presenciar. A felicidade de Sua Majestade contagiou toda a audiência!

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Projeto Entre realiza penúltima ação em Plataforma

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 29, 2014 at 10:48 pm
logo Revista Conexão Afro 29 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Fernando Amorim | Ag. A TARDE | 26.07.2014

  • O artista visual Ayrson Heráclito e o fotógrafo Edgar Oliva promoveram o encontro artístico

Na orla do subúrbio ferroviário de Salvador, em frente à estação de Plataforma, as marisqueiras da comunidade aproveitavam a maré baixa por volta das 9h30 para garantir seus pescados. Juntaram-se a elas, no último sábado, o artista visual Ayrson Heráclito e o fotógrafo Edgar Oliva para realizar a penúltima intervenção  do projeto Entre, que une moda e artes visuais em diferentes pontos da cidade.

Idealizado pelo designer de moda Alexandre Guimarães, o projeto é inspirado no conceito do wearable art, que pensa a vestimenta como expressão da individualidade de quem usa.

Cada ação – também chamada de capítulos – parte da elaboração de uma "peça vestível", como prefere definir o designer, que se relaciona com o universo de trabalho do artista participante, a fim de provocá-lo. Ao contrário de um figurino comum, neste caso a "peça vestível" é o que orienta a ação.

Neste penúltimo capítulo (são oito, no total), Alexandre criou um terno branco para Ayrson, que remete à ligação do artista com o candomblé. Para manter a linha das criações anteriores, todas escuras, o designer manchou o terno de preto com guache.

Vestido nessa indumentária, Ayrson produziu quatro cabeças humanas em argila, inspirado em um mito da cultura iorubana sobre a criação do homem, enquanto a interpretação desse processo ficava por conta das imagens de EdgarOliva.

"É a minha percepção artística explorando o máximo que eu puder da roupa, que é nossa segunda pele, e dos gestos e simbolismos que ele emana durante o processo", explica o fotógrafo. Dele também partiu a escolha do lugar, onde esteve pela primeira vez com seus alunos da Escola de Belas Artes da Ufba (EBA) e de onde já guarda registros fotográficos.

Os 16 artistas selecionados foram agrupados em duplas pela curadoria de acordo com o estilo de cada um. Eles são apresentados à vestimenta e pensam juntos a ação.

O resultado final é levar os registros e interpretações do encontro para o site e redes sociais do projeto, que ainda pretende contar com mais edições.

Mito iorubano

Para compreender  a intervenção, é preciso conhecer o mito da crença iorubana que Ayrson trouxe para o grupo. O artista explica: "Esse mito diz que Orunmilá, que era o deus supremo, pediu a Oxalá que criasse o homem. Oxalá, um grande escultor, escolheu diversos materiais. Experimentou o ar, mas não funcionou: o homem ficou muito etéreo. Experimentou a pedra, ficou muito rigído. Experimentou até o azeite de dendê e nada. Então ele foi ao encontro de Nanã, que é a senhora dos manguezais, da lama, e ela emprestou sua matéria para que ele criasse o homem. Daí ele usou a lama (a argila). Deu certo".

Como contrapartida, a rainha Nanã fez um pacto com Oxalá para que toda vez que o homem morresse, ela tivesse o material de volta, devolvido à natureza. Nesse link com o rito de passagem, Ayrson e Edgar dedicaram o momento ao amigo videoartista malinês Bakary Diallo, uma das vítimas do avião da Air Algerie que caiu na última quinta. Ele viria para Bahia fazer uma residência artística.
A data escolhida para a ação, 26, não por coincidência é o dia de Nanã. Como finalização desse ritual, as cabeças de argila ficaram na praia esperando a maré subir e levar essa matéria de volta à natureza.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Centro Histórico de Salvador recebeu visita do rei nigeriano de Oyo

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 28, 2014 at 9:38 pm
logo Revista Conexão Afro 28 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Alaafin de Oyo visita Museu Do Ritmo.foto Casa de Oxumaré

O domingo (27) foi parte de um momento marcante para a cultura afrobrasileira na Bahia. O Alaafin de Oyo, Oba Adeyemi III, e sua comitiva tradicional de Olorixás, visitaram alguns dos principais pontos históricos de matrizes africanas em Salvador, seguindo um roteiro organizado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), através do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI). Descendente direto de Odudua, fundador e primeiro ancestral do povo Ioruba, o rei é considerado pelo povo de axé o detentor legítimo do poder da coroa de Xangô.

O Alaafin de Oyo e sua comitiva estão em Salvador para participar do I Seminário Internacional Para Preservação do Patrimônio Cultural Brasil-Nigéria, que acontece de 28 a 31 de julho, com abertura às 14h30, no Fórum Rui Barbosa. A diretora do CCPI, Arany Santana, representa a SecultBA na mesa de abertura. O seminário é parte das ações de intercâmbio entre Brasil (Bahia) e Nigéria (Oyo), berço da tradição Nagô.

O passeio de domingo teve início no “Mercado do Ouro”. Localizado no Comércio, o espaço hoje conhecido como Museu Du Ritmo, já foi cenário de um triste e emocionante relato histórico, foi lá que chegaram os primeiros negros nigerianos na Bahia, na condição de escravos. O cantor e instrumentista Carlinhos Brown recebeu Sua Majestade Imperial e a comitiva durante a visita. O segundo destino do dia foi a Irmandade do Rosário dos Pretos, no Pelourinho, onde o Alaafin visitou também o antigo cemitério de escravos, localizado aos fundos da igreja. A comitiva ainda passou pelo Memorial das Baianas, antes do Alaafin receber uma homenagem na Sociedade Protetora dos Desvalidos, primeira organização civil negra do Brasil, que tinha por finalidade a compra de alforrias de africanos escravizados. A última visita do dia foi ao Museu Afrobrasileiro (MAFRO), também localizado no Centro Histórico.

Durante todo o dia de visitação, Oba Adeyemi III se mostrou bastante emocionado com os relatos que ouviu e em ver o bom estado de preservação das condições físicas dos locais históricos visitados e da relevância da cultura africana em Salvador. Nos próximos dias de sua estadia em Salvador, o Alaafin de Oyo visita cinco terreiros matriciais de tradição ioruba da Bahia, tombados como patrimônio nacional. São eles o Ilé Asè Iyá Nassó Okà (Casa Branca), o Ilé Asé Opo Afonja, o Ilé Iyá Omi Asé Iyamasé (Terreiro do Gantois), o Ilé Maroialaji (Terreiro Alaketu) e o Ilé Osùmàré Arakà Asé Ogodo (Casa de Oxumarê).

Confira abaixo a programação completa do do I Seminário Internacional Para Preservação do Patrimônio Cultural Brasil-Nigéria. A entrada é gratuita e as inscrições são feitas no local.

28 de julho (segunda-feira)
Fórum Rui Barbosa (Campo da Pólvora)
14:30 a 15:50 | Solenidade de Abertura.
16:00 a 16:40 | Palestra magna de Sua Majestade Imperial, o Alaafin de Oyo.
16:40 a 17:00 | Apresentação Cultural de Inaycira Falcão
17:00 a 18:20 | Mesa-Redonda 1: Nos caminhos de Xangô: o patrimônio cultural compartilhado entre Oyo e a Bahia.
1) A importância do Império de Oyo e a riqueza cultural preservada na cidade de Xangô;
2) A centralidade do culto de Xangô nos terreiros de Candomblé Nagô da Bahia e suas ligações com império de Oyo.
18:20 a 18:40 | Intervalo com Coffee-break
18:40 a 20:00 | Mesa-Redonda 2: Problemáticas e Instrumentos da Preservação e Salvaguarda do Patrimônio Compartilhado no Brasil e na Nigéria.
1) Políticas públicas para a preservação e valorização do patrimônio cultural dos povos e comunidades de matriz africana no Brasil (tombamento, mapeamentos e planos de gestão integrada);
2) Proteção e gestão do patrimônio cultural da cidade de Oyo: possíveis mecanismos de proteção.

29 de julho (terça-feira)
09:00 a 12:00 | Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
14:00 a 17:00 | Casa de Oxumarê
Visita da comitiva de Oyo à Casa de Oxumarê para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.

30 de julho (quarta-feira)
09:00 a 12:00 | Ilê Àse Opo Afonjá
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro Ilé Àse Opo Àfonjá para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
14:00 a 17:00 | Terreiro Alaketu
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro Alaketu para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.

31 de julho (quinta-feira)
09:00 a 12:00 | Terreiro do Gantois
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro do Gantois encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
15:00 a 16:00 | Visita à Pedra de Xangô de Cajazeiras
Encontro da comitiva de Oyo com o Conselho das Comunidades Negras e Terreiros do bairro de Cajazeiras (Avenida Assis Valente).

.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Casa de Oxumarê Sua Majestade Imperial o Alaafin de Oyo, Obá Adeyemi III, visita Salvador (BA) de 28 a 31 de julho (programação abaixo)

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 28, 2014 at 3:17 am

 

logo Revista Conexão Afro 28 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Casa de Oxumarê

Sua Majestade Imperial o Alaafin de Oyo, Obá Adeyemi III, visita Salvador (BA) de 28 a 31 de julho (programação abaixo)

Venha participar deste momento histórico! A entrada é gratuita e as inscrições serão feitas na entrada do evento.

28 de julho (segunda-feira)
Fórum Rui Barbosa (Campo da Pólvora)
14:30 a 15:50 | Solenidade de Abertura.
16:00 a 16:40 | Palestra magna de Sua Majestade Imperial, o Alaafin de Oyo.
16:40 a 17:00 | Apresentação Cultural de Inaycira Falcão
17:00 a 18:20 | Mesa-Redonda 1: Nos caminhos de Xangô: o patrimônio cultural compartilhado entre Oyo e a Bahia.
1) A importância do Império de Oyo e a riqueza cultural preservada na cidade de Xangô;
2) A centralidade do culto de Xangô nos terreiros de Candomblé Nagô da Bahia e suas ligações com império de Oyo.
18:20 a 18:40 | Intervalo com Coffee-break
18:40 a 20:00 | Mesa-Redonda 2: Problemáticas e Instrumentos da Preservação e Salvaguarda do Patrimônio Compartilhado no Brasil e na Nigéria.
1) Políticas públicas para a preservação e valorização do patrimônio cultural dos povos e comunidades de matriz africana no Brasil (tombamento, mapeamentos e planos de gestão integrada);
2) Proteção e gestão do patrimônio cultural da cidade de Oyo: possíveis mecanismos de proteção.

29 de julho (terça-feira)
09:00 a 12:00 | Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
14:00 a 17:00 | Casa de Oxumarê
Visita da comitiva de Oyo à Casa de Oxumarê para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.

30 de julho (quarta-feira)
09:00 a 12:00 | Ilê Àse Opo Afonjá
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro Ilé Àse Opo Àfonjá para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
14:00 a 17:00 | Terreiro Alaketu
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro Alaketu para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.

31 de julho (quinta-feira)
09:00 a 12:00 | Terreiro do Gantois
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro do Gantois encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
15:00 a 16:00 | Visita à Pedra de Xangô de Cajazeiras
Encontro da comitiva de Oyo com o Conselho das Comunidades Negras e Terreiros do bairro de Cajazeiras (Avenida Assis Valente).

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Convite Lançamento do Projeto Orixá Patrono do Estado de Pernambuco

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 25, 2014 at 3:47 pm
logo Revista Conexão Afro 25 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

untitled

Rogamos por PAZ e SABEDORIA.

Por gentileza, abram o anexo.

Quero fazer um ORÍKÌ, quero REZAR, quero ORAR. Sabe o que tudo isto propõe?

Que quero chegar a OLÓRUN, a DEUS, a BUDA…  através de uma prece.

Enfim, ao Ser Supremo, "nosso" Criador dos Céus(ÒRÚN) / Mundo(ÀIYÉ),

e, a TODOS/AS que intercedem por um Planeta Melhor, um Planeta com PAZ.

Atenção Terra!:

Somos Negras/os; Somos Filhas/os de África;

Temos FÉ, LÍNGUA, e FORMAS próprias de ADORAÇÃO.

E vocês, no que creem???

Mojúbà(respeitosamente), Mãe Elza de Yemojá – (81) 8546.0005 / 3242.7529

Presidenta do ILÉ ÀSE EGBÉ AWO

Coordenadora Religiosa da ACTP-CAMINHADA DOS TERREIROS DE PERNAMBUCO

Conselheira – CONSELHO ESTADUAL DE DIREITOS HUMANOS “POVOS DE MATRIZ AFRICANA”

Conselheira – CONSELHO ESTADUAL DA PROMOÇÃO DE IGUALDADE RACIAL

Membro – Fórum Inter-religioso DIÁLOGOS

Conselheira Religiosa

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Comunidades da Ilha de Boipeba/BA lutam para defender território de mega projeto imobiliário

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 24, 2014 at 3:34 pm

Por assess

logo Revista Conexão Afro 24 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

oria de comunicação do CPP Nacional

boipeba 2 2
A Ilha de Boipeba é considerada uma das mais lindas do mundo

Comunidades de pescadores artesanais, marisqueiras e quilombolas da Ilha de Boibepa, no município de Cairú, Bahia, vêm sendo ameaçadas pela implementação do Projeto Turístico-Imobiliário Fazenda Ponta dos Castelhanos, criado em 2001 pela empresa Mangaba Cultivo de Coco Ltda. Os grupos tradicionais da região estão em luta para que se debata o processo de licenciamento do empreendimento, que já tem parte aprovada pelos órgãos ambientais, e a maneira como ele chega ao território, em que deve prevalecer o diálogo e o respeito às comunidades.

No dia 03 de julho, aconteceu uma audiência pública na qual as populações locais deixaram claro o repúdio pela forma como o projeto é implementado. Para as comunidades, tudo está sendo feito de forma obscura e sem diálogo. “No começo, nós nem sabíamos quem havia comprado o terreno. O comprador ficou escondido e começou a cercar algumas passagens e intimidar ações das comunidades”, denunciaram os moradores.

O empreendimento milionário prevê a ocupação de 20% da Ilha de Boipeba com a construção de 69 lotes para residências fixas ou de veraneio; condomínio com 32 casas; três pousadas de grande porte; aeroporto; um pier para 153 embarcações; campo de golf de 18 buracos; além de parques de lazer; estradas e infraestrutura de água e telefonia.

Em contrapartida, não propõe soluções para o acréscimo de quase 260% de lixo, nem para os diversos impactos ambientais que o próprio projeto aponta, relacionados às agressões ao meio ambiente e às consequências na pesca, na mariscagem e no extrativismo, além da ameaça à biodiversidade da região. Muitas das obras irão invadir áreas de pesca e mergulho, desmatarão boa parte do mangue preservado, atacarão áreas de guaiamum, dentre outras irregularidades já  apontadas pelas entidades ambientais.

Da maneira que está sendo desenvolvido, o projeto representa uma ameaça ao modo de vida, ao território e à própria existência das comunidades tradicionais locais, que há séculos conservam aquele ambiente, uma das mais belas Ilhas do planeta.

A advogada Kassira Bonfim, que acompanha os trâmites e defende o interesse da participação das comunidades no processo, esteve presente na audiência do dia 03 e relatou a determinação e conhecimentos demonstrados pelos pescadores e marisqueiras."Um projeto de padrões milionários ofertando às comunidades todas as vantagens estereotipadas do mundo capitalista, mas aquela população teve a lucidez e sabedoria de dizer não em proteção do seu modo de vida, dos seus princípios, das suas crenças, numa demonstração da envergadura moral que eu sempre vi neles", relata a advogada.

A luta das populações locais reivindica sua maior participação no processo da chegada do mega empreendimento à Ilha. Os moradores pedem o redesenho do projeto de modo que atenda as necessidades locais e respeite seu modo de vida e o próprio meio ambiente. Cabe aos órgãos ambientais envolvidos, Inema e IBAMA, desacelerarem a maneira desordenada e impositiva que o mega empreendimento chega à Ilha de Boipeba e escutar o lado de quem realmente conhece e vive a região.

Movimento de luta e denúncias

Em 2013, a população fez um apelo à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável, mas até hoje não obteve resposta. Agora, os moradores fazem um abaixo-assinado online pedindo a atenção, cuidado, estudo, fiscalização e proteção às questões ambientais e das comunidades tradicionais relacionadas ao licenciamento do projeto. O intuito é chamar a atenção da sociedade para o caso.

No último dia 19, em reunião com advogados, os moradores discutiram o direito de serem preservados como comunidades tradicionais e como participar melhor do processo de licenciamento, além da necessidade de se criar condições para que o projeto abra-se à comunidade para ouvi-la e interagir de forma saudável. A reunião ainda levantou as ameaças e intimidações que a população vem sofrendo para se afastar das praias. Pontuaram, inclusive, a ilegalidade de lotes em toda a costa cercando manguezais sem a presença do órgão da União competente.

Campanha Nacional pela Regularização do Território das Comunidades Tradicionais Pesqueiras

Assim como os moradores da Ilha de Bopieba, inúmeras são as comunidades tradicionais que sofrem com o avanço de grandes projetos e com a política desenvolvimentista adotada pelo Estado brasileiro. Nesse contexto, o Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP), há dois anos, trabalha a Campanha Nacional pela Regularização do Território das Comunidades Tradicionais Pesqueiras, que propõe um projeto de lei de iniciativa popular que reconhece, protege e garante o direito ao território de pescadores e pescadoras artesanais de todo país. Para conhecer a iniciativa e contribuir com a luta, acesse o blog da Campanha.

Assessoria de comunicação 

Conselho Pastoral dos Pescadores – Nacional 

www.cppnac.org.br

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  305566

O 1º Seminário para Preservação do Patrimônio Cultural Compartilhado entre o Brasil e a Nigéria

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 21, 2014 at 6:38 pm
logo Revista Conexão Afro 21 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

O 1º Seminário para Preservação do Patrimônio Cultural Compartilhado entre o Brasil e a Nigéria é resultado da articulação dos cinco terreiros de tradição nagô, tombados como patrimônio nacional do Brasil, o Ilé Àse Iyá Nassó Okà (Casa Branca do Engenho Velho), Ilé Àse Opo Àfonjá, Ilé Iyá Omi Àse Iyamassé (Terreiro do Gantois), Ilé Maroialaji (Terreiro Alaketu) e Ilé Osùmàré Arákà Àse Ogodó (Casa de Oxumarê), com apoio do Ministério da Cultura, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN e Governo do Estado da Bahia, para o incentivo e promoção da interlocução acerca da preservação e salvaguarda de seus bens culturais.
O objetivo é estabelecer um canal de diálogo entre atores governamentais brasileiros e nigerianos, proporcionando a oportunidade de ampla discussão sobre as políticas públicas de preservação e salvaguarda do patrimônio cultural compartilhado pelos dois países. É esperada também a participação de comunidades tradicionais de terreiros, organizações culturais públicas e privadas, entes religiosos, pesquisadores, estudantes e sociedade civil em geral.
Este seminário contará, sobretudo, com a valiosíssima participação de representantes vindos da Nigéria, um dos principais berços das religiões tradicionais africanas preservadas no Brasil. Integrarão o grupo: o Ministro da Cultura do governo nigeriano, líderes tradicionais representantes da diversidade cultural da cidade de Oyo e, finalmente, Sua Majestade Imperial, o Alaafin de Oyo, Oba Ladeyemi III, acompanhado de sua comitiva tradicional. Este último é tido como pai e guardião do povo ioruba, herdeiro da coroa de Xangô.
Serão realizadas mesas-redondas, palestras, apresentações culturais e visitas às cinco casas tombadas.
28 de julho (segunda-feira)
Fórum Ruy Barbosa (Palácio da Justiça)
14:30 a 15:50 | Solenidade de Abertura.
16:00 a 16:40 | Palestra magna de Sua Majestade Imperial, o Alaafin de Oyo.
16:40 a 17:00 | Apresentação Cultural.
17:00 a 18:30 | Mesa-Redonda 1: Nos caminhos de Xangô: o patrimônio cultural compartilhado entre Oyo e a Bahia.
1) A importância do Império de Oyo e a riqueza cultural preservada na cidade de Xangô;
2) A centralidade do culto de Xangô nos terreiros de Candomblé Nagô da Bahia e suas ligações com império de Oyo.
18:30 a 20:00 | Mesa-Redonda 2: Problemáticas e Instrumentos da Preservação e Salvaguarda do Patrimônio Compartilhado no Brasil e na Nigéria.
1) Políticas públicas para a preservação e valorização do patrimônio cultural dos povos e comunidades de matriz africana no Brasil (tombamento, mapeamentos e planos de gestão integrada);
2) Proteção e gestão do patrimônio cultural da cidade de Oyo: possíveis mecanismos de proteção.
29 de julho (terça-feira)
09:00 a 12:00 | Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
14:00 a 17:00 | Casa de Oxumarê
Visita da comitiva de Oyo à Casa de Oxumarê encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
30 de julho (quarta-feira)
09:00 a 12:00 | Ilê Àse Opo Afonjá
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro Ilé Àse Opo Àfonjá para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
14:00 a 17:00 | Terreiro Alaketu
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro Alaketu para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
31 de julho (quinta-feira)
09:00 a 12:00 | Terreiro do Gantois
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro do Gantois para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
ai

— com Mãe Dete da Oxum e outras 19 pessoas.

