Revista Online Conexao Afro

Archive for the ‘Comunidade Tradicional de Terreiros’ Category

É amanhã, 24 de março Palestra Pública “ A SITUAÇÃO DA TUBERCULOSE NO MUNICIPIO DE GUAIBA” Participe !

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 23, 2017 at 11:23 pm

Logo Conexão Afro ano 2017 ( Grande)Dia 24 de março é o DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A TUBERCULOSE e estaremos fazendo uma palestra pública “A Situação da Tuberculose no município de Guaíba

Local: Auditório da Prefeitura Municipal

Dia: 24 de março (sexta-feira)

Dia 24 de março é o DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A TUBERCULOSE e estaremos fazendo uma palestra pública “A Situação da Tuberculose no município de Guaíba

Local: Auditório da Prefeitura Municipal

Dia: 24 de março (sexta-feira)

Hora: 10 horas

Contamos com a sua presença.

Enfa. Maria de Fatima Francisco

Programa de Controle da Tuberculose Guaíba

(51)34801380

Hora: 10 horas

Contamos com a sua presença.

Enfa. Maria de Fatima Francisco

Programa de Controle da Tuberculose Guaíba

(51)34801380

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato

Espaço para desenvolver Projeto Ajeun–Ilerá Alimento saudável para todos desenvolvido pela ASSOBECATY em pauta

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 14, 2017 at 9:18 am

 

 Logo Conexão Afro ano 2017 ( Grande) 

O projeto Ajeun – Ilerá alimento saudável para todos, este ano vem enfrentando obstrução na realização das oficinas, na Associação Primavera. Após incêndio da Escola Nossa Senhora do Livramento, ocorrido em janeiro, a Prefeitura cedeu o espaço para o estado, ficando um acordo verbal de uma vez por semana ser disponibilizado uma sala para ASSOBECATY continuar com as oficinas.IMG_2439

No final do mês de fevereiro a direção da escola fechou as portas para a comunidade do projeto.

IMG_2438

Estes motivos, foram mais que suficientes para ASSOBECATY, pedir definição durante reunião na terça (14), com a coordenadora Debora Luz da 12ª CRE e Secretario de Comunicação e Ação Comunitária: Pedro Tavares.IMG_2440

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato

Ministro Marco Aurélio Mello receberá Dr. Hédio Silva Jr em audiência

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 7, 2017 at 10:47 pm

Logo Conexão Afro ano 2017 ( menor)Dr. Edio

O Ministro Marco Aurélio Mello receberá Dr. Hedio Silva Jr em audiência no dia 9 de março para defender a liberdade plena dos cultos afro-brasileiros no STF

No dia 9 de março, às 18h10, o Ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, fará uma audiência com o advogado Dr. Hédio Silva Jr, que vai argumentar sobre os abates tradicionais praticados pelas religiões afro-brasileiras, que para o jurista devem ser entendidos nos mesmos termos que os rituais realizados nas religiões judaica e islâmica.

O jurista estará com uma comitiva, formada por Dr. Antônio Basílio Filho, Dr. Jader Freire de Macedo Babalorixá Alabiy D´Oxala e convidados, que entregará ao Ministro um parecer jurídico sobre o assunto. “Esta é uma oportunidade rara, na qual representantes das religiões afro-brasileiras apresentarão uma abordagem qualificada e técnica para um ministro da nossa mais alta corte, que é o STF”, explicou Dr. Hédio.

O CASO

O tema que o Dr. Hédio Silva Jr abordará junto ao Ministro Marco Aurélio Mello é polêmico e bem conhecido do jurista, que já atuou como representante de grupos favoráveis à prática em um processo que defendeu, e ganhou, no Rio Grande do Sul. “No julgamento de Ação Direta de Inconstitucionalidade, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul considerou que o sacrifício ritual em cultos e liturgias das religiões de matriz africana, desde que sem excessos ou crueldade, não é inconstitucional e não infringe o que não infringe o Código Estadual de Proteção aos Animais”, explicou o jurista que também derrubou no Tribunal de Justiça de SP uma lei aprovada em Cotia que proíbe o uso de animais em atos religiosos.

No STF, o advogado quer mostrar ao ministro que o caso trata-se de um "preceito litúrgico protegido pela liberdade de culto", em contraponto à acusação de maus-tratos. Segundo ele, no julgamento em que examinou a regulamentação da vaquejada, o Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu acertadamente que essa manifestação cultural implicava crueldade e maus-tratos aos animais. “Na vaquejada, o boi é enclausurado, açoitado, instigado a correr e tem sua cauda retorcida até cair”.

Avaliando por esse ângulo, Dr. Hedio defende que a prática não tem absolutamente nenhuma relação com o abate religioso de animais, um preceito alimentar e litúrgico adotado por judeus, muçulmanos e candomblecistas, regulamentado pelo decreto federal nº 30.691/1952, por normativas do Ministério da Agricultura e decretos estaduais. “A técnica da jugulação, comum no judaísmo, no islamismo e nas religiões afro-brasileiras, é catalogada pelo Ministério da Agricultura como método humanitário, pois provoca morte instantânea, reduz a dor ao patamar mínimo e evita sofrimento desnecessário”, explicou.

O jurista explica que o direito à alimentação kosher (judaica) e halal (islâmica) tem sido ratificado por reiterados julgamentos do Tribunal de Justiça de São Paulo, nos quais companhias aéreas foram condenadas a indenizar passageiros que solicitaram previamente dieta religiosa e foram negligenciados pelos transportadores.

Dr. Hédio aponta que, do ângulo econômico, atualmente o Inmetro e o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços investem na criação de um Selo Halal para que o Brasil amplie negócios com o cobiçado mercado alimentício muçulmano – em 2015 essas certificações movimentaram cerca de US$ 1 trilhão. “Para além de sua dimensão dietética e econômica, o abate religioso constitui um preceito litúrgico referido já no Antigo Testamento, visto que o terceiro livro do Pentateuco, Levítico, faz inúmeras alusões ao abate de animais”.

Ele elucida que na Kaparot, ritual judaico realizado nas vésperas do Yom Kipur (Dia do Perdão), um homem apanha um galo -ou, sendo mulher, uma galinha- e passa o animal nove vezes sobre a cabeça, recitando a prece "bracha bnei adam" (seja esta minha expiação). Em seguida, entregam o animal ao shochet, sacerdote responsável pelo abate. Já os muçulmanos celebram a Eid al-Adha (Festa do Sacrifício), cerimônia realizada no décimo dia do último mês do calendário islâmico, no fim da hajj (peregrinação a Meca). São sacrificados carneiro, camelo, cabra ou boi.

No caso das religiões afro-brasileiras, especialmente o segmento filiado à doutrina iorubá, celebram o Etutu (ritual de oferendas), sendo que o alimento resultante do abate é consumido pelos fiéis e pela comunidade que circunda os templos. “Em breve, os parâmetros jurídicos do abate religioso serão examinados pelo STF, tendo como base uma decisão do Tribunal de Justiça gaúcho de que o abate praticado pelas religiões afro-brasileiras desde, que sem excesso ou crueldade, nada tem de ilegal ou inconstitucional”, disse o advogado.

Segundo Dr. Hédio a Constituição Federal assegura a liberdade de culto, de liturgia e proíbe o Estado de embaraçar o funcionamento das cerimônias religiosas, protegendo as manifestações culturais e prescrevendo a valorização da diversidade étnica. “Por esse ângulo, é possível afirmar que o julgamento do abate religioso terá pouca ou nenhuma relação com o julgamento da vaquejada”.

DR. HÉDIO SILVA JR. é advogado e ativista histórico. Foi secretário da Justiça do Estado de São Paulo e é um dos mais respeitados defensores da cultura e das religiões de matrizes africanas. Em 2016, foi homenageado com o Troféu Asé Isesé (A força dos nossos ancestrais) conferido pelo Centro Cultural Africano à lideranças religiosas e personalidades públicas que se destacam na luta contra a intolerância religiosa.

Informações à Imprensa

Central de Comunicação

(11) 3675-2140

Claudia Alexandre – (11) 97061-5995

Chris Molina – (11) 97970-8822

central@centraldecomunicacao.com.br

claudiaalexandre.jornalista@gmail.com

crismolina75@gmail.com

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato 2

Roda de Conversa de Tema Livre na ASSOBECATY para os usuários do Projeto Ajeun Ilerá–Alimento Saudável para todos

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 6, 2017 at 5:31 pm

Logo Conexão Afro ano 2017 ( Grande)

ASSOBECATY através do Projeto Ajeun Ilerá realizou no dia 06 de março a Roda de Conversa de Tema Livre, essa envolve uma metodologia de intervenção exposição interativa coletiva.

IMG_2233

A temática sugerida  foi para a superação da violência familiar, trata-se de uma possibilidade de  popularização da discussão e do enfrentamento da violência,  com informações e relatos que denunciam a violência sofrida pelas  mulheres, crianças e jovens.

IMG_2238

Além disso, a Roda  buscou  sensibilizar a comunidade para que assumam postura de  enfrentamento para superação da violência doméstica.

 IMG_2240

IMG_2231

A Roda de conversa tem sido uma  ferramentas que fazem refletir sobre a violência doméstica e a necessidade de lutar pela sua superação o Projeto Ajeun Ilerá tem oportunizado de falar sobre esses temas transversais, onde muitas vezes na sociedade o tema é despercebido ou negado sua existência…….

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato 2

OFICINA JUVENTUDE NA COZINHA ACONTECE PROPOSTA DO AJEUN ILERÁ- ASSOBECATY

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 6, 2017 at 3:22 am

Logo Conexão Afro ano 2017 ( menor)]Já falamos por aqui sobre o retorno da oficina Juventude na Cozinha que recomeçamos no dia  06 de março. A proposta da ASSOBECATY, na tentativa de que trabalhar temas  transversais cultura, saúde , segurança alimentar, juventude. Abrindo espaço para os  jovens e crianças a partir entre 10 anos. A molecada vai aprender o passo a passo para preparar receitas fáceis para almoço e  lanches, além de dicas sobre segurança na cozinha, medidas e manuseio de utensílios. As oficinas acontecem sábados, sendo uma ação conjunta Projeto Ajeun Ilerá e Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural .

O Cardápio da primeira oficina  foi feito Pastel recheado com galinha de massa caseira.

Informações; ASSOBECATY

 IMG_2192IMG_2193IMG_2194IMG_2195IMG_2196IMG_2197IMG_2198

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato

ASSOBECATY DIVULGA AGENDA DA SEMANA

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 5, 2017 at 10:13 pm

Logo Conexão Afro ano 2017 ( Grande)

ASSOBECATY divulga a agenda de atividades que serão realizadas nesta semana inicio de março . Mais informações pelo e-mail assobecaty@hotmail.com ou pelo telefone (51) 30556655. Confira a agenda e participe:Agenda Assobecaty

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato

Ação volta as aulas : Distribuição de material escolar no Ilê de Mãe Carmen de Oxalá

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 1, 2017 at 3:20 pm

Logo Conexão Afro ano 2017 ( menor)17192465_1314192702005569_3450829556538872_o

Sábado(11/03) a partir das 10h, estaremos realizando a primeira "Ação volta as aulas.", com as crianças que participam das atividades do Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural – Assobecaty. — em Assobecaty.

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato 2

Optei um carnaval diferente, um lugar onde nasci–Mãe Carmen de Oxalá

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Fevereiro 28, 2017 at 3:53 pm

Logo Conexão Afro ano 2017 ( Grande)

Pelotas lugar onde nasci[16]Optei um carnaval diferente, fui visitar minha cidade natal ! Pelotas lugar onde nasci ! Reencontrei pessoas especiais, onde trocamos longos e comovidos abraços. Fizemos uma breve retrospectiva de episódios tristes e lembranças boas e felizes que acometeram  nossas famílias, nossos amigos, falamos das nossas experiências de nossas  vidas …. Pessoas tão especiais, por que expressam valores e sentidos tão singulares em dias atuais, como  amizades sinceras não existe tempo, distância e despedidas que possam vir nos separar.

Obrigado pela acolhida e até muito breve.

