Revista Online Conexao Afro

Archive for PM|Yearly archive page

Parlamento gaúcho realiza a abertura da Exposição Ilê Ifé–O sagrado aos Olhos Humanos do Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural Assobecaty

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 14, 2018 at 4:07 pm

Resultado de imagem para conexao afroENTREVISTA

14/11/2018 – 17:00

A Semana da Consciência Negra é aberta nesta quarta-feira (14), em ato no Salão Júlio de Castilhos, a partir das 17 horas. Nesta entrevista o coordenador, Clóvis André Silva da Silva, fala sobre as atividades, que seguem à noite.
Às 18h15 será realizado o painel A Cultura Negra como Forma de Enfrentamento ao Racismo Institucional, com a juíza de direito Karen Luise Vilanova Batista de Souza Pinheiro e a ativista do Movimento Negro Ivonete Carvalho. A atividade será no Espaço da Convergência Deputado Adão Pretto, no térreo.
Duas exposições também têm início nesta quarta-feira (14). A mostra fotográfica A Cor do Negro, de Jorge Aguiar e Fernando Zago – que poderá ser visitada até 30 de novembro, na sala JB Scalco do Solar dos Câmara -, e a mostra Ilê Ifé: O Sagrado aos Olhos Humanos – Indumentária de Orixás, aberta até 23 de novembro, no espaço de exposições na entrada do Palácio Farroupilha. A visitação é de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h30 às 18h30. Confira as imagens:

Foto: Marcelo Bertani | Agência ALRS
Legenda:

Repórter: Claudia Paulitsch

Palavras-chave: SOLAR DOS CAMARA, Sessão Solene , Semana da Consciência Negra, Entrevista, Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul

http://www.al.rs.gov.br/radioassembleia/Detalhe/tabid/758/IdMateria/17455/Default.aspx

Anúncios

SEMANA DA CONSCIÊNCIA NEGRA Abertura da IX Semana da Consciência Negra do Parlamento gaúcho, Coordenadora do Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural Greice Oliveira e Mãe Carmen de Oxalá diretora espiritual da ASSOBECATY

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 14, 2018 at 3:35 pm

Resultado de imagem para revista conexão afroResultado de imagem para revista conexão afroLuiz Osellame – MTE 9500 | Solar dos Câmara – 18:57-14/11/2018 – Foto: Marcelo Bertani

Foi aberta oficialmente na tarde desta quarta-feira (14), no Salão Júlio de Castilhos, a programação da Semana da Consciência Negra do Parlamento gaúcho. A Semana da Consciência Negra da ALRS foi instituída pela Resolução 3.045, de 1º de outubro de 2009, e chega a sua IX edição em 2018.

O superintendente de Comunicação da Assembleia Legislativa, Inocêncio Teles Moreira Filho, em nome do presidente da Casa, deputado Marlon Santos, saudou e agradeceu a presença de autoridades, representações das bancadas partidárias, integrantes da Comissão Organizadora da Semana da Consciência e representações de entidades.

Inocêncio destacou que; “a Semana da Consciência Negra da ALRS tem o propósito de abrir espaços da ALRS às demandas de combate ao racismo, bem como de dar visibilidade à cultura afro-brasileira, uma das vertentes constitutivas da sociedade gaúcha”, organizada por uma Comissão composta por representantes do Movimento Negro no RS e pelas representações partidárias da Casa.

O coordenador da Comissão Organizadora da SCN, André Silva da Silva, saudou e agradeceu a presença de todos, salientando que o objeto de reflexão da SCN é garantir a pluralidade do debate sobre as questões que envolvem o negro na sociedade brasileira, “para que se tenha realmente uma sociedade mais democrática, harmônica e fraterna, que garanta a igualdade de oportunidades”.

Presenças

Também participaram da solenidade desta tarde a coodenadora do Centro Operacional dos Direitos Humanos da Saúde e Inclusão Social, Ângela Salton Rotuno, representando o Procurador Geral de Justiça, Dr. Fabiano Dalazen, a Diretora do Departamento de Cultura da ALRS, Neusa Silva Soares, a representante do Conselho Estadual de Cultura, Maria Marques, a presidente do Instituto Casa de Arte, Isabel Ribeiro, o artista plástico, Guaracy Feijó, o representante da Liga das Escolas de Samba de Itaqui, Márcio Mota, presidente da Comissão Especial de Políticas de Igualdade Racial  do GHC, Celso Procópio e a coordenadora do Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural, Greici Oliveira, entre outros.

Programação da IX Semana da Consciência negra da ALRS

14 de novembro (quarta-feira)

Exposição fotográfica “A Cor do Negro”, por Jorge Aguiar

Visitação: 14 a 30 de novembro – aberta das 8h30 às 18h30, de segunda à sexta-feira

Local: Sala JB Scalco (Solar dos Câmara da ALRS)

Abertura Oficial da IX Semana da Consciência negra da ALRS

17 horas – Salão Júlio de Castilhos (Palácio Farroupilha)

Abertura da Exposição Ilê Ifé: O Sagrado aos Olhos Humanos – Indumentária de Orixás

Local: Espaço de Exposições da ALRS (Hall de entrada do Palácio Farroupilha)

Visitação: 14 a 23 de novembro – das 8h30 às 18h30, de segunda à sexta-feira

Painel: A Cultura Negra como Forma de Enfrentamento ao Racismo Institucional-  Karen Luise Vilanova Batista de Souza Pinheiro, juíza de direito e Ivonete Carvalho, ativista do Movimento Negro.

18h15 – Espaço de Convergência da ALRS (Térreo do Palácio Farroupilha)

21 de novembro (quarta-feira)

14 horas – Sessão Solene: Dia Estadual da Consciência Negra

Local: Plenário 20 de Setembro

– Entrega do Troféu Deputado Carlos Santos

– Entrega da Medalha Zumbi dos Palmares

Abertura da Feira Afro

16 horas – Vestíbulo Nobre da ALRS

Sarau Especial da SCN: As Vozes de Dandara – Mulheres Negras, Arte, Cultura e Resistência, com Claudia Quadros, Glau Barros e Marietti Fialho.  Participação da Cia de dança Brazil Estrangeiro.

19 horas – Teatro Dante Barone da ALRS

Entrada franca

http://www2.al.rs.gov.br/noticias/ExibeNoticia/tabid/5374/IdOrigem/1/IdMateria/315278/language/pt-BR/Default.aspx

CONFIRA : Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural ASSOBECATY divulga a programação da XX Semana Municipal da Umbanda e Religiões de Matriz Africana –

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 14, 2018 at 6:55 am

Resultado de imagem para conexao afroNa próxima  quinta – feira (22) as atividades  referentes à  XX Semana Municipal da Umbanda e Religiões de Matriz Africana,  com abertura oficial pelo Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural ASSOBECATY que será oficiada por  Mãe Carmen de Oxalá,  filha de Mãe Quina de Yemanjá, idealizadora  do projeto da semana, desde o ano de 2012 o Ponto Ilê Axé Cultural tem sido o organizador do evento que tem apoio da Secretaria Estadual de Cultura e Prefeitura Municipal de Guaíba.     

Confira a agenda da semana

the limitlessmodern exhibit (2)

limitess

Exposição Ilê Ifé proposta do Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural ASSOBECATY, presente na agenda de Atividade Culturais da Assembleia Legislativa

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 13, 2018 at 2:14 pm

AGENDA

Atividades da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira

Letícia Rodrigues* – MTE 9373 – 17:00 – 13/11/2018

IX Semana da Consciência Negra da AL
A partir de 14 de novembro, a Assembleia promove a IX Semana da Consciência Negra. A abertura oficial será às 17h, no Salão Júlio de Castilhos.

Às 18h15, ocorre o painel A Cultura Negra como Forma de Enfrentamento ao Racismo Institucional, com a juíza de direito Karen Luise Vilanova Batista de Souza Pinheiro e a ativista do Movimento Negro Ivonete Carvalho. A atividade será no Espaço da Convergência Deputado Adão Pretto, no térreo.

