Revista Online Conexao Afro

Archive for Abril, 2012|Monthly archive page

Agradecimento Pai Zé de Oxalá

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 30, 2012 at 4:33 pm

Queridos Amigos

N°01- 30 de abril  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

E com imensa satisfação que agradeço a todos que puderam participar da Roda de Conversa : O Batuque do Sul Promovendo a Vida(Projeto Piloto),realizado no

P4110025_thumb[7]

meu Ilê nos dias 20/04 e 27/04.Agradeço aos Gestores presentes e a todas pessoas convidadas.
Esperando que este seja apenas o começo de mais uma longa e produtiva caminhada prol da saúde e da vida,me coloca disposição para qualquer duvida e informação.
Segue em anexo fotos da nossa reunião.
Um Bom Axé a todos
Pai Zé e Oxalá OLokum.

 

 

 

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Anúncios

Encerrada a Roda de Conversa: O Batuque do Sul Promovendo a Vida em Gravataí

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 29, 2012 at 11:47 pm

N°01- 29 de abril  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

A Roda de Conversa o Batuque do Sul Promovendo a Vida – Projeto Piloto proposta pela Rede Estadual de Núcleos de Ilês Afro Aids, no estado do Rio Grande do Sul , encerra sua segunda etapa de atividades no Ilê de Pai Zé de Oxalá, sexta- feira ( 27) em Gravatai – RS.

P4240056

A SBCA- Sociedade Beneficente Cultural Africana, abriu as portas para o  Projeto Piloto RODA DE CONVERSA: O BATUQUE DO SUL PROMOVENDO A VIDA proposta da Rede Estadual de Núcleos de Ilês Afro Aids em parceria com a Secretaria Estadual  da Saúde através da Equipe DST/AIDS, coordenada por Ricardo Charão.

P4240055

Se é para discutir politicas especificas para terreiras, não existe melhor  lugar que  oferece condições singulares para a realização dessa discussão que a terreira. Enquanto acontecia o debate os convidados disfrutavam do axé do dono da casa MUNGUNZÀ- Cangica de Pai Oxalá.

  P4240066        

“Dentro da terreira depois do orixá o que é mais sagrado é a  comida e o corpo” essa frase é do anfitrião Zé de Oxalá, quando fazia  sua explanação,  sobre a diferenciação dos termos “ terreiro “ e “ terreira”.

P4240062

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Gravataí, se fez presente por meio da Coordenação e equipe  Municipal de DST/Aids e Hepatites Virais.

P4240067

Com a presença dos gestores e equipes municipais e estaduais, nesta ocasião potencializaram as atividades.

P4240069

   A participação do Presidente do Conselho de Saúde – Rafaeli Marques da Silva.

P4240068

Certamente o principal investimento a interação socioeducativa saudável, no respeito a tradição afro gaúcha, afetividade, no acolhimento social e familiar, na resposta ao enfrentamento estadual a epidemia da Aids.

P4240065

O terreiro de Pai Zé de Oxalá, escreve uma pagina da história, de acordo com a crença africana jamais seria uma experiência êxitosa, sem a autorização dos orixás. A organização em forma de rede em prol  de ações que envolva diretamente a  transformação dos espaços religiosos em espaços irradiadores de informações  preventivas, essas ações, não são novas vem sendo construidas desde 2008.

P4240072

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Yalorixá Gilda de Yemanjá e Pai Zé de Oxalá dando abença  no final do evento.

Foi uma rica troca de saberes sobre a vivência do Batuque do Sul,  entrelaçada  com a temática de prevenção da Aids. A Rede de Núcleos de Ilês Afro Aids, esta fortalecida em Gravatai, maiores informações;

 

Terreiro de Pai Zé de Oxalá

Rua Alcides Lima nº 748

Morada do Vale 1

Gravataí- RS

 

A semana que vem  (3) de maio , o piloto acontecerá em Guaíba.

Assobecaty- Associação Beneficente Cultural Africana Templo de Yemanjá

Ás 19:30

Rua Wenceslau Fontoura nº 226

Santa Rita

Guaíba- RS

http://redeestadualdeilesafroaids.blogspot.com.br/

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Confira o sucesso total abertura da Roda de Conversa o Batuque do Sul Promovendo a Vida na Terreira de Pai Zé de Oxalá- Gravataí

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 28, 2012 at 12:29 pm

N°01- 28 de abril  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Sucesso total na abertura da Roda de Conversa o Batuque do Sul Promoveno a Vida, na terreira de Pai Zé de Oxalá em Gravatai- RS  no dia 20 de abril de 2012, que abriu gentilmente as portas de seu Ilê, com seus filhos, recebendo convidados, e os gestores da Secretaria Municipal e Estadual da Saúde.Para trabalhar o tema prevenção dentro da terreira, o  projeto piloto foi pensado para acontecer em um lugar muito sagrado, no qual para os frequentadores, ainda imperam valores como a palavra, a partilha o respeito a amizade e a vivência do coletivo.

A metodologia teve a previsão de 3 horas, por essa questão foi dividida em  momentos.

1º Momento de espera expectativa

100_2926

Na foto Mãe Gilca de Yemanjá, Mãe Fátima de Oxalá, Mãe Carmen de Oxalá e o anfitrião Pai Zé de Oxalá.

A terreira de Pai Zé de Oxalá, abriu a 1ª de uma série de  encontros, que é a proposta do piloto. Sbca- Sociedade Beneficente Cultural Africana   escreve uma página na história da religião no estado do Rio Grande do Sul, diante da epidemia da Aids

 DSCF0829

A participação  do Pesquisador Marcelo Musscari, Mãe Gilca de Yemanjá e o Presidente do Conselho de Saúde – Rafaeli Marques da Silva prestigiando a abertura  do evento.

DSCF0826

Contou com a presença de Ricardo Brasil Charão (em destaque) coordenador da Seção de DST/AIDS da SES/RS.

100_2953

Equipe do DST /Aids –

2º Momento Abertura

Abertura oficial ficou por conta do chefe da casa

 P4110025

Pai Zé de Oxalá, organizando para dar inicio abertura oficial do evento, Batuque do Sul, importante resposta estratégica para construir politicas públicas sobre ações de prevenção as DST/Aids e Hepatites Virais.

100_2934

Na abertura liturgica houve  muitos toques : atabaques e  adjás, para chamar os orixás abençoar todos. Pai Zé de Oxalá, manifestou emoção e alegria de estar recebendo o estado brasileiro em sua terreira, explica que a intervenção  está sinalizando  novos tempos, de reconhecimento do espaço sagrado como, um espaço que valoriza e promove a vida.

.100_2940

3º Momento  Apresentação da Rede 

Fala de Mãe Carmem (1)

Mãe  Carmen de Oxalá

A Mãe Carmen de Oxalá, coube o mérito de revelar a trajetória da Matriz africana em reposta a epidemia da Aids, foi ganhando corpo a partir do 1º Seminário AIds e Religião, seguido  no 1º Encontro Aids e Religião de Matriz Afro-brasileira, aconteceu em Porto Alegre RS, é  daí que  nasceu em 2009  a Rede de Núcleos de Ilês Afro Aids, terminava o periódo de silêncio dentro dos terreiros sobre a Aids. O povo do Batuque do Sul,  não havia se expressado de forma ativa e aberta sobre o tema, a partir de 2009 entrou no debate .        

100_2974

     Jair Andrade ,   Alessandra Zambeli Alberti ,Eliana Xavier e Jaqueline Oliveira

A equipe de técnicos do Departamento estadual de DST/Aids e Ações em Saúde da População Negra (DAS) da Secretaria da Saúde,Coordenados por  Ricardo Brasil Charão, acompanharam o projeto piloto.

4 º Momento Dinâmica do Nome

100_2970

5 º Momento atividade Dinâmica do abraço

Braços entrelaçados, o jogo de sorrir, brincar! É jogo,  coletivo. É também essa congregação das diferenças, das peculiaridades, das curiosidades, exatamente como é  dentro do espaço sagrado, foi o propósito da dinâmica.

100_2938

6º  Momento Dinâmica da transmissão do Axé

O instrumento utilizado para trabalhar a temática foi uma dinâmica de grupo

100_2983 

È preciso considerar as sensações e impressões que se sente, quando existe a permissão de viver a experiência da dinâmica.

 100_2963

Os valores civilizatórios em  debate,  tem sido ampliado consideravelmente, o  movimento das comunidades tradicionais afro-gaúchas de reafirmar suas singularidades, anunciam o próximo momento.

7ª Momento Atração Cultural

20

Á professora Zélia Lima, representando a Rede Cultura na Rua- Guaíba, tráz a  personagem Angola
17 

Atração cultural ficou por conta da personagem Angola, ela vem trazendo uma mensagem.

18

A  riqueza cultural africana, mesclada  com mensagens de  provocações, tendo como principal alvo o estigma em
torno da AIDS. surprendendo a todos.

8 ª Momento Debate

O começo da conversas foi  afiadíssima

DSCF0844 

Permeou a discussão a curiosidade, dúvidas,  e muita  vontade de descobrir
e esclarecer,

 100_2959

  O filhos de Pai Zé  entraram na roda de conversa, demosntrando  não se contentar com meias respostas.

100_2965

 

100_2958

Como o próprio nome diz, é uma ação de prevenção da Rede que vem ganhando novas dimensões e significações.

9º Momento Lembranças do evento

P4110012

Usando e abusando da originalidade do mimo que foi oferecido  aos participantes

 P4110014

Demostração de criatividade com as  velas em diversas cores simbolizando a vida.

19

A direção espiritual da casa religiosa. também, teve o cuidado de elaborar um material informativo que foi distribuido. Para que todos possam aprofundar o conhecimento de todos/as e que a roda de conversa possa levar mudanças profundas no pensamento e comportamneto das comunidades tradiconais de terreiras do Batuque do sul, onde um diálogo de promoção e valorização da vida é possível.

10ª Momento

Houve a gravação de depoimentos para campanha  de Prevenção da Aids

DSCF0845

Encerramento 

As palavras , frases que foram trabalhadas durante a Roda de Conversa o Batuque do Sul Promovendo a Vida ; Evocam o compromisso da religião afro gaúcha com a Prevenção da Aids.

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Convite Ilê Axé Ossanha Aguè

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 28, 2012 at 12:59 am

 

N°01- 28 de maio  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

562476_167177566741404_100003474858339_227660_675673828_n

REVISTA CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com(51) 97010303  81810404 e 30556655

STF Aprova por unanimidade a política de cotas raciais

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 27, 2012 at 1:23 pm

 

N°o1- 27  de abril  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

attachment

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Cantinho Temático de Ogum

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 27, 2012 at 1:02 am

N°o1- 27  de abril  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Este é o cenário que foi escolhido   para saudar o guerreiro, no dia 23 de abril.

P4140083

Realiza todos os anos a atividade durante o dia na Praça, montar  o Cantinho Temático de Ogum,  e a noite todos participam da Procissão Tradicional da Terreira de Pai Roni de Ogum.

 P4140071

P4140063

                                                              Dia 23 de abril , dia buscar forças, dia de exercitar a fé.

P4140054

        

P4140066

Vestir as roupas de santo e ir para praça com as armas, simboliza enfrentar todos os tipos de  intolerancia, com as espadas de Jorge. Na cidade de Guaíba o dia amanheceu com 7º graus de temperatura. Fato, que não foi impecilio para as Yalorixás irem para a beira da Praia do Rio Guaíba, com o CANTINHO TEMÁTICO DE OGUM.

P4140093

As Yás Mãe Carmen de Oxalá, Mãe Bere de Oxum e Mãe Nilza, chegando no cantinho temático para trabalhar

        

P4140094

                                                                                              Mãe Nilza

P4140092

        

                                                                                      Na frente Mãe Bere de Oxum

P4140091 Dia de conversar e abençoar o povo.

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

REDE ESTADUAL DE NUCLEOS DE ILES AFRO AIDS, Gera expectativa em Gravatai, com o Projeto Piloto Roda de Conversa : O Batuque do Sul Promovendo a Vida

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 26, 2012 at 11:35 am

N°o1- 26  de abril  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Pai Zé de Oxalá, é assim que ele é conhecido, querido e respeitado na cidade de Gravatai.Ele é o dirigente espiritual da Sbca – Sociedade Beneficente Cultural Afro Reino de Oxalá Olokun e Oxum Pandá, abriu suas portas para receber na sexta (20) o Projeto Piloto

RODA DE CONVERSA: O BATUQUE DO SUL PROMOVENDO A VIDA

O marco inicial de  participação e  uma resposta cadênciada e articulada a epidemia da AIDS, aconteceu no  1 º Seminário Aids e Religião no ano de 2008. Seguida no 1º Encontro AIDS e Religião de Matriz Africana em 2009, neste foi oficializado a formação da Rede Estadual de Núcleos de Ilês Afro Aids. No dia 2 de Dezembro de 2010 Pai Zé e Mãe Fátima realizaram em Gravatai o 1º Encontro Aids e Religião de Matriz Africana , na Sede da Acecovale.

P4110025_thumb[10]

Pai Zé integra a resposta dos religiosos de comunidades tradicionais de terreiros do Batuque do Sul a epidemia da AIDS.

P4110003_thumb[7]

A Rede Estadual está consolidada, também  com um núcleo no terreira  de Mãe Fátima de Oxala, também em Gravataí , sendo que a proposta do piloto deveria contemplar os dois núcleos em Gravatai, no dia 20 no Ilê de Pai Zé e 27 no terreiro de Mãe Fátima de Oxalá, como o Ilê de Mãe Fátima de Oxalá está passando por reformas. Dia (27) o piloto volta acontecer nomente no terreiro de Pai Zé de Oxalá.

.

P4110008_thumb[6]

Na foto Mãe Gilda de Yemanjá e Mãe Fátima de Oxalá , estão aguardando o inicio da Roda de Conversa

P4110005_thumb[4]

A professora de Literatura Zélia Lima, integrante da Rede Cultura na Rua ,  com muita disposição saiu da cidade de Guaíba, para contribuir com sua criatividade e talento.

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

 

 

No STF, relator defende legalidade de cotas raciais em universidades

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 25, 2012 at 11:55 pm

N°o1- 25  de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Compartilho essa bel

Supremo julga ação do DEM que questiona sistema de cota racial da UnB.
Julgamento foi suspenso e será retomado na tarde desta quinta-feira (26).

ImageProxy (2)

Débora SantosDo G1, em Brasília

ImageProxyO ministro Ricardo Lewandowski, relator de ações
que contestam o sistema de cotas nas
universidades (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom /
Agência Brasil)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, relator de ações que contestam a legalidade de cotas raciais e sociais em universidades, votou nesta quarta-feira (25) pela validade dos sistemas de reserva de vagas com base em critérios de raça.

Após o voto do relator, o julgamento sobre cotas foi suspenso. O ministro Ayres Britto, que presidiu o primeiro julgamento após ser empossado, disse que, devido ao horário e falta de quórum para prosseguir os trabalhos, a análise do tema será retomada na tarde desta quinta (26).

Três ações estão na pauta do tribunal e a única que começou a ser analisada até o momento trata exclusivamente de cotas raciais. As outras ações abordam cotas raciais combinadas com o critério de o estudante vir de escola pública.

A ação analisada nesta quarta, protocolada pelo DEM, questiona o sistema de cotas raciais da Universidade de Brasília (UnB). A legenda afirma que o sistema adotado pela instituição de ensino, no qual uma banca analisa se o candidato é ou não negro, criou uma espécie de “tribunal racial”.

Para o relator, a política de cotas da UnB "não se mostra desproporcional ou irrazoável e é compatível com a Constituição". Ele afirmou que o sistema utilizado, que têm período de vigência de 10 anos, pode ser usado como "modelo" para outras universidades.

A política de ação afirmativa adotada pela UnB não se mostra desproporcional ou irrazoável e é compatível com a Constituição."

Ricardo Lewandowski, relator de ações sobre cotas em universidades

"O modelo que o Supremo tenta estabelecer, se o meu voto for prevalente, é esse modelo de que não é uma benesse que se concede de forma permanente, mas apenas uma ação estatal que visa superar alguma desigualdade histórica enquanto ela perdurar", destacou o relator após o julgamento.

Durante seu voto, Ricardo Lewandowski afirmou também que as políticas que buscam a inserção nas universidades não podem ser analisadas com critérios objetivos, que podem ajudar a "acirrar as distorções".

"Não raro a discussão é reduzida à defesa de critérios objetivos de seleção, isonômicos e imparciais, desprezando-se as distorções que podem acarretar critérios ditos objetivos de afirmação. Quando aplicados a uma sociedade altamente marcada por desigualdades, acabam por acirrar as distorções existentes […] ensejando a perpetuação de uma elite."

Para o relator, "aqueles que hoje são discriminados têm potencial enorme de contribuir que nossa sociedade avance culturalmente".

"Justiça social mais que simplesmente distribuir riquezas significa distinguir, reconhecer e incorporar valores. Esse modelo de pensar revela a insuficiência da utlização exclusiva dos critérios sociais ou de baixa renda para promover inclusão, mostrando a necessidade de incorporar critérios étnicos."

ImageProxy (1) O presidente do Supremo, Carlos Ayres Britto, que
preside o primeiro julgamento desde que tomou
posse, conversa com o relator das ações sobre
cotas em instituições de ensino, o ministro Ricardo
Lewandowski (Foto: Carlos Humberto / SCO / STF)

Lewandowski defendeu que a identificação como negro deve ser feita pelo próprio indivíduo para evitar discriminação. Mas, para coibir fraudes, ele admite alguns mecanismos como a elaboração de formulários com múltiplas questões sobre a raça, uso de foto e formação.

Além de Lewandowski, outros nove ministros do Supremo apresentarão sua posição sobre o tema. O ministro Dias Toffoli não participa do julgamento porque deu parecer a favor das cotas quando era advogado-geral da União.

Único ministro negro do STF
Joaquim Barbosa, único ministro negro do STF, fez um aparte ao voto do relator para falar sobre a posição dos que criticam os sistemas de cotas raciais. "Basta ver o caráter marginal daqueles que se opõe ferozmente a essas políticas."

Barbosa citou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, como "maior expoente" das ações afirmativas contra o racismo naquele país. "A que pode levar uma política de ação afirmativa em tão curto espaço de tempo", citou.

A imposição de um modelo de estado racializado, por óbvio, traz consequências perversas para formação da identidade de uma nação. (…) Não existe racismo bom. Não existe racismo politicamente correto. Todo o racismo é perverso e precisa ser evitado"

Roberta Kauffman, advogada que sustentou tese contrária às cotas raciais

Contra e a favor das cotas
Para a advogada do DEM, Roberta Kauffman, a seleção de quem teria direito às cotas na UnB é feitas com base em “critérios mágicos e místicos” e lembrou o caso dos irmãos gêmeos univitelinos, Alex e Alan Teixeira da Cunha. Eles se inscreveram no vestibular, em 2007, e, depois de analisadas fotos dos dois, Alan foi aceito na seleção das cotas e Alex não. Depois, a UnB voltou atrás.

“A imposição de um modelo de estado racializado, por óbvio, traz consequências perversas para formação da identidade de uma nação. […] Não existe racismo bom. Não existe racismo politicamente correto. Todo o racismo é perverso e precisa ser evitado”, disse a advogada.

A defesa da UnB argumentou que o sistema de cotas raciais busca corrigir a falta de acesso dos negros à universidade. Segundo a advogada Indira Quaresma, que representou a instituição, os negros foram “alijados” de riquezas econômicas e intelectuais ao longo da história. Para ela, a ausência de negros nas universidade reforça a segregação racial.

“A UnB tira-nos, nós negros, dos campos de concentração da exclusão e coloca-nos nas universidades. […] Sistema de cotas é belo, necessário, distributivo, pois objetiva repartir no presente a possibilidade de um futuro melhor”, afirmou a advogada da UnB.

Se a universidade elege como missão promover a diversidade é esse o critério a ser medido. A Constituição não prega o mérito acadêmico como único critério"

Deborah Duprat, vice-procuradora-geral da República ao defender a autonomia das universidades para decidir sobre cotas

A validade das cotas raciais como política afirmativa de inclusão dos negros foi defendida também pelo advogado-geral da União, Luís Inácio de Lucena Adams e pela vice-procuradora-geral, Deborah Duprat. Para eles, o racismo é um traço presente na cultura brasileira e que precisa ser enfrentado.

“Precisamos abrir e ver onde estão essas situações de discriminação, de desfavorecimento de brasileiros e brasileiras e devemos, de fato, apoiar e sustentar para prevalecerem políticas afirmativas como a que a universidade vem adotando de forma eficaz”, disse Adams.

“A missão que a universidade elege é que vai determinar os méritos para a admissão. Se a universidade elege como missão promover a diversidade é esse o critério a ser medido. A Constituição não prega o mérito acadêmico como único critério”, completou a representante do Ministério Público Federal, defendendo a autonomia das universidades.

saiba mais

Além dos representantes da UnB, do DEM e da União, outros 10 advogados ocuparam a tribuna do STF para defender suas posições contra ou a favor das políticas de reserva de vagas em universidades tendo a raça como critério.

A maioria das entidades participou de audiência pública realizadas pelo Supremo, em março de 2010, para discutir o tema. As opiniões se dividem entre os que defendem e criticam a adoção da questão racial como critério em detrimento de outros fatores, como a renda do candidato.

Grupo em frente ao Supremo pede continuidade do sistema de cotas em universidades (Foto: Débora Santos / G1)

Outras ações
Além da ação específica sobre a Unb, outras duas ações sobre cotas estão na pauta do Supremo. Uma delas se refere a recurso que questiona a política adotada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que combina dois critérios para a seleção: a origem de escola pública e a "raça".

Outra ação que deve ser analisada é a que contesta o sistema de reserva de bolsas de estudo para negros, indígenas, pessoas com deficiência e alunos da rede pública implementado pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) do governo federal. O sistema de seleção para recebimento do benefício foi atacado pelo DEM e por entidades como a Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino.

http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=5167373372034653801#allposts

http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2012/04/no-stf-relator-defende-legalidade-de-cotas-raciais-em-universidades.html