Mãe Carmen de Oxalá

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato

Deputado Altemir Tortelli recebe Mãe Carmen presidenta municipal do PT de Guaíba

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Fevereiro 1, 2017 at 1:11 am

Logo Conexão Afro ano 2017 ( Grande)O deputado Altemir Tortelli recebeu ontem, em seu gabinete, a visita de YA Carmen DE Oxalá, do município de Guaíba. Importante liderança na Região Metropolitana de Porto Alegre, Mãe Carmen preside a Associação Beneficente Cultural Africana Templo de Yemanjá (Assobecaty), que tem mais de 60 anos de história.

A entidade é dedicada à valorização da cultura afro-brasileira, combate ao racismo e intolerância religiosa, com ações voltadas às áreas da saúde, segurança alimentar, prevenção às drogas, meio ambiente, comunicação popular e inclusão digital, gênero, arte e segurança.

 

No encontro, eles conversaram sobre as conjunturas nacional e estadual, bem como as perspectivas e os desafios do Partido dos Trabalhadores, entre outros temas. Mãe Carmen assume hoje o cargo de presidenta municipal do PT de Guaíba.

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato 2

Hoje em Assobecaty !

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Janeiro 9, 2017 at 9:32 am
  • Logo Conexão Afro ano 2017 ( menor)

  • Oficina do Projeto Ajeun Ilerá – Alimento Saudável Para Todos Inicia hoje na sede da ASSOBECATY

      Após o recesso de final de ano, ASSOBECATY abre suas portas para os usuários do Projeto Ajeun Ilerá – Alimento Ssudável para Todos, na tentativa de acolher todos para a oficina foi disponibilizados diversos horários . Confira !!!!

      Atenção Santa Rita

  • Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato 2
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
      (51) 84945770 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    PONTO DE CULTURA ILÊ CULTURAL ASSOBECATY PROMOVE OFICINA DE CANDOMBE COM GUILHERMO CEBALLOS

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Janeiro 7, 2017 at 8:33 pm

    Logo Conexão Afro ano 2017 ( Grande)

    DETALHES DO EVENTO

    OFICINA DE CANDOMBE COM GUILHERMO CEBALLOS

    O Candombe é negro sim! Oficina com o Mestre Guillermo Ceballos de Montevidéo-Uruguay, onde mantém o ponto cultural El Tajer, a décadas dedicado ao Candombe e a arte e cultura populares.
    Valores acessíveis, entrar em contato.
    https://www.facebook.com/Espacio-Cultural-El-Taller-886973691341541/?pnref=lhc
    Realização:
    Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural – Assobecaty;
    Coletivo Cultural do Centro de Cultura Libertária da Azenha;
    Grupo de Apoio a Luta dos Povos Nativos, Tradicionais de Matriz Africana, Fundos de Pasto e Periferia – Galuta.
    Apoio:
    Banda Kalunga;
    Ponto de cultura Bar da Carla;
    Ponto de cultura Quilombo Família Fidélix;
    Centro Cultural Mestre Borel
    Instituto Cadê Zumbi
    Mestre Edu do Nascimento
    Also check out other Arts Events in Porto Alegre, Entertainment Events in Porto Alegre, Music Events in Porto Alegre.

    Cartão de Mãe Carmen - Mãe Yemanja

    Ano novo, logo nova da Revista Conexão Afro

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Janeiro 1, 2017 at 9:07 am

    Logo Conexão Afro ano 2017 ( Grande)

    Ano novo, logo nova

    Para poder começar 2016 com o pé direito, buscamos  criar uma nova logo para acompanhar as postagens diárias. Uma logo é muito importante pois mostra de cara, um pouco da personalidade do nosso trabalho para os nossos leitores. Além disso mostra uma certa coerência na forma que  nós  apresentamos o nosso material, a partir de cores, padrões e formas pré estabelecidas que são peças chaves para apresentarmos nossa identidade visual. Contudo, após  algumas horas de pesquisa e trabalho, entre erros e acertos, conseguimos conceber um projeto que nos deixou satisfeito para o momento atual.

    Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato

    8ª Xirê de Mãe Oxum da Praia da Alegria destaca a história local e valoriza a cultura afro–brasileira

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Dezembro 5, 2016 at 1:57 pm

    logo Revista Conexão Afro  5 de dezembro –Guaíba- RS –Brasil

    Com a proposta de valorizar a cultura afro-brasileira dando destaque para a  história local durante as festividades de Mãe Oxum da Praia da Alegria, as  bandeiras amarelas, os toques de atabaques, agogô,  invadem as ruas da cidade na noite deste sábado  (10). O ponto de partida do carreata  é na rua Campo Grande nº 405 , no bairro da Santa Rita, às 20h.

    [002994]

    Ao chegar no balneário, acontecem o encontro das Oxuns,  Mãe Oxum que está na gruta na Praia da Alegria recebe homenagens dos seguimentos culturais. Após o toque de alvorada os presentes  saem em cotejo  em direção a beira da praia onde acontecerão pelo 8º ano uma manifestação festiva  que a ASSOBECATY  convencionou chamar de XIrê. Domingo  (11) durante o dia a imagem fica a disposição para receber homenagem a tarde apresentação do Afoxé do Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural Encerramento está previsto para ás 16:00  com o toques e cantos dedicado a Oxum.

    O projeto é organizado pelo Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural  e realizado pela ASSOBECATY e ASSOBENSENCOM e com todos que compartilham  da ideia  de valorizar e presentear  a Mãe Oxum da Praia da Alegria irmanados de forma coletiva.

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
      (51) 84945770 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    #100AnosBateFolha – “É um feito repleto de grandiosidade, fé e perseverança

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Dezembro 3, 2016 at 9:41 am

     

    logo Revista Conexão Afro  3 de dezembro –Guaíba- RS –Brasil

    http://portalsoteropreta

    Por Redação / 2 de dezembro de 2016 às 18:58

    terreiro bate folha

    São 100 anos de resistência histórica do povo Bantu que chegou a Salvador e aqui fundou um dos mais tradicionais Terreiros de Candomblé da Bahia: o Terreiro do Bate Folha. Localizado no bairro da Mata Escura, o Terreiro está em plena festa de celebração deste centenário, com atividades que vão de lançamento de selos comemorativos, passando por exposição fotográfica, seminário e lançamento de um Memorial sobre a história da Casa. As atividades seguem até este domingo (4).

    O Portal SoteroPreta entrevistou, com exclusividade o líder religioso do Terreiro, Cícero Rodrigues Franco Lima, o Tata Muguanxi. Confira:


    Historicamente, como o Terreiro do Bate Folha se insere na comunidade e quais relações históricas perduram nos dias de hoje?

    Tata Muguanxi – Historicamente, o Terreiro do Bate Folha está inserido no contexto da comunidade do bairro da Mata Escura há mais de cem anos. Atuamos como  um marco referencial de instituição religiosa de matriz africana participativa, representativa e engajada com a comunidade de seu entorno, seja por abrigar a memória coletiva do bairro, por receber os moradores ou abrir as portas para realização de atividades que sejam de extensão. Temos bom relacionamento com cooperativas, grupos culturais e até mesmo, outras entidades religiosas da Comunidade.

    As invasões eram mais recorrentes, as ofensas e, inclusive, as penalidades legais às lideranças religiosas. Pensando neste contexto, a gente até entende o porquê das casas serem tão afastadas dos centros das cidades.

    terreiro bate folha

    Qual a importância de um Terreiro completar 100 anos em uma cidade como Salvador, no contexto de intolerâncias e agressões legais e políticas ao Candomblé?

    Tata Muguanxi – A importância reside na constatação de que resistimos às dificuldades de cada período da sociedade e estabelecemos laços de família, união e amor aos Nkisses. É um feito repleto de grandiosidade, fé e perseverança. Quando imaginamos e sofremos com o processo de intolerância religiosa, ocorridos ainda hoje, nos dias atuais, fico pensando em 1916. O processo de abolição dos negros escravizados ainda estava recente e, como consequência, o racismo estava institucionalizado em todas as práticas de matriz africana, principalmente, o Candomblé.

    “É importante frisar que na reverência aos Nkisses ela terá a mesma grandiosidade e importância de todas as nossas celebrações e o compromisso com os ritos sacros estão mantidos.”

    terreiro bate folhaNesta história centenária, o que, historicamente, não pode ser esquecido?