Duas exposições também começam nesta data. A exposição fotográfica A Cor do Negro, de Jorge Aguiar e Fernando Zago, poderá ser visitada até 30 de novembro, na sala JB Scalco do Solar dos Câmara. Já a mostra Ilê Ifé: O Sagrado aos Olhos Humanos – Indumentária de Orixás , proposto pelo Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural Assobecaty, fica em cartaz até 23 de novembro, no espaço de exposições na entrada do Palácio Farroupilha. A visitação é de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h30 às 18h30.

Feira Orgânica
Toda a quarta-feira, das 12h às 19h, ocorre feira de produtos orgânicos ao lado da entrada principal da Assembleia Legislativa.

Exposição
Até 2 de dezembro, o Arquivo Histórico do RS e a Comissão de Cidadania e Direitos Humanos promovem a exposição O sequestro dos uruguaios em Porto Alegre: 40 anos depois. A mostra retrata o episódio do sequestro dos uruguaios Lilián Celiberti e Universindo Rodríguez Díaz, ocorrido em Porto Alegre, em 12 de novembro de 1978. Os painéis com fotografias, charge, textos e documentos do Arquivo Histórico podem ser conferidos no 2º andar do Memorial do RS (Sala Múltiplos Usos), de segunda a domingo, das 10h às 20h30.

* Com informações fornecidas pelos gabinetes e assessorias. Programação sujeita a alterações.

http://www2.al.rs.gov.br/noticias/Agenda/tabid/5669/IdOrigem/1/IdMateria/315239/language/pt-BR/Default.aspx

Programação da Semana da Consciencia Negra da Assembléia Legislativa – RS onde o Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural ASSOBECATY, irá compor com a EXPOSIÇÃO ILÊ IFÉ: O SAGRADO AOS OLHOS HUMANOS

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 9, 2018 at 10:37 am

Apresentação sem títuloApresentação sem título (1)Apresentação sem título (1)

Aberta consulta pública para II Plano Nacional para Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana e de terreiros

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Outubro 26, 2018 at 10:13 pm

publicado: 25/10/2018 18h30, última modificação: 26/10/2018 18h14

Aberta consulta pública para II Plano Nacional para Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana

Foto: Ògan Luiz Alves

O Ministério dos Direitos Humanos (MDH), por meio da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), propõe consulta pública para que a sociedade e os detentores da ancestralidade africana no Brasil possam lançar s opiniões, críticas ou sugestões ao II Plano Nacional para Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana  e de terreiros.  O plano possui quatro eixos, com múltiplas iniciativas.

A ação dá-se a partir do Departamento de Promoção de Igualdade Racial para Povos e Comunidades Tradicionais (DECOM) e  de sua Coordenação de Políticas para Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana e de terreiros e do Grupo de Trabalho Interministerial (GTI).

O diálogo sobre as políticas públicas para os Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana e de terreiros remete ao Decreto número 6.040/2007, que estabelece a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável para Povos e Comunidades Tradicionais, cujas definições e objetivos respondem às demandas sugeridas e apontadas pelas lideranças de povos e comunidades tradicionais de matriz africana e de terreiros.

A Convenção n° 169 sobre Povos Indígenas e Tribais da Organização Internacional do Trabalho – OIT, promulgada pelo Decreto Presidencial n° 5.051, de 19 de abril de 2004, define um trajeto a ser seguido, pois efetiva direitos aos povos e comunidades tradicionais tal com a obrigação do Estado em garantir o protagonismo e consentimento dos sujeitos de direito na elaboração, execução e implementação de projetos e políticas públicas, sempre precedidas de consulta prévia, livre e informadas às populações tradicionais.

I Plano – A partir destes, e de outros marcos legais, bem como da avaliação do I Plano Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana (2013-2015) e na parceria com ministérios e órgãos governamentais representados por um Comitê Executivo, formulou-se a proposta para o II Plano Nacional para Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana e de terreiros.

A avaliação qualitativa e quantitativa constatou que foram executadas e parcialmente executadas 54% das metas do I Plano o que possibilitou indicar melhorias para uma maior efetivação e exigibilidade para o II Plano.

