Revista Online Conexao Afro

Archive for Novembro, 2010|Monthly archive page

3º DIA DE PROGRAMAÇÃO DO INTECAB – São Paulo

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 29, 2010 at 4:47 pm

100_0161100_0164

Esta é a sede do  INTECAB – O Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro-Brasileira , em São Paulo , é   desta casa que Egbomi Conceição  se comunica com carinho e Axé para todo o Brasil. Confira , o lugar,  muito especial,  dotado de simbolos do candomblé, apresenta  elementos de relevância  para a comunidade  de terreiros no Brasil,  destaque para a magnifica coleção de máscaras africanas.

 

100_0179100_0180

 

 

 

 

100_0167100_0190Nas atividades  de cunho nacional , sempre encontramos a figura de uma mulher de santo , bem vestida, ao ponto de roubar a atenção, olhares, esse  bom gosto, não é somente com  sua aparência, estende-se ao local, sede do Intecab,   um espaço acolhedor totalmente estilizado afro. Canto do Roxinol, onde Egbomi  Conceição Reis de Ogum. Historia não se inventa, se cria, com respeito ética e respeito, ela agrega com muito carinho e axé,  boa parte do seu sagrado.

 

100_0198

 

 

100_0196 cOM do Jornal Icapra- Rj

Este último dia do evento, eobservamos a presença marcante da  máquina midiática

 

 

 

 

100_0203100_0197

Egbomi Conceição Reis de Ogum, horra a origem do  Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro-Brasileira, conseguência de uma histórica  luta, longa  pela unidade dos brasileiros afiliados à religião e à expressão cultural e artística baseada na tradição africana, que foi com muita força que teve que ser adaptada para o Brasil, aqui foi  recriada e preservada. As várias tentativas,  de união de todos , resultaram na criação de inúmeras Federações e Confederações de Cultos Afros.
Ela vem batalhando diariamente, para a busca da unidade, assim como o  movimento,  de resgate e valorização do culto aos Orixás e aos Ancestrais, como Mãe Aninha e Mãe Senhora, Ilê Axê Opó Afonjá e Tancredo da Silva Pinto, Tata Inkice Nação Lunda Kioko, de saudosa memória. Essa busca de união ganhou o plano internacional quando, em 1980, em Nova York, líderes religiosos da América do Sul (incluindo o Brasil), América do Norte, Caribe e África reuniram-se no Centro Cultural Caribeano.

 

 

100_0198100_0200

Durante 4 dias, a  tão sonhada união  ganhou o  espaço no cenário  nacional, porém com menos repercussão com a que  ocorreu no  ano de 1980, em Nova York, líderes religiosos da América do Sul (incluindo o Brasil), América do Norte, Caribe e África reuniram-se no Centro Cultural Caribeano.

100_0202100_0199

Nesse encontro foi trabalhado enfaticamente , a fragmentação da religião de origem africana , as ações de uns, ocasionam  juízos para a religião de matriz africana. O INTECAB , nasce do desejo dos religiosos em  combater a fragmentação e unir mundialmente a Tradição dos Orixás e sua Cultura, os chefes religiosos presentes, os estdos presentes  decidiram criar a Conferência Mundial da Tradição dos Orixás e Cultura , como instrumento essencial para dar continuidade ao processo de unificação.

100_0204100_0206

 

Ao retornarmos para o centro Cultural Africano, antes de ser retomado o debate, foi servido um delicioso coquetel,  o cuidado de Mãe Sonia e Egbomi Conceição Reis de Ogum.

IMG_0527IMG_0530

IMG_0532IMG_0526

IMG_0517

100_0208

 

IMG_0518

IMG_0519IMG_0520

 

 

 

IMG_0577IMG_0578

O INTECAB – Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro-Brasileira foi a resposta e o resultado deste longo processo de busca de unidade em nível nacional e decorrente do movimento de  preservação da religião, cultura e dignidade do povo africano e afro- brasileiro .

IMG_0522IMG_0534

Atualmente o lema do INTECAB “ UNIDADE NA DIVERSIDADE “

 

IMG_0523IMG_0535

Pau Sidewa, Pai Linalvo – Rj      

A  transmissão de práticas e os valoresafricanos  de geração em geração.

 

 

IMG_0579IMG_0582IMG_0580

Momento em que cada um dos participantes , tiraram câtico sagrados das sus respectivas nações. Cantamos rezas da Nação Cabinda, do Batuque do Sul.

 

aiIMG_0596

 

IMG_0585

 

IMG_0598

 

A entrega dos certificados.

100_0212100_0211

   100_0207

Sou fã incondicional do trabalho que Egbomi Conceição  Reis de Ogum, desenvolve,  agora muito mais pela a  realização deste grande momento. O aceno, dela,  me arísco a interpretá-lo como uma  reafirmação permanente de que nada se acaba e que os laços coletivos e os valores civilizatórios africanos  estiverão amarrados em cada atividade propósta pelo INTECAB-São Paulo,  do qual o presente é uma reintegração; Para Finalizar , neste evento foi  a todo momento  estimulado os conceitos de legitimidade, linhagem e tradição, com certeza , aguardem que  em 2011, vem muito mais !

Obrigado pela possibilidade de termos convivido neste encontro, obrigado pelo aprendizado,  Abença a  Tradição Paulista ,  e demais estados que se fizeram presentes.

Axé  Mãe Carmen de Oxalá

ASSOBECATY- Brasil RS

Anúncios

2º Dia Programação INTECAB S.P, Ponto Alto conhecer a Obra do Mestre Didi

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 28, 2010 at 1:33 am

N°1-27 de novembro ano 2011 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

O dia 28 de novembro, na agenda de atividade do INTECAB , está incluida  a visita  ao Museu Afro Brasil.

No dia 28 de novembro de 2011 foi realizada a visita ao Museu Afro Brasil, pela delegações coodenadores e convidados do evento do INTECAB , São Paulo .
Durante a vista, tivemos a oportunidade de conhecer um pouco da cultura africana e sua contribuição para a cultura brasileira, e também o acervo etnológico . Algumas peças do Museu são originárias da África e outras são réplicas fiéis. Seu acervo é composto de esculturas, máscaras, tecidos, cerâmicas, adornos, instrumentos musicais, jogos, livros , textos, orikis . Há também objetos afro brasileiros e a história das divindades.

IMG_0497Esta é a famosa  Avenida Brasil, é uma importante avenida da cidade de São Paulo,  que vai da Avenida Rebouças,  na região da Pinheiros , até a Avenida Pedro lvares Cabral, em frente ao Parque do ibirapuera , cortando regiões valorizadas da cidade, como os bairros de Pinheiros, Jardim América , Jardim  Paulistano , IMG_0448IMG_0439Jardim Europa e Ibirapuera .As  cicerone  desta viagem, é Mãe Sonia  e Egbomi Conceição Reis de Ogum , Coordenadora INTECAB, que conduziram o grupo de religiosos  que estão visitanto o museu ás  galerias,  explicando com muita paciência os  fatos .

100_0062IMG_0445

Durante o percurso, os visitantes travavam um debate,   sobre a Lei 10 . 639 ,  Estatuto da Igualdade Racial, educação no campo dos direitos é garatir aspectos da religiosidade de matriz africana.

100_0119Egbomi Conceição Reis , á respeitada figura do Candomblé, por seu trabalho de Coordenação do INTECAB , São Paulo , pela representação  no Conselho Nacional da Seppir, traz agora uma excelente iniciativa interligando  a programação do evento que busca valorizar a cultura afro-brasileira em suas variadas expressões,  religiosidade , cultura e artes.

100_0110100_0066Fomos guiados pelas cicerones, Mãe Sônia e Egbomi.

 

 

IMG_0442IMG_0441100_0105

 

100_0090O Museu Afro Brasil é um espaço que agrega o histórico, artístico e etnológico. Destinado à pesquisa, conservação e exposição de objetos relacionados ao universo cultural do povo negro no Brasil. Esta localizado no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Inaugurado em 2004, o Museu Afro Brasil é uma instituição pública, subordinada à Secretaria Municipal de Cultura e administrada por uma organização da sociedade civil. 100_0091

“Conserva um acervo de aproximadamente 4 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século XV e os dias de hoje. O acervo abarca diversas facetas dos universos culturais africano e afro-brasileiro, abordando temas como a religião, o trabalho, a arte, adiáspora africana e a escravidão, e registrando a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira. “

 

101_3944

100_0074Na entrada do museu, os laços da África se aproximam, temos muitas percepções ao mesmo tempo, por horas é Africa, outras Benin, Bahia. Uma  coisa é certa, este espaço nos emociona por  reafirmar a presença arquetípica da África  que existe dentro de nós.

 

IMG_0484IMG_0250Quando nos aproximamos do museu estamos muito próximos dos laços entre a religião africana, quem entra , é obrigado a passar por fotografias de  Pierre Verger Werger, orikis e textos do Mestre Didi, a representação cultural de  todos essas referências e muito mais. Busca valorizar a cultura afro-brasileiira em suas variadas expressões.

100_0096IMG_0249

O PONTO ALVO FOI CONHECERMOS A EXPOSIÇÃO DO MESTRE DIDI – FUNDADOR DO INTECAB

Mestre DidiMuseu Afro Brasil, acolhe desde o dia 13 de maio, às 19h, a exposição Mestre Didi: o escultor do  sagrado. Onilé, a Dona da Terra, orixá que representa o mundo em que vivemos. Completando a mostra, dois vídeos exibirão festas e cerimônias onde os ancestrais Egunguns são cultuados, além de exposição de livros escritos pelo escultor. Mestre Didi é Deoscoredes Maximiliano dos Santos, escultor de obras reconhecidas no Brasil e no mundo. Já foram expostas em várias cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Belo Horizonte, Nova Iorque, Frankfurt, Buenos Aires, Paris, Londres, Acra e Lagos, só para citar algumas. E agora, aos 92 anos, Mestre Didi se apresenta em uma grande mostra no Museu Afro Brasil, que mantém em seu acervo permanente algumas peças do artista.

Mestre Didi

Além de artista, Mestre Didi é uma referência no mundo da religião Afro-Brasileira. Filho de Maria Bibiana do Espírito Santo, a Dona Senhora, e afilhado de Dona Aninha, reinadoras do Templo do Axé Opó Afonjá, na Bahia.  Aos oito anos, foi iniciado no culto aos ancestrais Egunguns, no Ilê Olukotun, Tuntun, na Ilha de Itaparica. Em 1975, tornou-se Alapini, o Sacerdote Supremo do culto aos Egunguns  – o mais alto grau na hierarquia .

 

 

 

 

100_0134

A tarefa cansativa ficou com a Mãe Sônia , por  ser escolhida para ser a quardiã do cumprimento do  horário, acompanhava todos ,  cuidava agenda, para não atrasar a próxima atividade, sou testemunha  ocular , que não foi tarefa fácil, mas ela dominou, legal.

, 100_0101A visita ao Museu  Afro Brasil foi muito interessante, principalmente por ter dado ,  possibilidade de conhecer  o histórico,  e partes do museu que eu não conhecia. Além da beleza das obras, o cuidado  e  o grande destaque, um imenso prazer para todas nós conhecer um pouco da  obra do Mestre Didi que é uma referência no mundo da religião Afro-Brasileira. O que levo de aprendizado é a preservação da nossa cultura. Ainda não damos a ela o devido valor. A oportunidade desta  visita ao museu deveriam ser mais incentivadas, pois eles têm grande participação na formação cultural do individuo. Não só aos que tem maior acesso mas, principalmente, verificar no externo a valorização, do que existe  dentro de nossa  memória viva , que é  a África Mitica. Agradeço a oportunidade,  a coordenação do INTECAB, São Paulo , faço uma observação para os  futuros organizadores de evento,  levem em consideração este exemplo , afinal as comunidades Tradicionais de Terreiros  no Brasil, não querem, só , comida,  esta faltando cultura, diversão e arte.

 

AO RETORNARMOS , PARA O CENTRO CULTURAL AFRICANO, ACONTECEU A PLENÁRIA  COM  APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DAS COORDENAÇÕES ESTADUAIS DO INTECAB

IMG_0509IMG_0513IMG_0504IMG_0507

Mãe Carmen de Oxala – 2º Dia Programação INTECAB S.P

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 28, 2010 at 1:33 am

N°1-28  de novembro ano 2011 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

O dia 28 de novembro, na agenda de atividade do INTECAB , está incluida  a visita  ao Museu Afro Brasil.

No dia 28 de novembro de 2011 foi realizada a visita ao Museu Afro Brasil, pela delegações coodenadores e convidados do evento do INTECAB , São Paulo .
Durante a vista, tivemos a oportunidade de conhecer um pouco da cultura africana e sua contribuição para a cultura brasileira, e também o acervo etnológico . Algumas peças do Museu são originárias da África e outras são réplicas fiéis. Seu acervo é composto de esculturas, máscaras, tecidos, cerâmicas, adornos, instrumentos musicais, jogos, livros , textos, orikis . Há também objetos afro brasileiros e a história das divindades.

IMG_0497Esta é a famosa  Avenida Brasil, é uma importante avenida da cidade de São Paulo,  que vai da Avenida Rebouças,  na região da Pinheiros , até a Avenida Pedro lvares Cabral, em frente ao Parque do ibirapuera , cortando regiões valorizadas da cidade, como os bairros de Pinheiros, Jardim América , Jardim  Paulistano , IMG_0448IMG_0439Jardim Europa e Ibirapuera .As  cicerone  desta viagem, é Mãe Sonia  e Egbomi Conceição Reis de Ogum , Coordenadora INTECAB, que conduziram o grupo de religiosos  que estão visitanto o museu ás  galerias,  explicando com muita paciência os  fatos .

100_0062IMG_0445

Durante o percurso, os visitantes travavam um debate,   sobre a Lei 10 . 639 ,  Estatuto da Igualdade Racial, educação no campo dos direitos é garatir aspectos da religiosidade de matriz africana.

Egbomi Conceição Reis , á respeitada figura do Candomblé, por seu trabalho de Coordenação do INTECAB , São Paulo , pela representação  no Conselho Nacional da Seppir, traz agora uma excelente iniciativa interligando  a programação do evento que busca valorizar a cultura afro-brasileira em suas variadas expressões,  religiosidade , cultura e artes.

100_0110100_0066Fomos guiados pelas cicerones, Mãe Sônia e Egbomi.

IMG_0442IMG_0441100_0105

100_0090O Museu Afro Brasil é um espaço que agrega o histórico, artístico e etnológico. Destinado à pesquisa, conservação e exposição de objetos relacionados ao universo cultural do povo negro no Brasil. Esta localizado no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Inaugurado em 2004, o Museu Afro Brasil é uma instituição pública, subordinada à Secretaria Municipal de Cultura e administrada por uma organização da sociedade civil. 100_0091

“Conserva um acervo de aproximadamente 4 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século XV e os dias de hoje. O acervo abarca diversas facetas dos universos culturais africano e afro-brasileiro, abordando temas como a religião, o trabalho, a arte, adiáspora africana e a escravidão, e registrando a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira. “

101_3944

100_0074Na entrada do museu, os laços da África se aproximam, temos muitas percepções ao mesmo tempo, por horas é Africa, outras Benin, Bahia. Uma  coisa é certa, este espaço nos emociona por  reafirmar a presença arquetípica da África  que existe dentro de nós.

IMG_0484IMG_0250Quando nos aproximamos do museu estamos muito próximos dos laços entre a religião africana, quem entra , é obrigado a passar por fotografias de  Pierre Verger Werger, orikis e textos do Mestre Didi, a representação cultural de  todos essas referências e muito mais. Busca valorizar a cultura afro-brasileiira em suas variadas expressões.

100_0096IMG_0249

O PONTO ALVO FOI CONHECERMOS A EXPOSIÇÃO DO MESTRE DIDI – FUNDADOR DO INTECAB

Mestre DidiMuseu Afro Brasil, acolhe desde o dia 13 de maio, às 19h, a exposição Mestre Didi: o escultor do  sagrado. Onilé, a Dona da Terra, orixá que representa o mundo em que vivemos. Completando a mostra, dois vídeos exibirão festas e cerimônias onde os ancestrais Egunguns são cultuados, além de exposição de livros escritos pelo escultor. Mestre Didi é Deoscoredes Maximiliano dos Santos, escultor de obras reconhecidas no Brasil e no mundo. Já foram expostas em várias cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Belo Horizonte, Nova Iorque, Frankfurt, Buenos Aires, Paris, Londres, Acra e Lagos, só para citar algumas. E agora, aos 92 anos, Mestre Didi se apresenta em uma grande mostra no Museu Afro Brasil, que mantém em seu acervo permanente algumas peças do artista.

Mestre Didi

Além de artista, Mestre Didi é uma referência no mundo da religião Afro-Brasileira. Filho de Maria Bibiana do Espírito Santo, a Dona Senhora, e afilhado de Dona Aninha, reinadoras do Templo do Axé Opó Afonjá, na Bahia.  Aos oito anos, foi iniciado no culto aos ancestrais Egunguns, no Ilê Olukotun, Tuntun, na Ilha de Itaparica. Em 1975, tornou-se Alapini, o Sacerdote Supremo do culto aos Egunguns  – o mais alto grau na hierarquia .

100_0134

A tarefa cansativa ficou com a Mãe Sônia , por  ser escolhida para ser a quardiã do cumprimento do  horário, acompanhava todos ,  cuidava agenda, para não atrasar a próxima atividade, sou testemunha  ocular , que não foi tarefa fácil, mas ela dominou, legal.

, 100_0101A visita ao Museu  Afro Brasil foi muito interessante, principalmente por ter dado ,  possibilidade de conhecer  o histórico,  e partes do museu que eu não conhecia. Além da beleza das obras, o cuidado  e  o grande destaque, um imenso prazer para todas nós conhecer um pouco da  obra do Mestre Didi que é uma referência no mundo da religião Afro-Brasileira. O que levo de aprendizado é a preservação da nossa cultura. Ainda não damos a ela o devido valor. A oportunidade desta  visita ao museu deveriam ser mais incentivadas, pois eles têm grande participação na formação cultural do individuo. Não só aos que tem maior acesso mas, principalmente, verificar no externo a valorização, do que existe  dentro de nossa  memória viva , que é  a África Mitica. Agradeço a oportunidade,  a coordenação do INTECAB, São Paulo , faço uma observação para os  futuros organizadores de evento,  levem em consideração este exemplo , afinal as comunidades Tradicionais de Terreiros  no Brasil, não querem, só , comida,  esta faltando cultura, diversão e arte.

AO RETORNARMOS , PARA O CENTRO CULTURAL AFRICANO, ACONTECEU A PLENÁRIA  COM  APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DAS COORDENAÇÕES ESTADUAIS DO INTECAB

IMG_0509IMG_0513IMG_0504IMG_0507

Mãe Carmen de Oxalá em São Paulo, no Iº Encontro INTECAB

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 27, 2010 at 7:18 pm

 

N°1-27 de  novembro  ano 2011 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

100_0028

Depois de chegar na capital POA, ás 17 horas volto a voar para  São Paulo, chegando ás  18 :20. Para mim , embora meio assustada, com a intensidade da agenda,  não dá mais , para mostrar o álbum de fotos, tenho um compromisso de dividir com todos essas experiências, até porque não estou fazendo uma viagem a passeio, estou fazendo estas viagens , de reppresentação religiosa, pelo trabalho que realizo dentro e fora do meu Ilê , para visibilidade e dignidade das comunidades tradicional de terreiros, da qual sou originária.

100_0029

Este é o aeroporto de Congonhas, possui um diferencial, fica localizado no centro de São Paulo, estou aguardando a condução para me levar para o evento que já iniciou, não poderei me paramentar, agora. Ainda bem que vim de roupa branca.

100_0030100_0032

Fui, levada para  o Centro Cultural Africano ,  este espaço que acolheu o Iº Encontro Estadual do INTECAP -SP,  na condição de convidada, cheia de  orgulho de poder trazer para a capital paulista o nome e a bandeira da Assobecaty- Associação Beneficiente Cultural Africana Templo de Yemanjá,  a herança que ficou de minha mãe, Yalorixá Quina de Yemanjá,   que zelo com muito carinho e comprometimento, escrevendo a história em São Paulo e Cantando as Diferenças em Guaíba.

100_0123100_0124

Centro Cultural Africano, fica localizado, Rua Anhanguera, 551/553 – Barra Funda – São Paulo – SP Espaço que trabalha com a capacitação, a formação de multiplicadores e a qualificação das pessoas. Alem do resgate histórico do continente africano na formação social do Brasil e do reconhecimento a todos aqueles que, através dos diversos saberes, ampliam e multiplicam essas questões , fortalecendo as bases para a formação de uma sociedade mais justa e igualitária.

100_0140100_0139100_0143

A ante-sala estava decorada com frutas, e comidas tipicas de santo, muitos topes de tecidos , que decoravam as mesas apontando que o evento estava sendo realizado sob o domínio do Orixá  Ogum. Antes disto acho pertinente fazermos , um pequeno resgate do INTECAP.

101_3898IMG_0332 Ebomi Conceição Reis de Ogum, já estava

A origem do INTECAB =

O QUE É O INTECAB :

É um Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro Brasileiro com 09 Coordenações Estaduais, desenvolveu-se pelo longo processo Nacional no decorrer de um grande movimento Internacional ,promovido através das Conferencia Mundial da Tradição dos Orixás e Cultura – COMTOC.

No processo em 1.980 Sacerdotes Religiosos Africanos,Caribenhos e Brasileiros discutiam a possibilidade de intercâmbio a nível mundial das Tradições dos Orixás.

1.COMTOC – Organizado pelo Depto de Leitura e Língua Africana da Universidade de Ifé

2.COMTOC – Realizado no Brasil na Bahia em 1983 com presença dos mais expressivos Sacerdotes e Sacerdotisas e intelectuais do mundo

Ligados a tradição religiosa africana.

3.COMTOC – Sediado em Nova York em 1986 com representantes dos EUA, Caribe e África com numerosa e expressiva representação de brasileiros (as)

Criando assim o INTECAB após o 3. COMTOC durante o 1. Encontro Nacional da Tradição dos Orixás e Cultura realizados em Salvador no mês de agosto coordenado por Mãe Stella Azevedo e o Alapini Mestre Didi.

A proposta de criação do Instituto foi encaminhada para discussão e reflexão através de sugestões dos mais expressivos representantes dos diversos Estados brasileiros e suas expressões afro-brasileiras encaminhando assim para discussão e reflexão representantes dos Estados participantes.

Em outubro de 1987 decidiu-se a criação do Conselho Religioso com representantes de cada estado surgindo assim o Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro-Brasileira – INTECAB.

101_3899IMG_0253

1º Encontro Nacional da Tradição dos Orixá e Cultura, realizado em São Paulo , com inicio dia 27 de novembro de 2010, coordenado por Ebomi Conceição Reis de Ogum, reuniu a participação de Coordenações Estaduais, també convidados do Rio de  Janeiro,Paraíba, Minas Gerais, Brasília,  Rio Grandedo Sul, inúmeras autoridades religiosas de expressão do mundo dos diversos  paulistas.  ALém da cerimônia de abertura, também foi momento de apresentações.

100_0049IMG_0357

Além da cerimônia de abertura, também foi momento de apresentações. Momentos de divulgação do trabalho que cada Baba e Iyá realizam em   seus ilês, apresentações pessoais e os cânticos. Com a grande quantidade de pessoas  presentes impossibilitanos de registrar os nomes dos  presentes.

IMG_0340100_0036

São Paulo não  esta sendo diferente do outros estados e municipíos do Brasil, que conheço, visualizo neste espaço,  que esta carregado de diferentes  nações tradicionais africanas, que  constituem um espaço

IMG_0289IMG_0293

Ebomi Conceição Reis de Ogum , coordenadora INTECAB – São Paulo prestou homenagem  a ilustre   Mãe Ana D’Ogun que é uma yalorixá reconhecida com uma das mais  velhas, que carrega em sua história de herança africana três qualidades , raiz, tempo,  e autoridade.