Delio Martins

MNU Rio de Janeiro/RJ

http://mnurio.blogspot.com.br/2012/04/cotas-raciais-um-dia-historico-para.html

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

I Semana de Antropologia e Arqueologia da UFMG: Patrimônios Culturais

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 24, 2012 at 8:30 am

N°o1- 24  de abril  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

23 de Abril às 14:00 até 27 de Abril às 19:00

  • Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

  • APRESENTAÇÃO
    O Grupo de Estudos em Antropologia e Arqueologia (Geaarq) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) convida a todos os interessados para a I Semana de Antropologia e Arqueologia da UFMG. Este evento, seguindo a linha que a UFMG vem percorrendo, tanto na graduação quanto na pós-graduação, no que se refere à formação em Antropologia e em Arqueologia, servirá como um espaço de atuação, discussão e reflexão sobre o diálogo entre estas duas áreas do conhecimento, além de um lugar privilegiado para a troca de experiências acadêmicas e profissionais entre estudantes, professores e pesquisadores diversos. O eixo temático geral deste evento será sobre “Patrimônios Culturais”.
    PROGRAMA
    23 de abril, segunda-feira:
    14:00 – Auditório Professora Sônia Viegas (FAFICH/UFMG)
    Um Diálogo Sobre Os Diálogos Entre Antropologia E Arqueologia
    Carlos Magno Guimarães (UFMG) & Ruben Caixeta De Queiroz (UFMG)
    17:00 – Auditório Professora Sônia Viegas (FAFICH/UFMG)
    Patrimônios Subaquáticos E Navais
    Bruno Sanches Ranzani Da Silva (UFPEL)
    24 de abril, terça-feira:
    14:00 – Auditório Professora Sônia Viegas (FAFICH/UFMG)
    Patrimônios Arqueológicos Em Perspectiva: Prevenção, Proteção E Produção De Conhecimento
    Alexandre Henrique Delforge (IPHAN), Tiago Moreira Alves (BRANDT), Roberto Pontes Stanchi (IPHAN) & Maria Jacqueline Rodet (UFMG)
    25 de abril, quarta-feira:
    14:00 – Auditório Professora Sônia Viegas (FAFICH/UFMG)
    Patrimônios, Cidades, Urbanidades: Culturas, Histórias E Políticas
    Michele Abreu Arroyo (PBH), Frederico de Paula Tofani (UFMG), Diogo Menezes Costa (UFMG) & Ana Lúcia Modesto (UFMG)
    26 de abril, quinta-feira:
    14:00 – Auditório Professora Sônia Viegas (FAFICH/UFMG)
    Tradicionalidades, Territorialidades, Imaterialidades: Patrimônios E Estado Nacional
    Corina Maria Rodrigues Moreira (IPHAN), Carlos Eduardo Marques (UNICAMP) & Andréa Luisa Moukhaiber Zhouri (UFMG)
    17:00 – Auditório Professor Luiz Bicalho (FAFICH/UFMG)
    Patrimônios Pré-históricos E Indígenas
    Andrei Isnardis Horta (UFMG) & Deborah De Magalhães Lima (UFMG)
    27 de abril, sexta-feira:
    14:00 – Auditório Professora Sônia Viegas (FAFICH/UFMG)
    Alguns Desafios Dos Cursos De Graduação Em Antropologia E Arqueologia
    Andrés Zarankin (UFMG) & Rogério Duarte Do Pateo (UFMG)
    MAIS INFORMAÇÕES
    http://geaarq.blogspot.com.br/
    geaarq@yahoo.com.br

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

SOMOS TODAS RAINHAS".

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 22, 2012 at 8:13 am

N°o1- 22  de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Compartilho essa bela iniciativa!Segue abaixo o convite para o lançamento:

Car@s

Com muita alegria estaremos lançando na próxima semana a cartilha "SOMOS TODAS RAINHAS". Nossa mais nova publicação traz a história de grandes guerreiras da África e do Brasil afim de elevar a auto-estima das mulheres que são constantemente esquecidas nas salas de aula de nossas escolas e dos meios de comunicação de massa.

Confira no cartaz abaixo as datas e locais de lançamento e compareça.

Abraços, Chindalena F. Barbosa, Roberta Melo e Samoury Mugabe

Associação Frida Kahlo e Articulação Política de Juventudes Negras

convite-somos-todas-rainha

Caso não consiga visualizar esse e-mail, acesse http://afrika.org.br/mail-mkt/

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Alguns esclarecimentos sobre o Mapeamento do DF e Entorno ) Quem tem competência para fazer o mapeamento?

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 22, 2012 at 7:59 am

 

N°o1- 22  de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

ImageProxyQuem tem competência para fazer o mapeamento?

Resposta: A competência para realizar o mapeamento com levantamento de dados estatísticos e com validade perante as autoridades públicas cabe ao estado, no nosso caso o mesmo esta sendo realizado pela SEPIR DF – Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial do Distrito Federal.

2) É obrigatório que esteja filiado a alguma instituição?

Resposta: Não, a pessoa ou templo religioso que deseja ser mapeado, não necessita estar filiado a nenhuma instituição (Federação, Sindicato, Rede, etc), tal condição é assegurada pela Constituição Federal aonde em seu Inciso XX do artigo 5º consta"ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer associado". Assim, se alguém estiver lhe obrigando ou compelindo a se associar a alguma entidade classista, sindical, associativa, etc, para que assim venha a ser mapeado entre em contato com aSEPIR DF (61 3425-4703 ou 3425-4719) e faça a denúncia, pois é crime.

3) Existe a necessidade de se pagar alguma taxa para poder ser mapeado?

Resposta: Não, o mapeamento é gratuito e ninguém pode cobrar nenhuma taxa para que o mesmo seja realizado, ocorrendo tal situação procure documentar e denuncie àSEPIR DF também.

4) Qual a finalidade do mapeamento?

Resposta: A necessidade do mapeamento esta diretamente ligada à necessidade de mostrarmos ao estado aonde estamos, quem somos, quantos somos, o que fazemos e o que podemos vir a fazer, para que desta forma o mesmo possa identificar quais as nossas necessidades, implementando políticas públicas que atenda nossas especificidades, seja nas já existentes ou apresentando projetos para que possam ser criadas Leis que atendas nossos anseios, portanto é muito importante.

5) Quem pode ser mapeado?

Resposta: Todos os templos religiosos de religiosidade de matriz afrobrasileira que se encontre no Distrito Federal e Entorno (isto neste caso específico do mapeamento realizado pela SEPIR DF), outros estados possuem suas instituições, projetos e programas sendo realizados.

Lembramos que no nosso caso específico, além dos templos que possuem sede própria, também estamos mapeando àqueles que funcionam em fundo de quintal, em áreas alugadas, etc, caso tenha dúvida não precisa se preocupar, entre em contato pelos telefones (61) 3425-4703 ou 3425-4719 e informe os seus dados, caso preferir utilize o nosso formulário eletrônico clicando aqui, precisamos que todos participem, para que assim possamos cobrar do estado ações que atendam nossas necessidades.

Estou à disposição de todos os interessados, podem me telefonar ou escrever, este é um momento importante e ímpar que não podemos deixar de participar.

Alexandre de Oxalá

alexandre@redeafrobrasileira.com.br

(61) 9100-6132 / 8275-1972

(51) 97010303  81810404 e 30556655

CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxala :
caracoles
  (51) 81810404 / (51)  30556655

maecarmendeoxala@hotmail.com

Espanha- Barcelona – África do Sul saúdam a iniciativa da Rede Estadual de Núcleos de Ilês Afro Aids

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 22, 2012 at 12:13 am

N°o1- 21  de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

Roda de conversa: O BATUQUE DO SUL PROMOVENDO A VIDA – Projeto piloto da Rede Estadual de Núcleos de Ilê Afro Aids, vai além da prevenção da Aids. O diálogo com nosso povo de Matriz Africana  e o Governo Estadual por meio da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul. Yá Carmen de Oxalá II, (em destaque na foto) atacando de revistahttps://conexaoafro.wordpress.com/

    for the first time in the brazilian state of Rio Grande do Sul, a traditional community of African Matrix was heard in the needs about HIV / AIDS at "Ile" -sacred temple.