A proposta tomou ainda como base o acúmulo de textos, documentos e atas elaborados entre 2013 a 2017, entre eles, os relatórios de gestão da SEPPIR, os subsídios da Plenária Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana e da III CONAPIR (2013). Também foram considerados os grupos focais presenciais realizados junto a lideranças tradicionais de matriz africana da sociedade civil em agosto, setembro e outubro de 2017 e por fim os debates ocorridos com mais de 100 lideranças tradicionais de matriz africana de diversos Estados da federação, entre os dias 28 e 29 de maio de 2018, em Brasília, no Grupo de Trabalho 11: Povos Tradicionais de Matriz Africana e de terreiros da IV Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CONAPIR), onde destacou-se entre uma das 10 (dez) propostas prioritárias aprovadas na Plenária Final, por unanimidade de 944 delegados estaduais, a importância da continuidade de uma política pública para os povos tradicionais de matriz africana.

Eixos – O II Plano possui quatro eixos, com múltiplas iniciativas, em distintas metas:

Primeiro eixo – Garantia de Direitos

Os povos e comunidades tradicionais de matriz africana e de terreiros são vítimas de violações de seus direitos sociais, políticos, econômicos e culturais. A garantia de seus direitos não se efetiva sem o reconhecimento de sua contribuição na construção do Brasil e a valorização da ancestralidade que estabelece vínculos identitários entre o continente africano e o Brasil. Neste sentido, a adoção de medidas de valorização da cultura, da história e da tradição africana no Brasil, a garantia de mecanismos eficazes de participação e o monitoramento das políticas públicas são fundamentais para o combate às iniquidades raciais existentes em diversos níveis sociais.

Segundo eixo – Superação do Racismo e Combate à Violência

No Brasil o racismo é estruturante das relações políticas, econômicas, sociais e culturais, produzindo um estado cotidiano de violência simbólica e física, através da hierarquização dos direitos e da cidadania dos brasileiros que são determinados por sua origem étnica. A valorização e a promoção da ancestralidade são premissas para o combate ao racismo e para a garantia dos seus direitos.

Terceiro eixo – Territorialidade e Cultura

Os territórios tradicionais compreendidos como os espaços à reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica são a base da organização social e da identidade cultural dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana e de terreiros. A questão fundiária e a preservação do patrimônio cultural são temas centrais para a promoção do desenvolvimento sustentável dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana e de terreiros.

Quarto eixo – Inclusão Social e Desenvolvimento Sustentável

A superação da vulnerabilidade socioeconômica dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana e de terreiros passa pelo desenvolvimento sustentável, inclusão produtiva e valorização das práticas tradicionais de alimentação e saúde. As ações a serem desenvolvidas baseiam-se no princípio do uso equilibrado dos recursos naturais, voltado para a melhoria da qualidade de vida.

Acesse aqui a consulta pública.

Mãe Carmen de Oxalá

https://maecarmendeoxala.wordpress.com/

Cartomante, quiromante, búzios

Cópia de Cópia de Imagens para produção de material (9)

Moa do Badaue foi assassinado em Salvador, Chora capoeira, capoeira chora.. chora capoeira, Mestre Moa foi embora".

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Outubro 7, 2018 at 10:37 am

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato 2

e98abb1b-c870-4e2d-8225-906c5a8f9781Acabo de ser informado que Com muito pesar informo que assassinaram o grande Mestre Moa Do Katende ontem a noite no Dique Pequeno Salvador, por causa de política, em eleitor do fascista "coiso" esfaqueou ele.

Mestre Moa aguerrido defensor da cultura e do povo negro, sempre a frente pela qualidade de vida da população mais pobre e desfavorecida fará muita falta.

"Chora capoeira, capoeira chora.. chora capoeira, Mestre Moa foi embora".

O fascismo fez sua primeira vítima no universo da capoeira, Mestre Moa do Catendê, foi assassinado ontem em Salvador por um eleitor de Bolsonaro.. que vergonha, Brasil! que tristeza Não podemos compactuar com isso!!" – Allix Lins Rodrigues.

negra panther

Mãe Carmen de Oxalá

https://maecarmendeoxala.wordpress.com/

Cartomante, quiromante, búzios

Cópia de Cópia de Imagens para produção de material (9)

Editar esta entrada.