100_0037 IMG_0324

Me senti,   abençoada por  Mãe Ana D’Ogun , matriarca que carrega uma trajetória de vida que a credencia como uma das mais dignas é  respeitadas lideranças religiosas da  cidade de São Paulo , pertencente  e honrra a religião que traz na própria raiz a gênese da formação do povo brasileiro. Matriarca, simbolo da feminilidade de uma das mais significativas organizações culturais no  Candomblé. Pedi abença de Ogum, para que abra os caminhos do nosso Conexão Afro , Online.

100_0039 100_0038

Existem acontecimentos na vida que nunca mais vamos esquecer,hoje contamos com os avanços da tecnologia, para partilhar com todos esses momento, estamos na foto eu Mãe Ana de Oxalá e Pai alexandre de Oxalá da Rede Afro-brasileira.

IMG_0322100_0054

o Brasil, ainda que fortemente constituído por tradições culturais africanas, construiu o seu sistema de representações sobre a presença de heranças negras na formação da chamada cultura nacional;  A religião de Matriz Africana, pausa para o coquetel.
Acompanhe o álbum

Y

Último dia do III º Seminário Plano de Aquisição de Alimentos– PAA

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 26, 2010 at 8:00 am

Segurança Alimentar é um grande desafio para as Comunidades Tradicionais de Terreiros     

101_3869101_3870101_3871

Estes foram os convidados das comunidades de terreiros que compareceram ao III PAA.  Pai Jorge Kinabazambie do estado do Paraná,Iyá Patricia de Oxum do Distrito federal, Tatata de Edson Nogueira- Monabantu, Baba Joel de Oxaguiã.

101_3872101_3876

Baba Alexandre de Oxalá da Rede Afro Brasileira, Consultor Seppir Ronaldo, Iya Patricia e Baba Joel ambos de Brasília, Jorge Kibanazambi  Paraná e Tata Edson  Nogueira Monabant

Mãe Nalva de Belém do Pará , Baba Joel de Oxaguiâ, Iya Patricia de Oxum, e Tata Edson Nogueira Monabantu ,  Mãe Lucia de Oxum, Paraiba, e Baba Alexandre de Brasilia ´.

No final do evento do 3º PAA , os religosos que participaram , tem o dever de levar uma alerta, de estimular a apropriação da segurança alimentar , essa é a pauta para o século xxI e les tem o dever de  partilhar o aprendizado deste seminário nos estados..

 

e  e

As Comunidades Tradicionais de Terreiros no III º PAA

In Uncategorized on Novembro 26, 2010 at 1:07 am

 

N°1-26 de novembro ano 2011 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

100_2583

Na foto Ivonete Carvalho Diretora de Programas para Comunidades Tradicionais da SEPPIR, Mãe Carmen de Oxalá  dirigente da casa tradicional do sul Assobecaty, e a Ministra Marcia Lopes do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS)

A s Comunidades Tradicionais  adquire importância crescente nos sistemas públicos. é tema-chave para os responsáveis pelas políticas públcas do  país: é a conclusão a que os Pais e Mães de Santo , chegam no IIIº Seminário (PAA) .

 

 

Embora sendo um número reduzido de religiosos do seguimento afro, os que se fizeram presentes , mesmo assim, marcam a expressão da religião afro durante o evento, conhecendo as experiências , se  instrumentalizando com esta politica nova.

100_2585Na foto da esquerda para direita ( Mãe Carmen de Oxalá – Sul, Nilo Nogueira Consultor Técnico  – SEPPIR e Mãe Lucia de Oxum- Paraíba)

Como reflexão ampla  Iyás Mãe Lucia de Oxum, da Paraíba,   Mãe  Nalva de Oxum Belém do Pará e Mãe  Carmen de Oxalá avaliam o  evento, sendo  o ponto de partida um olhar sobre o lugar que as comunidades tradicionais de terreiros são  atendidas pelo  programa (PAA) através de “assistencialismo” que é a distribuião de cesta alimenticias,  o que instiga as 100_2588participantes buscarem informações sobre as politicas estruturantes, que devem chegar  nos terreiros após os resulatados do mapeamento de terreiros.

 

 

 

 

 

É tempo de aprender a escutar os gestores é tempo de levarmos  para os estados  material para ser distribuido e abrir o diálogo com os que ficaram , abrir uma agenda de discussão da construção de politica de sgurança alimentar, neste ano ocorrerá  o Seminário nacional e a Conferência Nacional de Segurança Alimentar.

100_0015Mãe  Carmen de Oxalá e o Tata Edson França da organização MONA BANTU- MOVIMENTO NACIONAL NAÇÃO BANTO, uma organização, constituída de comunidades e de centros de resistência da cultura banto no Brasil. Edson tem um discurso muito forte, quanto aos processos de luta contra a discriminação, a opressão e a intolerância religiosa, na reparações  e lberdade para o povo do santo.

 

100_0017Mãe Carmen de Oxala e Sarai Soares Assessora Deputado  Federal Dionisio Marcon

Mãe Carmen , ao olhar esta foto comenta que teve um imenso prazer de conhecer pessoalmente  Saraí Soares, o nome forte, carrega a trajetória,de  dedicação Nome de uma mulher  que possui destaque pelo  qualificado trabalho  social  com intervenções no bairro Cruzeiro.

Bons exemplos, são agentes de mudanças, para novas gerações que estão por vir, que transformam as dificuldades em oportunidades, esta capacidade de transformação é uma das etapas do processo de resitência, que nos de comunidades tradicionais carregamos na nossa memória genética, essas imagens são para  elevar a auto estima de milhares que não acessaram esses espaços, se  estamos hoje aqui, amanhá  vocês também podem.