    Tata Muguanxi – Primeiramente, o que não pode ser esquecido de maneira nenhuma nesse processo histórico é a força dos Nkisses, como também a visão de família, de comunidade, de função social de um homem chamado Manoel Bernadino da Paixão, nosso fundador. Essa importância na divulgação, socialização e manutenção de uma religião tão discriminada, tão combatida, como foi e ainda é o Candomblé, embora em menor grau nos dias de hoje. E em segundo, a força do candomblé Congo-Angola, de tradição Banto, em Salvador, que apesar de ser reservado, consegue perpassar toda essência do culto.

    É a primeira vez que o Terreiro abre suas portas para uma atividade deste porte?

    Tata Muguanxi – Não é a primeira vez que o Terreiro do Bate Folha abre e sedia eventos e atividades de porte expressivo e significativo, basta lembrar do encerramento do 2º Congresso Afro-brasileiro, realizado em 1937, onde seu Bernadino teve participação expressiva, contribuindo, inclusive, com um artigo publicado em 1942 no livro “O Negro no Brasil”. Na verdade, é mais incomum. Geralmente, nossas portas são abertas apenas para cultos religiosos ou visitas de grupos agendados.

    terreiro bate folha

    Fotos: Marisa Vianna

    “Só que são 100 anos e, por si só, já requer uma celebração à altura, com música, história, debate,
    teatro, dança, pesquisadores de casa, olhar de dentro da casa, selo, exposição fotográfica.. enfim! Tudo que um centenário tem direito. E nada mais justo do que isso ocorrer no espaço, na Casa que abrigou o Centenário. “

    terreiro bate folhaTata Muguanxi e Nengua Guaguanssesse

    Terreiro do Bate Folha – Rua Dionísio Brito Santana, antiga Travessa São Jorge, n. 65-E, bairro da Mata Escura, Salvador.

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
      (51) 84945770 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    Terreiro do Bate Folha abre as portas para celebrar 100 anos

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 29, 2016 at 9:27 am

    logo Revista Conexão Afro  29 de novembro –Guaíba- RS –Brasil 

     

    Por Redação / 28 de novembro de 2016 às 17:27

    Fonte : http://portalsoteropreta.com.br/

    Terreiro Bate FolhaFoto: Marisa Vianna

    Um Terreiro centenário, com muitas histórias de resistência religiosa e cultural negra. É o Terreiro do Bate Foilha, que celebrará esta trajetória com Seminário no próximo sábado (3) e domingo (4), no Terreiro, localizado no bairro da Mata Escura.

    Na ocasião, a Casa vai abrir suas portas para debater e apresentar sua história, tendo como foco a salvaguarda o culto afro-brasileiro de Nação Congo-Angola (ou apenas Angola) na Bahia. É aberto ao público e são esperadas cerca de 200 pessoas.

    Terão conferências e palestras com a proposta de preservar o legado histórico dos 100 anos do Terreiro. No sábado (3), a programação será iniciada às 9h30 com as falas dos zeladores do terreiro Nengua Gaguanssesse, Tata Muguanxi e Tata Kissendu, presidente da Sociedade Beneficente Santa Barbara.

    Terreiro Bate FolhaFoto: Marisa Vianna

    Às 10h40, o diretor geral da Fundação Pedro Calmon/SecultBA, Zulu Araújo – que apoia o Centenário do Bate Folha – fará palestra com o tema “Preservação de espaços sagrados: a importância da memória para terreiros de candomblé”. Na ocasião, será oficializado convênio entre a Fundação e o Terreiro para a constituição do Memorial Terreiro Bate Folha.

    Pela tarde, a programação retorna com a conferência “Terreiro Bate Folha – espaço de salvaguarda da memória afrodescendente”, com a participação de Yeda Pessoa de Castro e de Ordep Serra, ambas da UFBA. A mediação será de Rogério Lima Vidal, da Uneb. Às 16h30, será lançado Selo Comemorativos aos 100 anos do Terreiro Bate Folha e, encerrando o primeiro dia do evento, às 17h, terá a presentações do Bloco Alvorada e do músico Gerônimo.