Bloco Ilê Aiyê, símbolo da luta contra o racismo, ganha mostra em SP Exposição tem 44 tecidos de Carnaval do grupo, que influenciou nomes como Gilberto Gil, Caetano Veloso e Daniela Mercury

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Outubro 4, 2018 at 9:49 pm

Logo Conexão Afro ano 2017.png  contato 2Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/09/primeiro-bloco-afro-do-pais-e-simbolo-contra-o-racismo-ile-aiye-exibe-seu-bau.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=compfb ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.

Mãe Carmen de Oxalá

https://maecarmendeoxala.wordpress.com/

Cartomante, quiromante, búzios

Cópia de Cópia de Imagens para produção de material (9)

Novíssimo retrato do cadastro digital das famílias usuárias do Projeto Ajeun Ilerá na ASSOBECATY

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Agosto 16, 2018 at 9:28 am

Cadastro digitalNovíssimo retrato na entrega de alimentos do Projeto Ajeun Ilerá – Alimento saudável para todos, executado pela ASSOBECATY, onde os cadastros dos usuários estarão sendo acessados por meio totalmente digital a partir de 17 de agosto de 2018. A regra é válida para todas os pontos de distribuição dos alimentos oriundos do Programa de Aquisição de Alimentos – PAA Guaíba.

A utilização vai promover agilidade, transparência, segurança e economia de recursos humanos, também vai eliminar gradativamente o papel como suporte físico para o cadastro das famílias.

Mãe Carmen de Oxalá

Segmento:   Cartomante, quiromante, búzios, tarô, Trabalho de aberturas de caminhos, encantamentos,Limpezas em geral, iniciações e feituras

Cartão de Mãe Carmen -  Lalupo

Mãe Carmen de Oxalá fazendo história no Brasil e reafirmando a história da raiz e da tradição religiosa do Estado do Rio Grande do Sul.

ASSOBECATY e COOTAP discutem retomada do Projeto Ajeun Ilerá projeto para combater a insegurança alimentar

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 29, 2018 at 9:31 am

Representantes da Cooperativas de assentados (COOTAP) e da ASSOBECATY se reuniram na terça-feira (29) para planejar a retomada do  Programa de Aquisição de Alimentos – PAA,  com o  Projeto Ajeun Ilerá- Alimento saudável para todos na sede da associação, iniciativa visa reduzir a miséria e promover a segurança alimentar, uma política pública que atinge o campo e a cidade. Na ocasião foram discutido detalhes e planejamento para o ato público da retomada. Da esquerda para a direita, Mãe Carmen representando a ASSOBECATY,  Sandra e Eliane representaram a COOTAP.

Mãe Carmen de Oxalá

https://maecarmendeoxala.wordpress.com/

Cartomante, quiromante, búzios

Cópia de Cópia de Imagens para produção de material (9)

ATENÇÃO ilê de Mãe Carmen de Oxalá informa atualização de Cadastro do Projeto Ajeun Ilerá – ASSOBECATY

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Março 14, 2018 at 12:35 am

A13405563_881283411982371_2119243714_oAtenção, você que  é usuário do Projeto Ajeun Ilerá – Alimento saudável para todos, e adora receber os alimento do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos e distribuição simultânea,  100% orgânicos, corre sérios riscos de ficar sem , se não for fazer a atualização do cadastro no sábado dia 17/3 somente pela manhã. Isso porque apostamos em finalizarmos o cadastro, sendo que já temos data marcada para a primeira entrega.