100_0011Mãe Carmen de Oxalá, indo tomar café da manhã na volta da piscina  com Pai  Joel de Oxaguiã e Mãe Patricia de Oxum ambos de Brasilia- DF, com eles falamos muito das70cddbb317507e4f3954faa826786f0e questões de Patrimônio Imaterial, material , cultural e o resgate da Gruta de Oxum e da Pedra de Xangô , luta que estamos travando com os gestores municipais da cidade de Guaíba, também coloquei que estamos com muita esperança em podermos ver esse impasse ser  resolvido, no  ano que vem.

Para finalizar o final do evento constatamos que as Comunidades Tradicionais de terreiros,  estão  tendo uma abertura no Programa de Aquisição de Alimentos , embora ainda timida,  isoladamente tendo um impacto reduzido a nível nacional, mas considerando a multiplicidade das iniciativas e projetos locais em todo o território há um impacto agregado .  Temos de unir todos os nossos esforços para contagiar e instalar a cultura da Segurança Alimentar em nossos estados, municípios. está é a pauta de 2011.

Presidente Lula Participa do IIIª SEMINÁRIO DO PAA

In Uncategorized on Novembro 25, 2010 at 11:27 am

N°1-25 de  novembro ano 2011 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

No segundo dia foi bem diferente que o primeiro, o hotel estava com uma dinâmica de segurança além do normal, fomos verificar o que estaria acontecendo era a segurança especial da Presidencia da República, existia uma fila enorme para passar na revista para poder acessar o salão do evento.

100_2595

As pessoas ficaram de pé e começaram aplaudir o Presidente Lula , mesmo em final de mandato, recebe manifestações calorosas , sinal de satisfação pela politca.

mãe carmen e lula

Mãe Carmen de Oxalá ao tirar esta foto com o presidente Lula diz “o sentido desta foto , não deriva do que se diz dela , mas , sim o que faço com ela ,  nesse momento  politíco ser reconhecida é algo que enobrece, não a mim , e sim  a religião de Matriz Africana, ainda mais quando dedico a memória  da tradição erguida pelas míticas princesas iorubanas fundadoras da religião africana em solo brasileiro, as Iyá Detá, Iyá Kalá, e a Iyá Nassô. Da mesma forma a todos e todas religiosos que   contribuem para  evolução e consolidação da religião, como um dos mais importantes instrumentos de preservação pela diversidade de nações. Ainda a  minha antecessora Iyá Quina de Yemanjá,  ao meu Pai Cleon de Oxalá e todo  batuque do sul”.

I º DIA NO SEMINÁRIO PAA –BRASILIA

In Uncategorized on Novembro 24, 2010 at 3:06 am

N°1-24 de novembro ano 2010 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

 

O III º Seminário de Aquisição de Alimentos (PAA), este ano  completa 7 anos de sua implantação,  o evento foi  um momento importante para análise crítica  do   contexto   político   e   social   e   da   conjuntura   local,   regional, nacional, do   conjunto   de   propostas  e   compromissos,   apresentado  para as comunidades tradicionais.

100_2580

As ações que nortearam o goverrno federal durante este periódo, a busca constante de identificar a realidade , como,  até onde o   programa   foi implantado,   isto   significa   saber   a   história política e social local , além de conhecer os  problemas, avanços, possibilidades, potencialidades, demandas e anseios. Estavam presentes  agentes e instâncias sociais, lideranças populares, pessoas detentoras de conhecimentos específicos sobre a realidade, meios de comunicação e formadores de opinião.

O  primeiro dia é um momento apresentação ,  acolhida e  observação do espaço bem diferente, são pessoas diferentes, posturas e assunto diferente . Pelo fato de estar paramentada, a maioria me chamava baiana , era  muito oportuno de dizer a todos que no rio grande so Sul temos mulheres negras vivênciadora da religião afro.

100_2591

100_2582

No  encerramento do evento , a ministra Marcia Lopes  que coordenou o seminário do PAA, cumpriu o protocolo, na saida os comprimentou alguns presentes , conversou rapidamente com outros, também   possou para fotos, observem a simpatia dela   com Mãe Carmen de Oxalà .

100_2583

Também recebi uma  linda e calorosa acolhida proporcionada por membros da SEPPIR- Nesta esta  Diretora de Programa para Comunidades Tradicionais,a Sra, Ivonete Carvalho , Mãe Carmen de Oxalá e a Ministra  Marcia Lopes .

100_2585

O Nilo Nogueira e Mãe Lucia de Oxum

Na seqüência, Mãe Lucia de Oxum, Pai Joel de Oxaguiâ e Mãe Patricia de Oxum e Nilo Nogueira da SEPPIR .

100_2587

 

PAUSA PARA O ALMOÇO

100_0013

Mãe Nalva de Oxum, Belém do Pará,   Gestor  de PAA e Mãe Carmen de Oxalá, no primeiro dia o almoço  foi regado de muito suco e muitas curiosidades sobre o programa.  Além das trocas de informação sobre o assunto em evidência , que é  comum para as duas Yás,  a conquista do inventário de terreiros , falaram das difucldades , expectativas e revendicações das comunidades de terreiros. O livro oportunizou aos coordenadores estaduais, fazer um registro sobre esta experiências.

100_0010As curiosidades sobre o MDS, também foram sanadas no quarto do Hotell Nacional , por minha  colega de quarto que era  assistente Social, trabalha na  Prefeitura de Mato Grosso do Sul, me explicou muito, partilhando o seu conhecimento , inclusive me encaminhou um material sobre Aids.