    Veja mais :Revista Conexão Afro https://conexaoafro.wordpress.com/    

    ou 

    Rede Estadual de Ilês Afro Aids  http://redeestadualdenucleosdeilesafroaids.blogspot.com.br/

    (51) 97010303  81810404 e 30556655

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
     
      (51) 81810404 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    Vilma Reis será uma das homenageadas no evento Mulheres que Fazem a Diferença

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 20, 2012 at 1:46 am

    N°o1- 20  de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFRO

    http://youtu.be/8q7oFfXR-Bo
    http://youtu.be/syYgmKNXL4Q
    Merecida homenagem,pois Vilma Reis é uma intelectual quilombista e orgânica que vai para as ruas defender a dignidade do povo negro como podenos notar na Campanha Reaja ou Será morto,Reaja ou Será Morta.Ainda  fez da UNEB E UFBA uma trincheira de luta contra o racismo no estado da Bahia,sempre enfocando os direitos políticos e sociais da mulher negra.A sua participação na CPI da Violência Urbana foi brilhante,pois ela teve a coragem de dizer na cara dos parlamentares que a nossa juventude negra vem sendo há décadas massacrada pelas forças repressivas do estado brasileiro.Para Vilma Reis, a polícia foi criada no século xix para matar os negros e esse modelo racista e perverso de segurança pública continua no" governo popular e democrático do PT , através da ação de vários grupos paramilitares e de agentes públicos  que vem perseguindo,matando e torturando negros e pobres nas periferias dos grandes centros urbanos do Brasil.
    Vida longa para essa guerreira negra e que sua luta seja motivo de inspiração para todos nós que lutamos por uma sociedade justa e igualitária no movimento negro e em outros movimentos sociais. Axé!


    CEAFRO - UFBA

    Vilma Reis será homenageada pelo Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher do Ministério Público do Estado da Bahia, no dia 20 de abril, às 16h, na sala de Sessões dos órgãos Colegiados, na 5ª Avenida, 750, Centro Administrativo da Bahia.

    A coordenadora do Projeto Encruzilhada de Direitos – Raça, Gênero e Enfrentamento à Violência contra as Mulheres Negras da Bahia, do CEAFRO, Vilma Reis, é uma das homenageadas pelo Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher do Ministério Público do Estado da Bahia. O evento, Mulheres que Fazem a Diferença, que acontece na próxima sexta-feira (20.04.12), às 16h, é para marca o Dia Nacional da Mulher, celebrado em 31 de abril.

    Na ocasião o Ministério Público reconhecerá o mérito de mais quatro mulheres que têm se destacado nas suas diversas áreas de atuação, são elas: a ministra Eliana Calmon, a procuradora de justiça Lúcia Bastos Farias Rocha, a deputada estadual Luiza Maia, a Ebomi Nice de Oyá. Vilma Reis faz parte desse grupo de mulheres homenageadas por toda a sua trajetória de vida e luta pelos direitos das mulheres negras, mulheres e direitos humanos. Em 2012 completou 12 anos de trabalho no CEAFRO, Programa de Educação para a Igualdade Racial e de Gênero do CEAO/FFCH/UFBA e quatro anos coordenando o Projeto Encruzilhada de Direitos.

    Além de socióloga, Vilma Reis, também é ativista do movimento de mulheres negras, é presidente do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra – CDCN, professora da UNEB e mestra em Ciências Sociais pela UFBA. Dos 14 aos 19 anos trabalhou como empregada doméstica. No colégio Central foi presidente do Grêmio, onde começou a sua vida política. Em 1993 ganhou uma bolsa em uma ONG de mulheres na Áustria e morou em Viena durante um ano e meio. Estudou alemão e fez um curso focado em comunicação e gênero. Em 1995 retornou para a Bahia e fez o curso de Ciências Sociais na UFBA. No final da graduação ganhou uma bolsa para fazer especialização, em uma experiência pioneira, na universidade de Howard nos Estados Unidos, que é uma universidade negra fundada em 1865.

    Venha conhecer mais um pouco da história dessa mulher de garra no evento Mulheres que Fazem a Diferença e aproveitar para saber da trajetória de outras mulheres que fazem toda a diferença para que a sociedade brasileira seja mais justa.

    SERVIÇO

    O Quê: Vilma Reis uma das homenageadas no evento Mulheres que Fazem a Diferença do Ministério Público do Estado da Bahia

    Quando: 20 de abril de 2012

    Onde: Auditório Afonso Garcia Tinoco – 5ª Avenida, 750, Centro Administrativo da Bahia, Salvador

    Horário: 16h

    CEAFRO – UFBA
    Praça Inocêncio Galvão, 42, Largo Dois de Julho.
    Salvador, Bahia, Brasil. CEP 40.060-180
    Tel.: (55-71) 3283-5520 – Fax: (55-71) 3322-2517 – Email: ceafroufba@gmail.com

    (51) 97010303  81810404 e 30556655

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
    caracoles
      (51) 81810404 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    BATUQUE DO SUL PROMOVENDO A VIDA: Projeto Piloto que vai além da prevenção da AIDS

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 19, 2012 at 11:39 pm

    N°o1- 19  de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFRO

    Roda de Conversa: Batuque do Sul Promovendo a Vida no Ilê de Pai Zé de Oxalá
    laoecampainha4_thumb6

    O Terreiro de Pai Zé de Oxalá- Sbca – Sociedade Beneficente Cultural Afro Reino de Oxalá Olokun e Oxum Pandá, irá receber na sexta (20) o Projeto Piloto RODA DE CONVERSA: O BATUQUE DO SUL PROMOVENDO A VIDA organizado pela Rede de Núcleos de Ilês Afro Aids em parceria com a Secretaria Estadual  da Saúde através da EquipeDST/AIDS, com a coordenação de Ricardo Charão  e quipe Jaquelien Oliveira, Jair Andrade e Saúde da População Negra  Eliana Xavier. O protagonismo da proposta, vai além da Prevença da Aids, possibilita a troca de conhecimentos que  servirá para  ouvir as necessidades e anseios dos dirigentes de terreiros historicamente excluído e discriminados.

    • 20 e 27 abril : Roda de Conversa Prevenção no Batuque do Pái Zé de Oxala ( Gravataí)

    SBCA- sociedade Beneficente Cultural Afro Reino de Oxalá e Oxum Pandá
    Ás 19:30
    Terreiro de Pai Zé de Oxalá
    Rua Alcides Lima nº 478
    Morada do Vale 1
    Gravataí- RS

    (51) 97010303  81810404 e 30556655

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
    caracoles
      (51) 81810404 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    Editar esta entrada

    RODA DE CONVERSA: O BATUQUE DO SUL PROMOVENDO A VIDA

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 18, 2012 at 1:58 am

    N°o1- 18  de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFRO

    A Rede Estadual de Núcleos de Ilês Afro Aids
    Convida
    Roda de Conversa:  Batuque do Sul Promovendo a Vida no Ilê de Pai Zé de Oxalálaço e campainha4
    O espaço de culto aos orixás no Rio Grande do Sul recebe o nome de Batuque. Esse espaço, irá integra o saber natural das Comunidades Tradicionais de Terreiro com os conhecimentos técnicos  através de uma Roda de Conversa, no território da vivência cultural com o sagrado,  levando  os gestores da Secção DST/Aids, Saúde da População Negra, Saúde Mental, num esforço em conjunto de  integrar os saberes para promover saúde, por meio da valorização e do fortalecimento do controle social de políticas públicas de saúde pelos seus membros. Este é o principal objetivo da Roda de Conversa Promovendo saúde nos Ilês, iniciativa pioneira,  apresentada a Secretaria Estadual de Saúde -RS, proposto elaborada pela ASSOBECATY – Associação Beneficente Cultural Africana Templo de Yemanjá  para ser  executada  coletivamente pela  a  Rede Estadual  de Núcleos de Ilês Afro Aids /RS .
    • 20 e 27 abril : Roda de Conversa  Prevenção no Batuque do Pái Zé de Oxala
    ( Gravataí)
    SBCA- sociedade Beneficente  Cultural Afro
    Ás 19:30
    Terreiro de Pai Zé de Oxalá
    Rua Alcides Lima nº 746
    Morada do Vale 1
    Gravataí- RS

    (51) 97010303  81810404 e 30556655

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
    caracoles
      (51) 81810404 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    Samba no Pé e & Direito na Cabeça”

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 16, 2012 at 8:52 am

    N°o1- 16 de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFRO

    Publicadas pela Editora Saraiva

    Quando? 18/04

    Que horas? A partir das 18h30min

    Onde? Livraria Saraiva do Praia de Belas, em Porto Alegre

    Estimados

    No dia 18 de abril, a partir das 18h30min, na Livraria Saraiva do Praia de Belas, em Porto Alegre, ocorre o lançamento das obras “Samba no Pé e & Direito na Cabeça” e “Participação Cidadã na Gestão Pública: a experiência da Escola de Samba de Mangueira”, ambas editadas pela Saraiva.

    A primeira obra reúne artigos de cunho crítico-social inspirados no samba. Entre os autores estão: Carlos Eduardo Marques, Cesar Augusto Baldi, Djalma Pinto, Jorge Terra, José Carlos de Araújo Almeida Filho, José Paulo Baltazar Junior, José Rodrigo Rodriguez, Maria Berenice Dias, Mônica Sette Lopes, Paulo Ferreira da Cunha, Rafael da Silva Marques, Ricardo Aronne, Wellington Pacheco Barros e Eu! O artigo da Maria Berenice Dias sobre a violência doméstica tem como ponto de partida o samba “Maria da Penha”; por sua vez Rafael da Silva Marques valeu-se do “Samba da mais-valia” para discutir as relações de trabalho e a concentração de renda.

    A segunda obra é baseada na pesquisa de Mestrado em Direito feita na UNISC que desenvolvi analisando as práticas cívicas consolidadas e legitimadas no seio da comunidade mangueirense. O papel do samba como instrumento de sensibilização à participação na gestão pública. Como caminho necessário ao reconhecimento jurídico-teórico da Agremiação, percorri elementos basilares da democracia deliberativa pelo capital social, cidadania ativa, gestão compartida e movimentos sociais na administração do interesse público.

    É um momento especial, novo, muito importante para mim. Espero vocês para brindar essa estreia! Os autores Maria Berenice Dias, Mônica Sette Lopes, Cesar Baldi já confirmaram presença no lançamento! Teremos a presença dos integrantes do Grupo Brincando de Samba e Suingue, responsáveis pelas interpretações das músicas analisadas nos debates jurídicos.

    Conto com a participação de todos! Um grande abraço, Carmela

    Release Imprensa – Carmela Grüne

    (51) 97010303  81810404 e 30556655

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
    caracoles
      (51) 81810404 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    1ª Oficina Estadual de Políticas Públicas para as Comunidades Tradicionais de Terreiros- RS

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 14, 2012 at 6:25 pm

    N°o1- 14 de abril  –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFRO

    Aos Companheiros de Colegiado

    No dia 02 de abril, aconteceu a reunião mensal do colegiados das Culturas Populares ocorrida na Casa de Cultura Mário Quintana, essa reunião teve duas pautas:


    A primeira foi comentado sobre o investimento que o Governo do Estado vai fazer na cultura. Os recursos , Fundo de Apoio á Cultura FAC – 2012, permitirão que a Secretaria da Cultura realize  dois primeiros editais de Estímulo ao Desenvolvimento da Economia da Cultura. Um deles vai para a sociedade civil e o outro para Prefeituras municipais. – Fundo de Apoio à Cultura (FAC) 2012.


    A segunda : Mãe Carmen de Oxalá , fez uma breve apresentação da 1ª Oficina de Elaboração de Políticas Públicas para as Comunidades Tradicionais de Terreiros, ocorrida em novembro de 2011 em São Luiz do Maranhão.


    O Colegiado de Culturas Populares, através da coordenação de Vilnes Gonçalves Flores Júnior – Nei D’Ogum informa às autoridades civis e religiosas de todo Brasil,que no mês de fevereiro do decorrente ano, aconteceu uma reunião com a regional no Minc ( Ministério da Cultura) no estado, buscando informações sobre a sistematização e encaminhamento da 1ª Oficina de Políticas Públicas para as Comunidades Tradicionais de Terreiros, na ocasião, também foi apresentado proposta de realizar uma oficina semelhante no Rio Grande do Sul, preservando alguns aspectos da oficina em São Luís de Maranhão.


    As articulações continuaram, formando a realidade concreta de realização da 1ª Oficina Estadual de Elaboração de Políticas Públicas para As Comunidades Tradicionais de Terreiras no TEIA-RS. Houve a retirada do nome de Mãe Carmen de Oxalá, para representar o colegiado nas reuniõies preparatória para o TEIA –RS. Assim como para estar convocando reuniões com as comunidades tradicionais de terreiros, para levantar sugestões e encaminhamento para o evento.


    Sem mais para o momento

    Vilnes Gonçalves flores Júnior – Nei D’Ogum

    Coordenador do NACE Núcleo de Ações Culturais Educativas do MTM Museu Treze de Maio

    Coordenador do Colegiado de Culturas Populares da SEDAC RS

    RP do YlÊ Axé Ossanha Agué

    (55) 99068255

    (51) 97010303  81810404 e 30556655

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
    caracoles
      (51) 81810404 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    Reunião da coordenação do Fórum Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional dos Povos Tradicionais de Terreiros do PA.

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 12, 2012 at 9:02 am

    N°o1- 12 de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFRO

    A reunião vai acontecer às 14h desta sexta-feira 13 de abril

    na sede do IPHAN em Belém,

    Av. Governador José Malcher, 563 – bairro de Nazaré.

    Mão Nalva d’Oxum, Babá Tayando e Mametu Nangetu, coordenadores provisõrios.do Fórum Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional dos Povos Tradicionais de Terreiros do PA, convocam as lideranças de terreiros para reunir nesta sexta-feira, dia 13 de abril de 2012, com pauta única de traçar estratégias para a primeira  plenária do Fórum Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional dos Povos Tradicionais de Terreiros do PA.

    A coordenação provisória fará uma reunião ampliada para planejar as ações e estruturar a primeira plenária estadual do Fórum, será com a participação de todas as lideranças de terreiros interessadas na construção do Fórum no estado do Pará.

    Os Fóruns Estaduais são uma necessidade para a inserção dos povos de terreiros de cada estado no Fórum Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional dos Povos Tradicioans de Terreiros que foi criado em Salvador em 2011.

    (51) 97010303  81810404 e 30556655

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
    caracoles
      (51) 81810404 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    1º Toque de Caboclo em espaço publico da Zona Oeste

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 11, 2012 at 12:08 am

    N°o1- 11 de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFRO


    Estamos organiozando um grande encontro com Autoridades Religiosa, Comunidades de Terreiro, Povo do Santo e Simpatizantes dos diversos seguimentos de Matrizes africana e Afrodescendente do estado de São Paulo.
    Evento este, que tem como objetivo, levar a cultura e o culto religioso, as praças publicas de São Paulo. Com a iniciativa do presidente da Federação Umbandista Carapicuibana, Srº Ogam Franklin D´Ogum, e apoio da Secretaria de Cultura de Carapicuíba, este projeto também conta com diversas organizações religiosas da grande São Paulo, com o intuito de levar o conhecimento, a população e ao mesmo tempo, mostrar a diversidade de artesanado, comidas tipicas, moda afro e etc, no qual também será apresentado um trabalho social como Pré-atendimento odontologico, medicos de algumas especialidades, como por exemplo cardiaco, pediatra, testes de diabetes, recleação infantil e também estamos contando com alguns grupos indigenas onde estaram falando de sua cultura indigena e artesanatos.
    Aos longo da programação que acontecerá a partir das 10 horas da manhã no Parque Ecologico dos Paturis, localizada na divisa da cidade de Osasco com Carapicuiba, próximos da estação General Miguel Costa e Rodoanel. O presidenta da Federação Umbandista Carapicuibana, Srº Ogam Franklin D´Ogum, diz está otimista, com este mega-evento, pois nunca foi feita na histaria da cidade de Carapicuíba um evento desta maguinitude, pois havia algum tempo que a sua entidade federativa não se manifestava perante falecimento do fundador desta federação Pai Daniel Vale Barreto, em 2009, e ele demorou para se restruturar toda à organização, para a continuidade dos objtivos da entidade.
    Estamos contando com as mais tradicionais Federações e Terreiros de Umbanda e Candomblé do estado de São Paulo, e também organizações de todos os generos. Contamos com sua partipação e desde já agradecemos pela oportunidade de levar a nossa Cultura para o conhecimento de todos.

    Dia 29 de Abril
    Local Parque Ecologico dos Paturis
    Horario 10hs as 18hs

    Franklin S. Barreto
    Presidente da F.U.C.
    Coordenador Regional SOUESP
    Coordenador Regional M.P.U.
    Conselheiro INTECAB/SP
    Conselheiro CPDCN
    Conselheiro COMCUCA
    11 65738999 Claro
    11 65105704 Oi
    11 73820921 Vivo
    11 86709600 Tim

    (51) 97010303  81810404 e 30556655

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
    caracoles
      (51) 81810404 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    Lançamento do livro "Alimento: Direito Sagrado"

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Abril 10, 2012 at 8:07 am

    N°o1- 10 de abril  março –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFRO

    Prezad@s,
    segue para divulgação!
    Abraços do Marcelo Vilarino

    Car@s, segue para divulgação! Abraços, Luana Arantesimage001

    (51) 97010303  81810404 e 30556655

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
    caracoles
      (51) 81810404 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com