Mãe Carmen de Oxalá

Cartomante, quiromante, búzios, tarô

Cartão jogo

Homenagens de Sônia Abike pela passagem de Mãe Maria de Oxum

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Fevereiro 16, 2018 at 1:06 am

28061844_982374878582540_6989019511822820214_oO silencio dos tambores que ressoavam na avenida Tronco 105 silenciou, mas marcou décadas de acolhimento no terreiro de minha mãe Maria de Oxum. Lembro inicio década de 80, conheci mãe Maria numa noite fria de quinta -feira, organizando um sopão comunitário para servir as crianças da Vila Cruzeiro, atividades que ela realizava com intensa alegria e muita satisfação pois essas atividades eram presente na sua comunidade de Terreiro. Foi a primeira casa de santo a desenvolver atividades para além do sagrado, motivo de muitas criticas por outras comunidades. Ela com muita maestria, organizou também, teatro, palestras,cursos e um grupo de danças chamada menininhas de Oxum, grupo esse que tirava meninas e adolescentes da situação de miséria presentes em uma das comunidades mais violenta da cidade de Porto Alegre, a vila cruzeiro do Sul. Todas essas atividades eram desenvolvidas em pleno final de ditadura militar e ela continuou na luta até ao racismo institucional mostrar sua força nociva nos territórios negros de terreiros e mãe Maria foi forte e lutou com a força de OXUM E OGUM para manter sua história ancestral, isso prova a força negra e ancestral de Maria Faustina. Me inclui na luta e permaneci junto por 17 anos e fui uma filha de santo presente, junto com toda minha família. A passagem de Mãe Maria representa para nós mulheres negras de terreiro ou não, a luta cotidiana por uma sociedade que respeite as diferenças e os socialmente diferentes. Mãe Maria marcou presença no cenário religioso pois mostrou que tocar os tambores em uma sociedade racista machista e intolerante acontece quando temos de fato a presença viva de nossos orixás. Obrigado pela força da Umbanda que permanece em mim e continuarei respeitando seu saber ancestral , pois essa força nasceu em sua mãos. Que Oya que tantas vezes a senhora acolheu, conduza ate seu caminho no ORUM….

Por Sônia Abike

Curtir

Mãe Carmen de Oxalá

  Cartomante, quiromante, búzios, tarô

Cartão jogo

A política invade o Sambódromo no Rio Paraíso do Tuiuti fala de escravidão, reforma da Previdência, tem presidente vampiro e ala de manifestantes fantoches. Mangueira transforma desfile em protesto contra Crivella

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Fevereiro 12, 2018 at 5:30 pm

"Irmão de olho claro ou da Guiné
Qual será o seu valor?
Pobre artigo de mercado
Senhor, eu não tenho a sua fé e nem tenho a sua cor
Tenho sangue avermelhado
O mesmo que escorre da ferida".
(Paraíso do Tuiuti. "Meu Deus, Está Extinta a Escravidão?
  Samba-enredo 2018. Composição: Claudio Russo, Moacyr Luz, Dona Zezé, Jurandir e Aníbal) 

Caramba… Não era só uma escola de samba; não foi apenas um enredo; não foi uma noite. O que a Paraíso do Tuiuti fez no desfile do carnaval do Rio de Janeiro já é o principal acontecimento artístico do ano. Mais até, é marco definitivo na própria história do carnaval do país. Combinou com primazia absolutamente única e singular, enredo, harmonia, cadência, organização e originalidade com o fundamental: arte!

Fez mais… Misturou ao melhor do brilho dos seus quesitos uma coragem poucas vezes vista; na delicadeza tocante do desenvolvimento de sua apresentação deu a maior ‘bofetada’ na TV Globo desde o ontológico direito de resposta e que fora concedido a Leonel Brizola no ano da graça de 1994.

"Bons tempos quando havia censura", sentenciaram os donos da golpista TV. A Paraíso do Tuiuti traduziu em miúdos o próprio sentimento do povo brasileiro; suas tristezas, angústias, decepções, sofrimentos e esperanças e lançou, espraiou na Marquês de Sapucaí; arrebatando os sentidos de toda a população para um incrível e mágico padrão superior de percepção do real, o que seja, o fiar delicado e sofisticado entre arte e política! Carnaval não é brincadeira!

A Tuiuti mostrou que não e provocou engulhos no ‘donos do poder’. As câmeras mostravam e não mostravam; os enquadramentos eram ligeiros, cirúrgicos e politizados a fim de minimizar o ‘estrago’ causado pela ousadia cidadã da Escola. Os comentaristas falavam como se carregassem cadeados nos dentes! Quase uma comédia!