Foto: O 1º Seminário para Preservação do Patrimônio Cultural Compartilhado entre o Brasil e a Nigéria é resultado da articulação dos cinco terreiros de tradição nagô, tombados como patrimônio nacional do Brasil, o Ilé Àse Iyá Nassó Okà (Casa Branca do Engenho Velho), Ilé Àse Opo Àfonjá, Ilé Iyá Omi Àse Iyamassé (Terreiro do Gantois), Ilé Maroialaji (Terreiro Alaketu) e Ilé Osùmàré Arákà Àse Ogodó (Casa de Oxumarê), com apoio do Ministério da Cultura, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN e Governo do Estado da Bahia, para o incentivo e promoção da interlocução acerca da preservação e salvaguarda de seus bens culturais.

O objetivo é estabelecer um canal de diálogo entre atores governamentais brasileiros e nigerianos, proporcionando a oportunidade de ampla discussão sobre as políticas públicas de preservação e salvaguarda do patrimônio cultural compartilhado pelos dois países. É esperada também a participação de comunidades tradicionais de terreiros, organizações culturais públicas e privadas, entes religiosos, pesquisadores, estudantes e sociedade civil em geral.

Este seminário contará, sobretudo, com a valiosíssima participação de representantes vindos da Nigéria, um dos principais berços das religiões tradicionais africanas preservadas no Brasil. Integrarão o grupo: o Ministro da Cultura do governo nigeriano, líderes tradicionais representantes da diversidade cultural da cidade de Oyo e, finalmente, Sua Majestade Imperial, o Alaafin de Oyo, Oba Ladeyemi III, acompanhado de sua comitiva tradicional. Este último é tido como pai e guardião do povo ioruba, herdeiro da coroa de Xangô.

Serão realizadas mesas-redondas, palestras, apresentações culturais e visitas às cinco casas tombadas.

28 de julho (segunda-feira) 
Fórum Ruy Barbosa (Palácio da Justiça)

14:30 a 15:50 | Solenidade de Abertura.

16:00 a 16:40 | Palestra magna de Sua Majestade Imperial, o Alaafin de Oyo.

16:40 a 17:00 | Apresentação Cultural. 

17:00 a 18:30 | Mesa-Redonda 1: Nos caminhos de Xangô: o patrimônio cultural compartilhado entre Oyo e a Bahia.
1) A importância do Império de Oyo e a riqueza cultural preservada na cidade de Xangô;
2) A centralidade do culto de Xangô nos terreiros de Candomblé Nagô da Bahia e suas ligações com império de Oyo. 

18:30 a 20:00 | Mesa-Redonda 2: Problemáticas e Instrumentos da Preservação e Salvaguarda do Patrimônio Compartilhado no Brasil e na Nigéria.
1) Políticas públicas para a preservação e valorização do patrimônio cultural dos povos e comunidades de matriz africana no Brasil (tombamento, mapeamentos e planos de gestão integrada);
2) Proteção e gestão do patrimônio cultural da cidade de Oyo: possíveis mecanismos de proteção. 

29 de julho (terça-feira)
09:00 a 12:00 | Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
14:00 a 17:00 | Casa de Oxumarê
Visita da comitiva de Oyo à Casa de Oxumarê encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.

30 de julho (quarta-feira)
09:00 a 12:00 | Ilê Àse Opo Afonjá
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro Ilé Àse Opo Àfonjá para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
14:00 a 17:00 | Terreiro Alaketu
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro Alaketu para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.

31 de julho (quinta-feira)
09:00 a 12:00 | Terreiro do Gantois
Visita da comitiva de Oyo ao Terreiro do Gantois para encontro sobre ações preservacionistas, origens, ancestralidade e manutenção das tradições.
ai

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Alabê Ôni bem perto de Porto Alegre nesse fim de semana:

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 19, 2014 at 3:10 pm
logo Revista Conexão Afro 19 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Alabê Ôni bem perto de Porto Alegre nesse fim de semana: 25/07/14 – Canoas
Local / Endereço: Casa das Artes Villa Mimosa – Av. Guilherme Schell, 6270
Horário: 19h

26/07/14 – Novo Hamburgo
Local / Endereço: Espaço Cultural Albano Hartz – Passeio Calçadão Osvaldo Cruz, 112
Horário: 20h. Foto de Náthaly Weber

Alabê Ôni bem perto de Porto Alegre nesse fim de semana: 25/07/14 – Canoas<br />
Local / Endereço: Casa das Artes Villa Mimosa - Av. Guilherme Schell, 6270<br />
Horário: 19h</p>
<p>26/07/14 – Novo Hamburgo<br />
Local / Endereço: Espaço Cultural Albano Hartz – Passeio Calçadão Osvaldo Cruz, 112<br />
Horário: 20h. Foto de Náthaly Weber