ABERTURA DA SEMANA MUNICIPAL DA UMBANDA e RELIGIÕES DE MATRIZ AFRICANA – GUAIBA-RS (NOITE)

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 22, 2010 at 12:45 am

N°1- 22 de novembro  ano o 2010 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

OS EXUS SÂO OS QUE SÃO SAUDADOS NA NOITE DE ABERTURA DA SEMANA DA UMBANDA DA CIDADE DE GUAIBA 100_2563

A continuação da programação da Semana Municipal da Umbanda e Religiões de Matriz Africana no municipio de Guaiba, do dia 22 de novembro 2010. A noite   Pai Roni de Ogum e Pai Ricardo e Sociedade Beneficente Jurma Flecheiraxeira Fraternidade, que é dirigida por Mãe Nilza, os terreiros que realizaram o toque para os Exus na Praça Gastão Leão ( Praça da Bandeira) já Mãe Carmen de Oxalá diretora espiritual da ASSOBECATY – Associação Beneficente Cultural Africana Templo de Yemanjá não trabalhou mais passou lá para prestigiar. 100_2562

Consciência Negra Para Jovens em Regime Sócio -educativo

In negritude on Novembro 20, 2010 at 11:49 pm

N°1-11 de novembro ano 2010 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Estar  em  lugares que nunca havia estado ou passado, estar com pessoas diferentes, falar com pessoas diferentes , nestes últimos meses, Mãe Carmen de Oxalá , vem aceitando novos desafios  ,  um deles foi  aceitar o  convite para colaborar na Semana da Conciência Negra 2010 , realizando uma palestra na Fundação de Atendimento Sócio-Educativo – FASE .

100_2456A religiosa com convicção afirma que “ Vivemos diversos desafios , na medida em que, lidamos com todos os tipos de mazelas da sociedade. Assim, durante o dia, atendo  pessoas humildes, necessitadas, muitos  privados de seu sustento. Isso nos leva a uma única conclusão: o que me faz ser uma religiosa  flexível, me coloca na condição de interagir com todos segmentos da sociedade. Antes de ser mãe de santo, sou mulher, mãe , chefe de  familia , além de ser uma  agente dos orixás  é em seu nome que a minha  resistência  sobrevive” .

A responsabilidade religiosa e social  é muito  grande, mas, sem dúvida, é esse desafio que nos encoraja a lutarmos com amor pela bandeira da religião de tradição de matriza africana . Ciente disto,   que   trabalhou  o tema ”  Religião Afro é uma questão de identidade “ na FASE – Fundação Atendimento Sócio- Educativo do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre,  na Escola Estadual Senador Pasqualini, situada dentro do complexo,  que atende 250  adolescentes autores de atos infracionais com medida judicial de internação.

Um 20 de novembro  diferente  marcou   a vida de Mãe Carmen de Oxalá, assim como dos Jovens da FASE  que tiveram a oportunidade de assistir sua palestra, 100_2438 depois poderem  conversar , solicitar orientação e pedir ajuda. Também os próprios alunos haviam  organizado , painéis sobre a história da África. Para a direção  da escola juntamente com o quadro de professores, a  intenção é a integração da palestra  com o que os jovens acessaram ao realizar a pesquisa.

100_2455 Mãe Carmen , tirou dúvidas, deu orientação e deixou um bom AXÉ da  religião Afro- brasileira.

Além de contribuição  com a sociedade,  foi um trabalho realizado pela recuperação de jovens, a proposta foi  levar a reflexão sobre a cultura negra,  que foi abordado de  Zumbi dos Palmares mesclado com aspectos da religião afro. Diante das dificuldades da juventude contemporânea com questões relacionada a identidade, essa ação afirma,  que  foi  plantado  muitas  sementes de  esperanças, cada um faz a sua parte,  você já fez a sua?

AJEUM NA ASSOBECATY PARA O GRUPO DE CAPOEIRA MUZENZA

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 14, 2010 at 10:01 am

N°1-14 de novembro  ano 2010 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

 

100_2297Assobecaty no dia 14 de novembro , serviu como palco da atividade da semana da consciência negra  em  uma parceiria com o Grupo de Capoeira Muzenza, recebendo os convidados do 2º  Encontro de Capoeira Jogando pela Vida ,   entidade ofereceu um AJEUM , uma deliciosa refeição no horário do  almoço, recebendo os mestres de todo o pais, que  valorizam a cultura negra, com o jogo capoeirista.

100_2345100_2351

O evento proporcionou troca, reflexão crítica da realidade e afirmação positiva dos valores culturais negros pertencentes a nossa sociedade. Os terreiros são espaços carregados de  valores civilizatórios  africanos, sociais por esses fatores que  é também no terreiro que se deve propiciar a reflexão crítica sobre esses valores,  bem como abrir um leque de discussões em torno da diversidade cultural existente em nosso país, a fim de que essa diversidade seja respeitada e valorizada.

100_2294100_2295

Dentro da proposta de  aproximar o Ilê com outras formas de resitência cultural  para buscar a valorização da cultura afro-brasileira, mãe Carmen de Oxalá e alguns filhos envolveram-se na realização de um cardápio rico em variedades com diferentes. sabores do sul, para agradar os convidados do mestre Trovão.

100_2355

“Que a água seja refrescante. Que o caminho seja suave. Que a casa seja hospitaleira. Que o Mensageiro conduza em paz nossa Palavra.” Benção Yorubá”

100_2292100_2293

100_2290100_2302

 

 

100_2289100_2304

 

 

100_2306100_2305100_2306

O encontro dos atores da capoeira com a religiosidade da Assobecaty, foi repleto de significados, sendo possível identificar a ultilização de recursos como os  valores civilizátórios africanos. Da apresentação pessoal , assim , como a  expressão da memória de cada Grupo com as  narrativas, através da oralidade que enunciava a memória  permanente  de uma rebelião histórica, pois os conflitos da capoeira e da religião, não se apresentam muito diferentes, como a necessidade de terem uma voz de liberdade, que o povo negro desde os primeiros círculos ao redor do fogo, a voz humana é pontífex entre os indivíduos e entre estes e a divindade.100_2349

.”Eu seria uma pessoa pobre se não fosse capaz de produzir histórias, de fazer da minha própria vida uma narrativa que posso emendar, apagar e enfeitar.” Mia Couto”

100_2352A elaboração e desenvolvimento desse projeto  visam a atender dois pré-requisitos básicos: o exercício da cidadania e vivência dos valores através da apropriação da arte e da cultura, como ferramentas necessárias para estar num mundo formado por sociedades que usam o preconceito como instrumento das esferas de diferenças sociais e, ainda, o resgate da herança africana, cuja história fora esquecida e ignorada ao longo do tempo.