    Domingo – 4 de dezembro

    Neste dia, as atividades começam com a mesa “Protagonismos das religiões de matriz africana”, às 9h30, com Erivaldo Nunes, da UFBA, Camilo Afonso, Adido cultural de Angola, e Tata Tauá, do Terreiro Bate Folha. A mesa “O candomblé de Angola e sua resistência cultural” será apresentada às 14h com os palestrantes Tata Nzazi, do Terreiro Tumbansé, João Monteiro, do Ilê Ogum Maata, e Carla Nogueira, do Terreiro Bate Folha.

    terreiro Bate FolhaFoto: Marisa Vianna

    A conversa será mediada pelo professor da UFBA, José Roberto Severino. Por fim, encerrando a programação de atividades comemorativas do terreiro, será realizado o show de encerramento, às 17h30, com apresentação do Maracatu Nação Raízes de Pai Adão.

    Exposição

    Com a curadoria da fotografa Marisa Vianna, de 3 a 18 de dezembro, estará aberta à visitação uma exposição fotográfica sobre os 100 anos do Terreiro. Nela, são apresentados documentos, fotos antigas e atuais, estabelecendo uma linha do tempo neste centenário. Estão retratadas lideranças religiosas, além da da área geográfica do Terreiro – conhecida pelo amplo espaço de vegetação, são 16,5 hectares de Mata Atlântica – além das casas e outros aspectos arquitetônicos. A exposição é resultado do acompanhamento da fotógrafa, nos últimos dois anos, das atividades do Terreiro.

    Terreiro Bate FolhaFoto: Marisa Vianna

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
      (51) 84945770 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    ATENÇÃO ASSOBECATY INFORMA A TROCA DE LOCAL DA CELEBRAÇÃO AFRO DEVIDO A PREVISÃO DE CHUVA

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 27, 2016 at 11:44 am

    logo Revista Conexão Afro  27 de novembro –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFRO

    Troca de Local

    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
      (51) 84945770 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    ASSOBECATY realiza reunião com a direção da Paróquia Nossa Senhora do Livramento para tratar Missa Afro

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 24, 2016 at 8:02 pm

    Representantes da ASSOBECATY e Igreja Nossa Senhora do Livramento  em reunião

    A representante da ASSOBECATY-  Mãe Carmen de Oxalá, esteve reunida no  dia 27 de novembro com os representantes da Paróquia Nossa Senhora do Livramento vigário paroquial, padre Edgar Weber e alguns membros da direção da igreja, para tratar questões  da Celebração Afro que  pelo segundo ano consecutivo teve como oficiante o  Padre Benedito do estado do Maranhão.

    Na ocasião Padre Edgar  agradeceu o convite, também justificou que  estava sozinho na paróquia, devido o Pároco: padre Valdemiro Schafer estar ausente por questões de saúde, fato que inviabiliza a participação da igreja nesse processo, mas como demonstrativo de solidificar apoio a iniciativa, no momento a paróquia  dispôs ao  Padre Benedito, a hospedagem.

    Debate na Roda de Conversa sobre Violência Urbana no bairro Primavera para os beneficiados pelo Projeto Ajeun Ilera em parceria com o Cine Clube do Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural ASSOBECATY

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 23, 2016 at 12:39 pm

    logo Revista Conexão Afro  23 de novembro –Guaíba- RS –Brasil

    REVISTA CONEXÃO AFROFeira Livro A 2
    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
      (51) 84945770 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    ASSOBECATY convida para 19ª Semana Municipal da Umbanda e Religiões de Matriz Africana em Guaíba- RS

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 10, 2016 at 7:59 pm
    logo Revista Conexão Afro  10 de novembro –Guaíba- RS –Brasil
    REVISTA CONEXÃO AFROconvite semana Umbanda
    CONEXÃO AFRO conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
      (51) 84945770 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com

    Consciência Negra será tema do Cine Clube do Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural ASSOBECATY do Novembro Negro

    In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 1, 2016 at 1:02 pm
    logo Revista Conexão Afro  01 de novembro –Guaíba- RS –Brasil
    REVISTA CONEXÃO AFRO
    novembro negro 2
    conexaoafro@gmail.com
    Falar com Mãe
    Carmen de Oxala :
      (51) 84945770 / (51)  30556655

    maecarmendeoxala@hotmail.com