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  3055665

CurtirCurtir · · Compartilhar

III Curso de Especialização Saberes Africanos e Afro-brasileiros na Amazônia. Implementação da Lei 10.639/03

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 17, 2014 at 8:53 pm
logo Revista Conexão Afro 18 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO
 

A Universidade Federal do Pará, através do Grupo de Estudos Afro-Amazonico, do IFCH-UFPA e da Faculdade de Ciências Sociais – com apoio da SECADI-MEC e COPIR/SEDUC-PA –, faz saber que estão abertas, no período de 16 de julho a 16 de agosto de 2014, as inscrições para o Processo de Seleção do “Curso de Especialização UNIAFRO: Política de Promoção da Igualdade Racial da Escola.” (III Turma de Especialização Saberes Africanos e Afro-brasileiros na Amazônia Implementação da lei 10.639/03), exclusivamente para professores que já atuam na rede básica de ensino do município, estado e federal.

Continue a leitura »

Atividades do Projeto "A Cor da Cultura" na EEEFM Duque de Caxias.

Em 25 de maio em alusão ao Dia Internacional da África na EEEFM Duque de Caxias (USE 08 – Marambaia) os professores motivados pelo Projeto “A Cor da Cultura” e com auxílio do kit educativo realizaram várias atividades com os alunos.

As atividades de cunho multidisciplinar foram coordenadas pelos professores da Biblioteca – Profa.: Hermelíndia Menezes, Laboratório Multidisciplinar – Profa.: Cintia Souza, História – Profa.: Leila Melo, Artes – Prof.: Fernando, Matemática – Prof.: Scyllas Monteiro, e Física – Prof.: Antonio Ricardo.

Durante as atividades dois murais foram produzidos, além das Adinkras que os alunos trabalharam como temática na disciplina de artes, houve proclamação da poesia "Sou Negro" pelo aluno Willian do Ensino Fundamental e a produção de um rap "Pela raça negra" do aluno Arllan da EJA.

Foi uma linda programação que envolveu a todos numa atmosfera afro-brasileira desde a sua elaboração. E gostaríamos de divulgar nossa atividade como forma de incentivo a esses alunos e como ideia aos demais colegas de produção esclarece a Profa. Cintia Souza.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO UNIAFRO:

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 17, 2014 at 8:16 pm
logo Revista Conexão Afro  17  de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

O curso de especialização UNIAFRO: Política de promoção da igualdade racial na escola, da Universidade Federal de Ouro Preto, tem como objetivo abordar as políticas públicas traçadas para o enfrentamento do racismo, de forma que a Lei nº 10.639/03, que inclui o ensino de História e Cultura Afro-brasileira no currículo escolar brasileiro, seja contemplada.

Em sua primeira edição, o curso contará com cinco polos, que são: Barroso/MG, Campinas/SP, Mariana/MG, Ponte Nova/MG e Timóteo/MG.

Selecionaremos ao total 250 alunos, sendo 50 para cada Polo.

Divulguem e participem!

Agradecemos o apoio.

Atenciosamente,

Equipe Uniafro

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO UNIAFRO:

Política De Promoção da Igualdade Racial na Escola

Rua do Seminário S/N, Centro, Mariana-MG, CEP:35.420-000

Site: http://uniafroufop.wix.com/uniafroufop

Facebook: http://www.facebook.com/uniafro

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Reunião da Coordenação do GT Aids e religião RS ‏

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 16, 2014 at 5:49 pm

 

logo Revista Conexão Afro  16  de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

IMG_0805.JPGNo dia 16 de julho aconteceu na sala de reuniões da Sessão de DST/Aids/RS encontro da coordenação do GT Aids e Religião RS para avaliação dos encontros acontecidos em Caxias do Sul e Passo Fundo e planejamento dos que ainda irão acontecer dia 26 Rio Grande e Pelotas e com datas a confirmar em Santa Maria e Porto Alegre. A equipe avaliou como positivo os encontros de Caxias do sul e Passo Fundo. Houve envolvimento da gestão local, das matrizes religiosas e das Organizações da sociedade civil que atuam localmente. Cada um dos Municípios  fez uma boa leitura sobre a epidemia e sobre a resposta bem como avaliou e planejou ações conjuntas para os próximos meses. A Coordenação avaliou também a necessidade de respeitar a realidade local e a capacidade de flexibilizar a programação e metodologia de trabalho. Foram considerados para continuidade do processo desafios que ficam tanto para gestão, como para a sociedade civil bem como para as matrizes religiosas. A equipe está avaliando como será a melhor forma de dar continuidade e monitorar o processo que vem se organizando.