100_2350

O evento teve a finalidade de  favorecer a interação e  apresentar a   causa emergente , a história dos dois patrimônios imaterias, a Gruta de Oxum da Praia da Alegria e a Pedra de Xango , dois cartões postais da cidades qiue estavam em invisiblidade e há 3 anos Assobecaty, trava uma luta  com os gestores municipais para a valorização e revitalização destes espaços, ao ouvir atentamente a história os visitantes fizeram questionamentos e também tiraram fotos com a Imagem que a entidade e sua representante legal são depositários  fiéis.

100_2340

A idéia é que nunca mais sejam esquecidos estes monumentos, O mais importante mesmo, foi ver a emoção e alegria dos capoeirista e  religiosos, esses agentes culturais ao serem homenageados tiveram o reconhecimento do seu trabalho na cidade de Guaíba .
Mestre Jêjê com seu notório saber , o saber dos mestres da capoeira e suas história de mestres populares trouxe o relatou de sua trajetória na capoeirista.

100_2337

Mas a descontração veio mesmo com os contos do Mestre Jaguara , contou a sua história de vida e sua ligação com a religião.

100_2339

O busca longe chamava a tenção pelo fisico bem delineado, falou de seu percurso da capoeira em São Paulo.

100_2336

Mestre Jêjê com seu notório saber , o saber dos mestres da capoeira e suas história de mestres populares trouxe o relatou de sua trajetória na capoeirista.

100_2338

Mestre Cabeça , rememorou a parceria que realizou no ano de 2007,  com a entidade de Mãe carmen , que a parceria rendeu três evento,

100_2343

Foi um momento marcante de respeito , resignificação e  resgate.  Não foi somente um resgate da memória ancestral de africa mitica, sim, um resgate de consciência , resgate da auto-estima , mas foi para vermos nossas ações  transformadoras, projetando o principio da coletividade, da troca da partilha  como prática fundamental e essencial para mudar as pessoas e, conseqüentemente, a sociedade.

100_2341100_2342

O Mestre  Trovão , não pode ficar na Assobecaty  estava atendendo outra parte do evento,

A anfitriã aproveitou um momento para apresentar o regate da entidade do território negro que existe no municipio, Pedra de Xangô e Gruta de Mãe Oxum a importância e valorização da cultura negra dentro da cidade,  criando espaços para manifestações artísticas que proporcionem reflexão crítica da realidade e afirmação positiva dos valores culturais negros pertencentes a nossa sociedade é a proposta da Comunidade de Terreiro tradicional afirmar um olhar, para a vivência do  negro dentro da religião e na sociedade Guaíbense, situação cada vez menos comum na contemporânidade. Também salientou a importante  presença de alguns filhos e voluntários  que trabalharam para o êxito deste evento no domingo dia 14, com carinho e uma dedicação impressionante por acreditar na importância e necessidade de uma interação   com o diálogo permanente.

O êxito deste evento, que marca a Semana da Consciência Negra do Municipio de Guaiba, no estado do Rio Grande do Sul, só foi possível, por contar com a responsabilidade dos meus filhos de santo, o  comprometimento com a causa, é que faz da ASSOBECATY ( Associaçõa Beneficente Cultural Africana Templo de Yemanjá)  ser reconhecida nacionalmente como um espaço  que detém o axé  dos orixás e um pólo de ressistência.  Greice Hellen minha filha biológica, Denise de Iemanjá, Raissa, Priscila de Oiá, e Psicologa Debora Lucia voluntária responsável pelo serviço da Assobecaty- psicologia.

100_2331100_2309100_2392

acc06c6a05bcb09bb57deafa69fda171

Associação Beneficente Cultural Africana Templo de Iemanja-Rua Wenceslau Fontoura n. 226 – Jardim Santa Rita- Guaiba, RS- Brasil, Fone (51) 30556655, email ; assobecaty@hotmail.com

 

caracoles Falar com Mãe Carmen de Oxalá (51)  97010303 – 84945770 maecarmendeoxala@hotmail.com

logo conexão IIiRevista Conexão afro:

conexaoafro@gmail.com

Por Quê Conexão Afro

In Conexão Afro on Novembro 13, 2010 at 9:29 pm

 

N°1-13 de  Novembro ano 2010 -Guaíba- RS –Brasil
REVISTA CONEXÃO AFRO

Axé , Guaíba, axé, Brasil, axé, Mundo!

Por acaso você já parou para analisar o mapa do mundo? Não? Então olhe bem! O formato do Brasil não encaixa no formato da África? Claro que sim. dizem alguns que em épocas log2[1]remotas, cataclismas separaram a terra. formando dois continentes como hoje se vê npo globo terrestre. Quem pode saber  se não foi mesmo .Existem tantos mistérios que a nossa compreensão não alcança. A própria religião africana tem segredos que mesmo os que a cultuam não alançam a sua totalidade.

Quem pode saber se os Orixás, com o tráfico, não se fizeram aquele  povo voltar a habitar a mesma terra… Afinal de contas , uma terra que sempre foi deles. Neste ponto entra o questionamento  do sofrimenro passado pelo povo africano. Por que os orixás permitiram que passassem tanto sofrimento nas mãos dos algozes senhores de engenho ?Não acabei de falar que existe mistérios insondáveis? E não desse incrível sofrimento., com os braços de chibatadas, que se originaram os nossos pretos-velhos, alijados e humildes de sabedoria infinita, que estão no noso meio para aliviar a dor  e esclarecer tantas dúvidas?

Africanos lá. escravos aqui;libertos lá, libertos aqui. Desses questionamentos, dessa necessidade resgatar, de aproximar o legado pelo povo africano nste pais com a origem surgiu o CONEXÃO AFRO. Em poucas palavras , quer se conectar o que foi separado. Unir, afinal de contas a cultura , religiosidade, o sagrado para sempre. Somos “Vivenciadores” da religião africana;somos portanto africanos na descendência, no sangue , na alma e na fé. Axé !

Somos todos irmãos na mesma crença;  acreditamos num mundo único, irmãos, fraterno, igualitário e justo.

Axé, povo afro-brasileiro! axé povo brasi-africano! axé povo latino afro Caribenho! Mãe Carmen de Oxalá