Paulinho da Viola dirá: "Foi um rio que passou em minha vida!". Foi um rio sim e foi um mar, um oceano de alegrias ver a resistência popular acontecendo; Conseguem imaginar a Europa, os Estados Unidos, a China e o Japão assistindo ao desfile daquelas mulheres lindas? Aquele hipnótico festival de cores? Aquela gente teimosamente alegre e, de repente… Pimba! As tripas do golpe são mostradas com uma clareza, com uma pedagogia tal só comparável com os áudios de Romero Jucá.

Muito bom! Quem vai ganhar o desfile de 2018? E isso tem alguma importância? Nós ganhamos! Nós, o povo, já ganhamos um dos melhores carnavais da história desse país. Os quase vinte milhões de desempregados podem soltar um sorriso, mesmo que de ‘canto de boca’; os precarizados podem se abraçar; os aposentados e os que querem se aposentar tomem uma cervejinha bem gelada… Ganhamos essa!  

E para os golpistas de plantão, aos que bateram panelas, aos que dançaram suas coreografias patéticas e inominavelmente bizarras, aos que se vestiram de CBF vejam o inacreditável, contemplem aquilo que jamais viram, se assustem, se espantem, tenham medo… Isso se chama POVO e para vossos pecados e arrependimentos, ele está mais vivo do que nunca!

Ângelo Cavalcante – Economista, professor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), campus Itumbiara.

Cartão jogo 3

Falar com Mãe Carmen de Oxalá, disponibiliza atendimento com cartas e búzios (51) 984945770

Tuiuti se torna o 2º assunto mais comentado no Twitter no mundo após desfile histórico politizado e crítico em muitos anos de Carnaval sobre a escravidão

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Fevereiro 11, 2018 at 5:40 pm

Ovacionada na Sapucaí, por causa do desfile mais politizado e crítico em muitos anos de Carnaval sobre a escravidão, a Paraíso do Tuiuti também virou hit na internet.

Logo após a apresentação histórica deste domingo, a escola foi parar no primeiro lugar dos trending topics do Twitter, com o assunto mais comentado na rede social no Brasil; e segundo no mundo.

Tuiuti se torna o 2º assunto mais comentado no Twitter no mundo após desfile histórico politizado e crítico em muitos anos de Carnaval sobre a escravidão

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Fevereiro 11, 2018 at 4:48 pm

Ovacionada na Sapucaí, por causa do desfile mais politizado e crítico em muitos anos de Carnaval sobre a escravidão, a Paraíso do Tuiuti também virou hit na internet.

Logo após a apresentação histórica deste domingo, a escola foi parar no primeiro lugar dos trending topics do Twitter, com o assunto mais comentado na rede social no Brasil; e segundo no mundo.

ASSOBECATY participou da Oficina sobre Execução PAA, na COOTAP

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Fevereiro 8, 2018 at 5:12 pm

IMG_5469A ASSOBECATY participou da 1ª Oficina sobre execução PAA, na COOTAP, realizada no dia 08 de fevereiro, nela foram divulgadas  as  novas normas que vai regrar o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). As entidades que estarão operando o PAA, de uma forma mais direta na distribuição ao público.

Da esq. para a dir., Orlando Representante da Conab) e Silvio Bert representando a Cootap

IMG_5470

Pela manhã, foi abordado informações quanto as regras para a  distribuição dos alimentos. Estavam presentes as seguintes organizações:

– ASSOBECATY

– COOTAP

– COOPAN

– COOP. SETE DE JULHO

– BANCO DE ALIMENTOS DE POA

– MESA BRASIL – SESC

– ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DA AUGUSTA

IMG_5479

Todos focados na diretrizes do Programa de Aquisição de Alimentos – PAA  e no fortalecimento das relações institucionais com diversos órgãos público e privados.IMG_5495

Durante a tarde continuaram as orientações  desde a colheita e manuseio   dos alimentos até os pontos de distribuições.  Confira imagens:

IMG_5493

IMG_5498

Marque uma hora para consultar com Mãe Carmen de Oxalá

Segmento:   Cartomante, quiromante, búzios, tarô, Trabalho de aberturas de caminhos, encantamentos,Limpezas em geral, iniciações e feituras