GT Aids e Religião/RS

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá CONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Mãe Fabiana de Ossanha : Convida para os 24 anos de Mãe Oxum

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 13, 2014 at 2:54 am

 

logo Revista Conexão Afro 13 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

  Apresentação sem título (1)

Convite elaborado pelo núcleo de comunicação da Assobecaty

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Os povos e comunidades tradicionais, a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Carta de Belém – PA.

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 12, 2014 at 12:00 am

 

• 21:00

logo Revista Conexão Afro 12 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Reunidos em Belém – PA entre os dias 03 e 05 de Junho, no Encontro Regional de Povos e Comunidades Tradicionais (PCTs) da Região Norte, com o objetivo de discutir e avaliar a política nacional de Povos e Comunidades Tradicionais (Decreto nº. 6.040/2007), os PCTs publicaram sua Carta de preocupações com o atual cenário político brasileiro e ao final reivindicaram seus direitos étnicos e territoriais.

A Carta de Belém tem como eixo central, a exigência dos PCTs para que o Estado brasileiro os reconheça perante a OIT como sujeitos de direitos da Convenção 169 da OIT sobre povos Indígenas e Tribais (C169), satisfazendo a sua dignidade humana e colocando fim na patente contradição do Estado em manter uma política voltada aos PCTs, inclusive, com assentos na Comissão Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (CNPCT), e ao mesmo passo, negar direitos territoriais quando não os reconhece perante a OIT. Sublinhe-se, que atualmente, somente os quilombolas e os povos indígenas figuram formalmente como sujeitos de direitos da Convenção 169 da OIT.

Os PCTs são povos cujas condições sociais, culturais e econômicas os distinguem da coletividade nacional e assim se autorreconhecem, portanto, não restando óbice ao reconhecimento perante a OIT.

Apontamos como grande avanço o fato de os Povos de Terreiros requererem o devido reconhecimento nos termos da Convenção 169. Esta postura revela um deslocamento conceitual e político concernente aos Terreiros. Inicia-se, quiçá, um afastamento da lógica do direito preservacionista em voga no Brasil que visa o tombamento dos Terreiros, e ruma-se para uma perspectiva jurídica mais ampla calcada no direito étnico e territorial.

A Carta de Belém inaugura um novo debate junto ao Estado brasileiro, uma vez que exige o respeito, pelo Estado, ao princípio da autodeterminação/autodefinição dos PCTs e reconhecê-los como sujeitos de direitos da Convenção 169. Eis aqui o desafio!

Por: Danilo Serejo Lopes

Quilombola de Alcântara – MA, membro do Ilê Axé Alagbede Olodumáre, Mestrando em Cartografia Social e Política da Amazônia (UEMA/UFMG

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Mãe Carmen de Oxalá INFORMA

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 11, 2014 at 2:26 am

at 2:00 pm

logo Revista Conexão Afro  11  de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Estamos chegando, nos bairros , centro, Morada da Colina, São Jorge, Logradouro, Vila Iolanda Praia da Alegria e;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

Foto: Estamos chegando, nos  bairros , centro, Morada da Colina, São Jorge, Logradouro, Vila Iolanda Praia da Alegria e;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

Corpo e Imagem nos Terreiros

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 10, 2014 at 2:52 pm

 

logo Revista Conexão Afro 10 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

ImageProxylogo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655

ASSOBECATY em Processo de Renovação de Alimentos do Projeto Ajeun Ilerá em Pauta

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Julho 9, 2014 at 8:39 pm
09 de JULHO –Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

No dia 10 de junho de 2014, foi realizada na sede da ASSOBECATY,  a reunião de avaliação  do Programa PAA, para  renovação da parceria do PAA Guaíba-  Projeto Ajeun Ilerá. P6020010

A gestora do Projeto e o  assessor da  Cooperativa dos Agricultores Assentados da Região de Porto Alegre (COOTAP) fizeram análise do processo.

P6020009

Projeto Ajeun ilerá, tem sido um poderoso instrumento , para acender  as chamas utópicas de  promover um processo de melhoria econômica e social. Assume uma  especial relevância, para a transformação social.

P6020012

Asssobecaty está centrando esforços de realizar as transformações naquilo que afeta negativamente certas comunidades.

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de OxaláCONEXÃO AFRO
  (51) 81810404 / (51)  30556655