Revista Online Conexao Afro

1º Curimba Music Rio Grande homenageia os 105 anos da Umbanda

In Comunidade Tradicional de Terreiros on Novembro 24, 2013 at 9:27 am
logo Revista Conexão Afro   24  de  novembro  –Guaíba- RS –Brasil

REVISTA CONEXÃO AFRO

1º Curimba Music Rio Grande homenageia os 105 anos da Umbanda

Fonte; Jornal Agora

Galeria de fotos

Foto: Fabio Dutra

Família Ylú Axé Vodum foi a grande vencedora do festival

  • Família Ylú Axé Vodum foi a grande vencedora do festival Evento aconteceu no auditório do Instituto Juvenal Miller Vice-presidente da Arutema, André Brisolara, disse que as pessoas devem assumir sua religiosidade

Foto: Fabio Dutra

1º Curimba Music Rio Grande homenageia os 105 anos da Umbanda Família Ylú Axé Vodum foi a grande vencedora do festival

O grande vencedor do 1º Curimba Music Rio Grande, foi a curimba Família Ylú Axé Vodum, vencedora em quatro das cinco categorias. O festival foi idealizado por Cristiano Avila, dirigente do Centro Espírita de Umbanda Paz Amor e Caridade Fé nos Orixás Xangô e Oxum, apoiado diretamente pela Associação Rio-grandina de Umbanda e Terreiros de Matriz Africana (Arutema), associação da qual faz parte. A expectativa de público foi superada, segundo Cristiano. Aproximadamente, 250 pessoas compareceram, entre público, concorrentes e organizadores.

A abertura teve a palavra do vice-presidente da Arutema, André Brisolara. Ele pediu para que as pessoas assumissem a sua religiosidade, sem ter vergonha de dizer que são umbandistas, batuqueiros e outros. “Há um preconceito velado. A maioria das pessoas se diz católica. Então, porque não dizer que é batuqueiro, se é isso que são. É importante para a nossa religião que as pessoas comecem a assumirem-se”.

O festival, segundo ele, também é importante  para que as pessoas entendam que não é só no salão de um centro ou no quarto de santo que se vê a religião. Disse ainda que é importante que as pessoas comecem a contar a sua história, sua ancestralidade e que levem a sua religião para as ruas. “Não como confronto, mas como informação. Há pessoas que negam sua religião, e só conseguiremos mudar isso congregando todos, como neste festival. Esta é uma oportunidade de fortalecer a religião na própria pessoa, para que ela mostre aos outros o que ela é e qual a sua fé”, ressaltou.

Ao final do festival, todas as equipes subiram ao palco para uma homenagem aos 105 anos da Umbanda, cantando diversos pontos antigos e o hino da Umbanda. Os artistas, Makina Brandão, Elesandra e Cesar Augusto, aproveitaram para expor seus trabalhos, assim como representantes do Comite de Ação Social e Cidadania na Luta Contra a Fome e a Miséria, com desenhos de Orixás em telhas de barro e outros artesanatos.

A mesa de jurados foi composta por João Ely, patrono da Semana da Consciência Negra de 2013 (membro do Condescon), Pablo Fernandez, Irmão Glênio (grande conhecedor da História da Umbanda no Brasil e no Estado), o acadêmico de História da Furg, Gerônimo Lima (representante do Centro Espírita de Umbanda Seguidores do Caboclo Arruda), Eneida Menezes (representando o CEU Reino de Iansã e Juremita), Roginaldo Mendes, presidente da União Rio-grandina de Umbanda e Cultos Afros (Uruca), e Pai Mário de Oxalá, representando o Ilê de Axé D. Espirito Santo.

As equipes (curimbas) que concorreram foram: Alabês Alabsé, com o ponto “Encontro de Falanges: Chamada de falanges de Exú” (Rio Grande); equipe T’Alagbês Rodrigo, com o ponto “Saudamos Mamãe Oxum e Pai Xangô”, (Porto Alegre); Família Ylú Axé Vodum, com o ponto “Tiriri e Povo das Almas”, (Rio Grande); Adalberto de Obauayê, com o ponto “Tem Milonga: aos Pretos e Pretas-Velhas”, (Rio de Janeiro); equipe Miro de Oxalá, com o ponto “Rei da Encruzilhada, (Rio Grande).

Categorias/Vencedores

1- Melhor Curimba

1º Lugar- Troféu Tambor de Aruanda + um Tambor de Inox

Campeão  – Equipe  Família Ylu Axé Vodum

2º Lugar-Medalha Zélio – Equipe Miro de Oxalá

3º Lugar-Medalha 7 encruzilhada –  Equipe Alabê Alabsé
2- Melhor Intérprete

1ºLugar- Troféu Otacílio Charão

Campeão – Equipe Miro de Oxalá

2º Lugar- Medalha Humaitá – Equipe Família Ylú Axé Vodum

3º Lugar- Medalha Alabê – Equipe T’ Alagbês Rodrigo
3- Melhor Letra

1º Lugar- Troféu Carlos Santos e  o Livro ABC DO Ogã

Campeão – Equipe Família Ylú Axé Vodum

2º Lugar – Medalha Matta Silva – Equipe Alabês Alabsé

3º Lugar- Medalha Marcos Luz – Equipe T’Alagbês Rodrigo

4- Melhor Coreografia

1º Lugar – Troféu Negro Lucas – Equipe Família Ylú Axé Vodum

2º Lugar – Medalha Macanudos – Equipe T’Alagbês Rodrigo

3º Lugar – Me

dalha Manuel Padeiro- não houve outro participante concorrendo com coreografia

5- Melhor Torcida

1º Lugar -Troféu Falange União

Campeão equipe Família Ylu Axé Vodum

Por Anete Poll
anete@jornalagora.com.br

logo Revista Conexão Afro

CONEXÃO AFROconexaoafro@gmail.com
Falar com Mãe
Carmen de Oxalá
  (51) 81810404 / (51)  30556655
Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: